Translate

domingo, 27 de novembro de 2022

LÍDER DA COREIA DO NORTE PROMETE FORÇA ESTRATÉGICA NUCLEAR "MAIS PODEROSA DO MUNDO"


A Coreia do Norte, munida de armas nucleares, tem "a força estratégica mais poderosa do mundo", disse o líder Kim Jong-un numa cerimónia em que se celebrou o lançamento de um novo míssil intercontinental.

Kim concedeu uma série de promoções ao pessoal militar e aos cientistas envolvidos no desenvolvimento do novo Hwasong-17, apelidado de “míssil monstro” por analistas militares, capaz de atingir os Estados Unidos. Este míssil balístico intercontinental foi testado a 18 de novembro, caindo nas águas ao largo do Japão.

O Hwasong-17 é “a arma estratégica mais forte do mundo” e é “um magnífico salto em frente no desenvolvimento de tecnologia para montar ogivas nucleares em mísseis balísticos”, afirmou o líder citado hoje pela agência oficial KCNA, da Coreia do Norte.

Os cientistas, militares e responsáveis deste programa contribuíram para o “objetivo de construir o exército mais forte do mundo”, acrescentou.

É “a maior e mais importante causa revolucionária, e o seu objetivo último é possuir a força estratégica mais poderosa do mundo, a força absoluta sem precedentes no século”, sublinhou.

Hong Min, do Instituto Coreano para a Unificação Nacional, disse que a ênfase de Pyongyang no lançamento do teste Hwasