Translate

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

PARLAMENTO CHUMBA ORÇAMENTO DO ESTADO


Cabe agora a Marcelo Rebelo de Sousa decidir sobre a dissolução do Parlamento e a marcação de eleições.

A Assembleia da República chumbou esta quarta-feira, na generalidade, a proposta de Orçamento do Estado para 2022, com os votos contra do BE, PCP, PEV, PSD, CDS, IL e Chega, com a abstenção do PAN e das deputadas não-inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues e com o voto favorável do PS.

Cabe agora a Marcelo Rebelo de Sousa decidir sobre a dissolução do Parlamento e a marcação de novas eleições legislativas.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou, na terça-feira, que não se demite. O primeiro-ministro garantiu que, mesmo com o Orçamento do Estado chumbado, continuará chefe de Governo.

Em 47 anos de democracia, nunca um Orçamento do Estado tinha sido chumbado no Parlamento.

O MOMENTO DA VOTAÇÃO E CHUMBO DO ORÇAMENTO

No total, 108 deputados votaram a favor, cinco abstiveram-se e 117 votaram contra.

"O resultado foi a rejeição desta proposta do Governo", afirmou o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, no final da votação.

O QUE SE SEGUE: DISSOLUÇÃO DO PARLAMENTO?

Com o chumbo do Orçamento, o Presidente da República deverá prosseguir para a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições legislativas antecipadas, como já tinha anunciado. Em teoria, o chefe de Estado poderia pedir ao Governo para elaborar outra proposta orçamental. Poderia também demitir o executivo e tentar uma outra solução governativa, fosse do mesmo partido, de outros ou até de coligação.

Mesmo com a dissolução do Parlamento, o Governo mantém os seus poderes. Apesar disso, o executivo terá de governar por duodécimos, uma vez que não tem orçamento aprovado.

O Presidente da República, que na noite desta quarta-feira vai reunir-se com o Presidente da Assembleia da República e com o primeiro, vai receber no próximo sábado, 30 de outubro, os partidos políticos com representação parlamentar. Marcelo Rebelo de Sousa vai ainda convocar uma reunião especial do Conselho de Estado para o dia 3 de novembro, pode ler-se no comunicado publicado na página da Presidência.

O Presidente da República receberá ainda os parceiros sociais na sexta-feira, dia 29 de outubro, como já tinha sido anunciado.

FERRO RODRIGUES INFORMA PARTIDOS DE CONFERÊNCIA DE LÍDERES NA QUINTA-FEIRA

O presidente da Assembleia da República informou, esta quarta-feira, após o chumbo do Orçamento do Estado, que haverá uma conferência de líderes na quinta-feira, às 10:30 horas, para reorganizar os trabalhos parlamentares.

"Informo todos os grupos parlamentares que amanhã [quinta-feira], às 10:30 horas, reunirá a conferência de líderes para procedermos de acordo com este resultado e programarmos os trabalhos da Assembleia da República", informou Ferro Rodrigues.

"O GOVERNO SAI DESTA VOTAÇÃO DE CONSCIÊNCIA TRANQUILA E CABEÇA ERGUIDA"

António Costa garante que sai da votação de “consciência tranquila e cabeça erguida”, deixando agora nas mãos de Marcelo Rebelo de Sousa a decisão sobre o futuro do país.

“O Governo sai desta votação de consciência tranquila e cabeça erguida. Nunca voltaremos as costas às nossas responsabilidades e aos nossos deveres para com os portugueses”, disse em declarações aos jornalistas, depois do chumbo histórico do Orçamento do Estado.

O primeiro-ministro garante os portugueses “podem contar com o Governo” para assegurar a governação do país “mesmo nas condições mais adversas”, ou seja, sem um Orçamento aprovado.

“A partir de agora, naturalmente, tendo a Assembleia da República tomado esta decisão, que não permite avançar nas negociações do Orçamento, cabe exclusivamente a o Presidente da República avaliar esta situação e tomar as decisões que entenda dever tomar”, acrescenta.

PS LAMENTA CHUMBO: "MUITOS PORTUGUESES ESTÃO HOJE TRISTES"

A líder parlamentar do PS lamentou o chumbo do Orçamento do Estado e acredita que muitos portugueses estão tristes por não se completar esta legislatura.

"Há hoje muitos portugueses que estão tristes tal e qual como eu."

Ana Catarina Mendes entende que o que estava em cima da mesa "não eram questões orçamentais, eram questões laterais que podiam ter sido trabalhadas noutra sede."

"Os nossos parceiros à esquerda fizeram a sua escolha e agora vamos para o próximo momento."

RIO QUER ELEIÇÕES O MAIS "RÁPIDO POSSÍVEL" APÓS O NATAL

O presidente do PSD defendeu que as eleições legislativas devem realizar-se "o mais depressa possível" a partir do Natal, dizendo esperar que "não sejam empurradas para a segunda quinzena de janeiro".

Questionado se a segunda quinzena de janeiro já seria tarde para realizar as eleições, Rio diz não querer "causar polémicas com datas", uma vez que vai ser recebido pelo Presidente da República no sábado.

"Não pode ser já amanhã e considerando que, pelo caminho temos o Natal, não pode ser em dezembro, a partir daí deve ser o mais rapidamente possível, porque não?", pergunta.

CDS DIZ QUE "ALTERNATIVA SÓ PODE VIR DA DIREITA E DO CENTRO DIREITA"

O CDS diz que o fim da geringonça era inevitável e que o chumbo do OE 2022 era previsível. Telmo Correia, líder parlamentar do partido, diz que, depois das eleições, a esquerda não vai conseguir entender-se.

“Eu acho que António Costa já não tem solução, a solução ou vem do centro direita ou o país ficará uma situação em que a geringonça nos condenou de absoluta ingovernabilidade”, disse aos jornalistas.

PEV DIZ QUE É PRECISO ANALISAR TODAS AS SOLUÇÕES

O PEV defendeu que, a par da marcação de eleições antecipadas, também sejam consideradas as opções de governação por duodécimos ou apresentação de outro Orçamento.

"As alternativas podiam ser o Governo continuar em funções e governar por duodécimos, pode ser o Governo apresentar outro Orçamento. Não é causa efeito entre o 'chumbo' de um Orçamento e haver dissolução da Assembleia da República", concretizou.

Interpelado sobre se o PEV pretende um novo Orçamento do Estado, o deputado respondeu que o partido "quer é que o problema seja resolvido".

PAN DIZ QUE MARCELO "SE PRECIPITOU" AO ANUNCIAR A DISSOLUÇÃO DO PARLAMENTO

O PAN considera que Marcelo Rebelo de Sousa se precipitou ao falar em eleições antecipadas. Ainda assim, garante que, em caso de eleições, o partido irá a votos sem receios.

“Achamos que o Presidente da República se precipitou ao convocar desde já a ideia de que irá dissolver a AR. Se formos para eleições, o PAN apresentar-se-á, evidentemente, ao escrutínio mais uma vez do povo português. Vamos sem qualquer receio para eleições”, afirma Inês de Sousa Real, líder do PAN.

O próximo passo, segundo a deputada, é “ouvir o Presidente da República” e perceber “quais as soluções que estão em cima da mesa”.

“Achamos que há outras opções que podem e devem ser esgotadas. Nomeadamente possibilidade de trazer um novo orçamento à Assembleia da República, preferimos isso do que uma gestão em duodécimos”, acrescenta.

CHEGA DEFENDE ELEIÇÕES EM JANEIRO MESMO QUE "PREJUDIQUE" CALENDÁRIOS DA DIREITA

O deputado único do Chega, André Ventura, defendeu a marcação de eleições antecipadas para janeiro de 2022, "mesmo que isso prejudique os interesses partidários" da direita, que tem congressos para decidir as lideranças nos próximos meses.

O presidente do Chega indicou "16 de janeiro" como uma data possível para as eleições legislativas.

Ventura também criticou o primeiro-ministro, António Costa, por preferir "ficar a governar de qualquer maneira" e por "encostar o Presidente da República à parede".

AS FRASES DO DEBATE DO OE 2022:


"País não quer nem precisa de voltar aonde não foi feliz" - João Leão, ministro das Finanças.

"Eu creio que a pergunta é esta: o povo de esquerda, o povo do nosso país percebe que se crie uma crise política porque não se quer responder a pensões, a trabalho digno, a um SNS de qualidade? Eu creio que a resposta é clara e inequívoca: não percebe. Infelizmente, parece que apenas o Governo, apenas o PS e apenas o senhor primeiro-ministro não percebem a resposta do nosso povo" Pedro Filipe Soares, BE

"Não tenho dúvidas que este Orçamento é um dos mais importantes dos 42 anos da história do Serviço Nacional da Saúde" Marta Temido, ministra da Saúde

"O Governo está preso num pântano para o qual o Sr. primeiro-ministro está a arrastar o país. Está à vista de todos mais um pântano socialista" Ricardo Baptista Leite, PSD

“Será que este Governo do Partido Socialista ainda tem lugar para um ministro da Economia com liberdade de intervenção ao serviço dos portugueses ou continua cativo do ministro das Finanças?” Jorge Mendes, PSD

O emprego em Portugal esta ao nível mais alto de sempre, o salário médio subiu, desde 2015, 32%” Pedro Siza Vieira, ministro da Economia

“Os portugueses não devem recear, porque vão poder decidir o caminho político de agora em diante. É possível um caminho melhor. A Geringonça esgotou-se e esta é uma derrota sua, Sr. primeiro-ministro” João Cotrim Figueiredo, IL

Era este Orçamento que o maior Governo da Europa tinha para dar para a Portugal. O poder de compra dos portugueses é hoje pior que há 11 anos e qualquer Polígrafo pode confirmar que isto é verdade. Esta grande maioria de esquerda deu-nos o maior empobrecimento que Portugal viu nos últimos anos. Continuamos a sustentar aqueles que não querem fazer absolutamente nada, num Orçamento de subsidiodependência. As famílias que se esforçaram e precisam agora de apoio, veem o Governo socialista nas mãos da extrema-esquerda, virar-lhes a cara” André Ventura, Chega

"Os Verdes esperavam um Orçamento para 2022 capaz de dar respostas robustas a um conjunto de dificuldades. O Orçamento para 2022 tal como foi anunciado está muito longe de dar as respostas que se impõem face à dimensão dos problemas” Mariana Silva, PEV

"Fazer oposição não é só votar contra, é saber trabalhar em conjunto. Chegados ao fim deste debate, o que vai cada deputado escolher para o nosso país? Será um país em suspenso, marcado pela insegurança? O melhor que esta casa tem para dar às pessoas é deitar a toalha ao chão? Para o PAN não é esta a alternativa" Inês Sousa Real, PAN

“A geringonça já não consegue aprovar orçamentos. Portugal é hoje um dos países mais lentos a recuperar da pandemia. O Governo acha que a recuperação já em 2022 constitui um objetivo ambicioso, sermos um dos últimos. É o retrato da geringonça que nunca percebeu que não é possível distribuir riqueza sem produzir riqueza” Cecília Meireles, CDS

Sabemos que há soluções e possibilidade de as concretizar, havendo vontade política para isso. Recusaremos substituir esse debate por um guião de passa culpas para ver quem é mais ou menos responsável pelo desfecho da votação deste Orçamento. Pode até render um bom guião para as disputas eleitorais de 2023, mas não é isso que resolve os problemas do povo e do país” João Oliveira, PCP

“O Governo português apresenta um Orçamento de contenção, desperdiçando o momento de alívio da pressão europeia e a maioria que existe no Parlamento para medidas duradouras para a economia e para a sociedade. Depois de meses de negociações, continua incompreensível este alheamento do Governo. Dizer que o Bloco de Esquerda é intransigente é tão inútil e tão pouco credível como dizer que os profissionais do Serviço Nacional de Saúde estão a atacar o Governo quando alertam para a situação insustentável em que se encontram” Catarina Martins, BE

“O PS com a opção política que tomou de se colocar na total dependência da esquerda radical, transformou-se na face do imobilismo e estatismo que tem condenado o país à estagnação e ao empobrecimento. O Governo está desde o início da pandemia à espera do milagre europeu, sem preocupação de governar com respostas estruturais, à espera que o disparo da bazuca traga o milagre da recuperação e crescimento económico” Rui Rio, PSD

“Há seis anos a democracia parlamentar permitiu que se criasse um Governo liderado pelo PS e apoiado pelos partidos à esquerda. Registámos o menor défice de sempre, conquistámos a credibilidade internacional e tudo isto quebrando o arco da governação, conseguindo construir pontes e compromissos com a esquerda, como ninguém acharia possível. Devolvemos esperança aos portugueses e conseguimos virar a página da austeridade e acabar com muitos sacrifícios. A ironia suprema do chumbo deste Orçamento é que se prende com introduzir medidas que nada têm a ver com o Orçamento. O país quer serenidade e paz social. Nunca foi pelo PS nem pelo Governo que a esquerda não se entendeu” Ana Catarina Mendes, PS

"Fiz tudo o que estava ao meu alcance para assegurar a viabilidade deste OE sem aceitar o que, de boa consciência, não acredito que o país pudesse suportar. O Governo cumpriu a sua parte. Chumbar esta proposta de lei na generalidade é impedir a consolidação de todos os avanços que as negociações já permitiram e fechar a porta que novos avanços na especialidade podem vir ainda a abrir. Pergunto-me: qual é a justificação, a racionalidade, para prescindir de que se concretize aquilo que já se alcançou?" António Costa, primeiro-ministro

FIAT UNO TURBO I.E. PORTUGUÊS VENDIDO POR MILHARES DE EUROS NOS EUA


Um Fiat Uno Turbo i.e de 1988 de matrícula portuguesa foi vendido, este mês, por 16 800 dólares (cerca de 14 500 euros), num site de leilões nos Estados Unidos.

O leilão deste clássico não foi fácil, pois só ao fim de 29 licitações entre dois amantes de carros é que se chegou ao valor final, através da plataforma digital de leilões "Bring a Trailer".

"Gostava de ficar com este carro lindo, quero dar-lhe os parabéns por ter ficado com ele. Se eu oferecesse mais um dólar, a minha mulher matava-me", afirmou o quase vencedor.

O comprador do carro é um amante de clássicos italianos e já tinha tentado comprar outros cinco carros nesta plataforma mas sem sucesso.

Além do carro, o vencedor também levou uma série de peças sobressalentes como uma grelha suplementar, um turbocompressor, um painel de instrumentos e encostos de cabeça.

O Fiat Uno Turbo i.e vermelho, antes de ser importado para os Estados Unidos em 2020, foi submetido a uma profunda revisão mecânica.

Este modelo de carro foi bastante popular nos anos 80 e 90 com um motor 1.4 turbo e 105 cavalos.

Entre os detalhes que faziam as delícias dos amantes do carro à época, estavam os pequenos escorpiões da Abarth, marca desportiva do grupo Fiat, nas jantes.

terça-feira, 26 de outubro de 2021

VÍDEO: CASAS COBERTAS DE CINZAS DO VULCÃO CUMBRE VIEJA

 


Imagens impressionantes das cidades próximas ao vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de cobertas por cinzas.


VÍDEO: MAIS LAVA EM MOVIMENTO APÓS NOVO DESABAMENTO NO VULCÃO DE LA PALMA


Um novo desabamento do cone do vulcão de La Palma (Canárias) está a fazer com que uma grande quantidade de lava se desloque, principalmente em direção ao oeste, sobre o fluxo primário de lava.

Durante as últimas 24 horas, a evolução da erupção foi marcada pela modificação e reconfiguração do cone principal do vulcão, de acordo com o último relatório do Departamento de Segurança Nacional espanhola (DSN) emitido às 8 horas.

A nova rutura do cone, que ocorreu na tarde de segunda-feira, provocou transbordamentos de lava e deslizamentos de terras que geraram correntes de ar, mas que não afetaram o fluxo que corre para sul e que está atualmente praticamente parado.

Por seu lado, o Governo da comunidade autónoma das Canárias sublinhou que o fluxo de lava de La Laguna não sofreu alterações significativas e, tal como o resto dos fluxos de lava, continua a ser monitorizado, para o caso de ser necessário adotar novas medidas de proteção civil.

A altura média da coluna de cinzas e gases emitidos pelo vulcão atingiu 3800 metros na segunda-feira, de acordo com o DSN.

A instituição também observa que as condições meteorológicas são favoráveis à qualidade do ar e que as operações aeroportuárias nas Ilhas Canárias são atualmente satisfatórias.

No que diz respeito à sismicidade, os últimos dados do Instituto Geográfico Nacional espanhol mostram que, durante as primeiras horas da manhã de hoje, 36 tremores de terra foram registados em La Palma, um dos quais, afetou o município de Mazo com uma magnitude de 4,2 graus e uma intensidade de quatro, localizado a uma profundidade de 36 quilómetros.

Por seu lado, o DSN assinala que os movimentos de terra continuam a localizar-se nas mesmas zonas geográficas e que, por sua vez, aumentaram em profundidades intermédias, entre 10 e 15 quilómetros, o que favoreceu a probabilidade de terramotos até à intensidade seis sentida pela população.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

AT FAZ TRÊS APREENSÕES DE DROGA VINDA DO BRASIL NO AEROPORTO DO PORTO


A droga apreendida poderia originar uma receita superior a 2,5 milhões de euros.

A Autoridade Tributária e Aduaneira apreendeu, em três operações realizadas nas duas últimas semanas no aeroporto do Porto, quase 50 quilos de cocaína a passageiros provenientes do Brasil.

A droga, segundo a informação divulgada esta segunda-feira pela AT, encontrava-se escondida em fundo falso e na estrutura das malas de porão e também 'colada' ao corpo dos passageiros. No total foram apreendidos 48,969 quilos de estupefaciente.

A mesma informação avança que a droga foi detetada pelos funcionários aduaneiros "através de técnicas de inspeção e controlo desenvolvidas pela AT" com o objetivo "de reforçar as capacidades para cumprir a sua missão no que respeita ao combate à prática de atos ilícitos".

A droga apreendida poderia originar uma receita superior a 2,5 milhões de euros.

Estas três apreensões realizadas pelo Serviço de Controlo de Passageiros e Bagagem da Alfândega do aeroporto do Porto somam-se às quatro operações semelhantes ocorridas no aeroporto de Lisboa, entre 16 de setembro e meados deste mês.

Tal como aconteceu com estas apreensões do Porto, também nas de Lisboa a droga estava dissimulada em fundos falsos de malas de porão de passageiros de voos com origem no Brasil.

VÍDEO: ACEREDO, A ALDEIA GALEGA "SEPULTADA" QUE EMERGIU AGORA NO RIO LIMA


O concelho de Lobios, em Espanha, é por estes dias alvo de um inusitado tráfego de visitantes portugueses e espanhóis que ouviram dizer que a aldeia de Aceredo, “sepultada” em 1992, segundo a agência Efe, emergiu agora no Rio Lima.

Explica o jornal La Región que a aldeia de Aceredo, apelidada agora de a ‘Atlântida galega’, veio à superfície devido ao facto de a barragem do Alto Lindoso, que a soterrou há 30 anos, ter apenas, neste momento, 20% da sua capacidade.

Quem visita agora Lobios encontra uma paisagem muito diferente da habitual, algo fantasmagórica. Entre as águas tranquilas, há toda uma vila que, apesar de ter permanecido quase três décadas debaixo de água, ainda conserva algumas casas, ruas e até veículos.

Alguns aproveitaram para passar pelo antigo cemitério, que a EDP, que gere a central elétrica, cobriu com uma laje de betão de 50 centímetros, para deixar flores onde estavam sepultados pais, avós e outros ente queridos que viveram e morreram nesta aldeia.

Nas redes sociais, muitas pessoas têm deixado o registo da visita ao local.

Recorde-se que a aldeia de Aceredo foi submersa em 1992 para a construção da barragem hidroelétrica do Alto Lindoso, localizada em Lindoso, no concelho de Ponte da Barca.






domingo, 24 de outubro de 2021

LA PALMA REGISTA 79 TREMORES DE TERRA SÓ NA MADRUGADA DESTE DOMINGO


A madrugada deste domingo foi de alta sismicidade na ilha espanhola de La Palma, onde o Instituto Geográfico Nacional (IGN) local detetou 79 tremores de terra.

O maior, de magnitude 4,1, foi registado em Fuencaliente, a 13 quilómetros de profundidade, tendo sido sentido em praticamente toda a ilha.

Dos 79 sismos contabilizados desde a meia-noite, 11 foram sentidos e 28 tiveram uma magnitude de 3 ou superior.

A diferença em relação aos dias anteriores é a profundidade de praticamente todos os sismos, intermédia, entre os 10 e os 15 quilómetros.

Apenas quatro ocorreram a maiores profundidades: 21, 28 e dois a 36 quilómetros. A maioria foi localizada em Fuencaliente e Mazo, à exceção de dois, registados em El Passo e Tazacorte.

A sismicidade das últimas surge na sequência de, no sábado, a ilha de La Palma ter registado um sismo de 4,9 de magnitude, no mesmo dia em que o vulcão voltou a sofrer um colapso no cone principal, causando grandes derrames de lava.

Segundo o IGN espanhol, o sismo foi o de maior magnitude desde a erupção do vulcão, a 19 de setembro, tendo sido registado às 16.34 locais em Villa de Mazo, a 38 quilómetros de profundidade e sentido pela população em toda a ilha.

Paralelamente, de acordo com a mais recente medição do sistema europeu de satélites Copernicus, às 8.14 em Espanha (7.14 em Portugal), a lava do vulcão cobriu 14 hectares no intervalo de 12 horas, o que eleva para 891,1 hectares a superfície total arrasada.

Segundo a imagem publicada pelo Copernicus nas redes sociais, a nova superfície coberta pela lava localiza-se na parte traseira do cone do vulcão que colapsou e afetou o bairro de La Laguna, o que é atribuído à massa de magma que tem jorrado da cratera desde as primeiras horas de sábado.

A lava também destruiu nas últimas horas mais 14 edifícios na ilha, elevando o total para 2143.

La Palma tem sido afetada diariamente com vários tremores de terra, por causa da atividade do vulcão, que no sábado, ao 34 dia de erupção, sofreu um novo colapso no cone principal, causando significativos derrames de lava.

Ainda no sábado, o presidente do arquipélago das Canárias, Ángel Víctor Torres, afirmou que não se espera, para já, o fim da erupção.

"Ainda temos pela frente várias semanas de emergência", disse Torres citado pela agência Efe.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, esteve também sábado novamente em La Palma para reiterar o compromisso do Governo de Madrid de ajudar a reconstruir o que ficar afetado pelo vulcão.

TURISMO ESPACIAL É UM LUXO QUE PODE SAIR CARO AO PLANETA TERRA


Três milionários levaram, este ano, civis em passeios que vulgarizaram. Impacto do turismo espacial divide especialistas. Beneficiamos de avanços tecnológicos desenvolvidos para foguetões, mas há quem chame a atenção para a poluição que os voos implicam.

Abrir o espaço ao viajante comum é o objetivo do turismo espacial, um fenómeno com cada vez maior relevância mediática. Num ano histórico, os multimilionários Jeff Bezos, Richard Branson e Elon Musk levaram várias pessoas ao espaço em seis voos.

Há quem acredite que as viagens que ultrapassam a Linha Karman, a fronteira espacial que se localiza a 100 quilómetros da Terra, são "apenas uma face" de uma revolução mais alargada e que pode trazer uma série de benefícios que nem todos reconhecem no dia a dia. Mas há também vozes críticas que se ouvem nas mais diversas frentes.

Uma das mais recentes foi a do príncipe William, que disse, à BBC, que os empreendedores deveriam focar-se em salvar o planeta. Antes, Bill Gates considerou, no programa de televisão da CBS "The Late Late Show", que ainda há "muito que fazer na Terra". Até na área da astronomia há quem fale do fenómeno com hesitação. Como o astrofísico britânico Martin Rees que, num artigo de opinião no "The National News", afirma que "o espaço não oferece uma saída para todos os problemas da Terra", lembrando que "não existe um planeta B".

Mónica Truninger, socióloga no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, onde também estuda o turismo espacial, diz que os voos espaciais estão a poluir as camadas mais pristinas da atmosfera da Terra, uma vez que o aumento dos lançamentos agrava a poluição atmosférica ao ponto de agravar o buraco da camada de ozono.

A "nova moda", como refere a presidente da Sociedade Portuguesa de Ecologia, Maria Amélia Martins-Loução, "acarreta gastos movidos apenas pela vaidade, quando esse montante poderia ser usado para famílias no limiar da pobreza, gastos de energia de combustíveis fósseis quando há metas internacionais a cumprir e aumenta o lixo.

"É como acender charutos a notas de mil"

Além disso, as tecnologias podem ser usadas para objetivos geoestratégicos. "Não são inócuas nem apolíticas. O uso da tecnologia tem sempre um lado perverso. Podem ser colocadas ao serviço do complexo industrial militar para ações de militarização e armamento", continua Mónica Truninger.

LAZER ESTAPAFÚRDIO

"É como acender charutos a notas de mil", considera Luísa Schmidt, investigadora de Sociologia do Ambiente no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. "É um turismo de tal modo exorbitante em termos de custos que parece uma obscena brincadeira daqueles milionários. É quase uma obscenidade estar a ver cá em baixo na Terra. Não é necessário, nem é aceitável", afirma, acrescentando que a exploração do espaço deve ser feita apenas por cientistas e não como forma de lazer.

Numa altura em que um bilhete para o espaço pode custar até 500 mil dólares, a especialista acusa os milionários de criarem um novo mercado para os "hiper-ricos" e de não estarem interessados em aumentar o conhecimento. "Parece-me mais uma coisa de lazer estapafúrdico do que algo que contribua para o bem da humanidade", conclui.

O astrónomo Miguel Gonçalves acusa os críticos de terem um "pensamento demasiado populista, demasiado estreito e desconhecedor daquilo que é a tecnologia espacial". Segundo o apresentador do programa da RTP "A Última Fronteira", todos os dias, usamos objetos e técnicas que surgiram ou tiveram melhorias graças à tecnologia espacial. "Sempre que há um evento ou um veículo disruptor da área da exploração ou da tecnologia aeroespacial, traz benefícios que a sociedade em geral desconhece", explica.

Muitos sistemas de travões usados nos carros surgiram da tecnologia dos vaivéns, que também permitiu melhorar os combustíveis "mais amigos do ambiente do que há umas décadas". Da mesma forma, as tecnologias de segurança dos tripulantes poderão ter repercussão naquilo que é a segurança automóvel.

"Permite colocar satélites que indicam os locais onde ainda é possível investir e ter melhores colheitas"

Na vertente científica, a vulgarização destes voos pode permitir que, dentro das cápsulas, possam ser levadas experiências que, de outra forma, não teriam como chegar ao espaço e que podem contribuir para a área da farmacêutica e da medicina.

"ESTÁ A MATAR A FOME"

Apesar de serem "missões algo lúdicas", permitem estudar os efeitos da microgravidade no corpo de "um leque mais alargado e diversificado de pessoas do que os ultrasselecionados e saudáveis astronautas", explica Rui Moura, engenheiro geólogo e professor na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

Com mais lançamentos, também pode ser reforçado o sistema de satélites, fundamental para as tecnologias de comunicação terrestre e com provadas implicações científicas, como a deteção de problemas e anomalias na atmosfera ou na superfície terrestre. "Investir no espaço está a matar a fome de milhares. E a permitir colocar satélites que indicam aos povos onde está a água que pode ser extraída no subsolo, onde estão os locais onde ainda é possível investir e ter melhores colheitas", enumera.

Para Rui Moura, só com o turismo espacial é possível "tornar os voos um modelo de negócio que permita sustentar um meio mais económico de lançamento para o bem da ciência e de todos". Mónica Truninger, por seu lado, acredita que "esperar por esse desenvolvimento é demasiado arriscado e inconsciente", uma vez que a "urgência climática não dá tréguas".

Os especialistas são unânimes ao considerarem o muito que há a fazer pela Terra. Para Rui Moura, é preciso fomentar o conhecimento e arranjar soluções energéticas sustentáveis para distribuição equilibrada e socialmente justa para todos.

Luísa Schmidt, além do combate às alterações climáticas, às desigualdades e à pobreza, propõe que os milionários deveriam pagar mais impostos, para que o dinheiro fosse investido na exploração do conhecimento sobre o fundo do mar. Já Maria Amélia Martins-Loução diz ser preciso tornar mais eficiente a produção de alimento, financiar medidas de restauro ecológico de áreas degradadas e de conservação da biodiversidade e aumentar os reservatórios de dióxido de carbono.

500 mil dólares

Uma viagem suborbital pode custar 500 mil dólares. Os custos anunciados inicialmente, de 250 mil dólares, subiram em virtude da procura.

Críticas antigas

Nos lançamentos das missões Apollo, houve manifestações contra o dinheiro usado na exploração espacial.

Experiência lusa

Uma experiência científica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto vai ao espaço na New Shepard, da Blue Origin, em 2022.


Nome: Richard Branson

Data: 11 de Julho

No início deste ano, a Virgin Galactic, de Richard Branson, lançou um avião espacial até à borda do espaço por duas vezes, em maio e julho. O milionário britânico de 70 anos foi um dos tripulantes.


Nome: Jeff Bezos

Data: 20 de Julho

Em julho, a Blue Origin levou Jeff Bezos e três outras pessoas à Linha Karman. Em outubro, o foguetão fez do ator William Shatner, o capitão Kirk de "Star Trek", a pessoa mais velha a ir ao espaço.


Nome: Elon Musk

Data: 15 de Setembro

A SpaceX, de Elon Musk, voou na chamada missão "Inspiration 4" e transportou quatro astronautas amadores para a órbita, onde permaneceram durante três dias dentro da nave espacial Dragon.

SALÁRIO MÍNIMO, PENSÕES E CRECHES: AS CEDÊNCIAS DO GOVERNO À ESQUERDA


Comissão Política do PS acredita que na aprovação do Orçamento do Estado.  

O primeiro-ministro anunciou na sexta-feira à noite, na Comissão Política do PS, um conjunto de medidas para acrescentar à proposta do Orçamento do Estado para 2022.

Entre as cedências à Esquerda do Governo estão o aumento do salário mínimo, um novo aumento das pensões e creches gratuitas.

A nível laboral, o secretário-geral do PS quer aumentar a renumeração do trabalho suplementar e incentivar a contratação coletiva.

No salário mínimo, quer chegar aos 705 euros em 2022, aos 750 em 2023 e aos 850 em 2025.

Nas pensões, a Comissão Política do PS comprometeu-se, por escrito, a um aumento extraordinário das pensões até ao valor de 1.097 euros a partir de janeiro e a aumentar o mínimo de existência em 200 euros.

Na saúde, a ideia é criar a carreira de Técnico Auxiliar de Saúde e um regime de dedicação plena para médicos do Serviço Nacional de Saúde.

O Governo quer ainda aumentar do mínimo de existência em 200 euros e creches gratuitas em 2022 para o primeiro ano.

VÍDEO: ILHA DE LA PALMA REGISTA SISMO DE 4,9 E NOVO COLAPSO DO CONE DO VULCÃO



A ilha espanhola de La Palma registou, este sábado, um sismo de 4,9 de magnitude, no dia em que o vulcão voltou a sofrer um colapso no cone principal, causando grandes derrames de lava.

De acordo com o Instituto Geográfico Nacional de Espanha, o sismo foi o de maior magnitude desde a erupção do vulcão há mais de um mês, tendo sido registado às 16:34 locais em Villa de Mazo, a 38 quilómetros de profundidade e sentido pela população em toda a ilha.

La Palma tem sido afetada diariamente com vários tremores de terra, por causa da atividade do vulcão, que hoje, ao 34 dia de erupção, sofreu um novo colapso no cone principal, causando significativos derrames de lava.

O presidente do arquipélago das Canárias, Ángel Víctor Torres, afirmou que "não se espera para já" o fim da erupção. "Ainda temos pela frente várias semanas de emergência", disse citado pela agência Efe.

O primeiro-ministro, Pedro Sánchez, esteve hoje novamente em La Palma para reiterar o compromisso do governo espanhol de ajudar a reconstruir o que ficar afetado pelo vulcão.

Até hoje, a lava expelida pelo vulcão já cobriu 889 hectares de terreno e destruiu 2.129 edifícios.

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

VÍDEO: ELEFANTA PISOTEIA CROCODILHO PARA PROTEGER FILHOTE EM PARQUE NA ZÂMBIA


Um turista registrou em vídeo um momento de fúria de uma elefanta: o pisoteamento de um crocodilo que tentava perseguir seu filhote às margens do rio Zambeze, na Zâmbia, no continente africano .

As imagens foram feitas pelo turista Hans Henrik Haahr durante um passeio que fazia com o Acampamento Baines River em agosto deste ano.

"Os convidados testemunharam o encontro dramático entre duas das figuras mais temidas na fauna da África", escreveu o acampamento em sua página oficial no Instagram.

O encontro foi chamado de dramático não à toa. No registro é possível ver o elefante batendo violentamente a tromba e pisoteando o crocodilo, que não consegue reagir. Em seguida, a fêmea puxa o animal, que já aparenta estar morto, para fora da água.

"Talvez este tenha sido um ataque de vingança alimentado por tentativas anteriores de emboscada por muitos crocodilos contra seus filhotes ou no rebanho maior", escreveu o acampamento em sua página na rede social.

FRANÇA DÁ "CHEQUE-COMBUSTÍVEL" DE 100 EUROS A PARTIR DE DEZEMBRO


Medida abrange cerca de 36 milhões de condutores que ganham menos de 2 mil euros por mês.

França vai dar a partir de dezembro um "cheque-combustível" único de 100 euros a cerca de 36 milhões de condutores que ganham menos de 2.000 euros por mês devido à escalada dos preços do gasóleo e da gasolina.

A medida, que abrange trabalhadores dependentes e independentes, desempregados à procura de emprego e reformados, foi anunciada pelo primeiro-ministro, Jean Castex, que, em declarações transmitidas na cadeia de televisão TF1, disse tratar-se de "uma resposta excecional para uma situação excecional".

O apoio financeiro será concedido uma única vez e surge após um crescente descontentamento público com a crise energética global, quando as famílias ainda estão a recuperar dos efeitos económicos da pandemia da covid-19.

Em setembro, o Governo francês prometeu uma assistência financeira de 100 euros para cerca de seis milhões de famílias de baixos rendimentos para as ajudar a pagar as faturas da eletricidade.

Castex anunciou que o congelamento dos preços do gás natural se manterá até ao fim do próximo ano.

COMBUSTÍVEIS EM FRANÇA

A questão dos combustíveis é particularmente sensível em França depois do aparecimento do movimento anti-Governo "coletes amarelos", que em 2018 começou por protestar contra o aumento dos impostos sobre os combustíveis.

Rapidamente, a contestação transformou-se num protesto geral contra a injustiça económica, que resultou em manifestações semanais, por vezes violentas.

PARLAMENTO CHUMBA ORÇAMENTO DO ESTADO

Cabe agora a Marcelo Rebelo de Sousa decidir sobre a dissolução do Parlamento e a marcação de eleições. A Assembleia da República chumbou es...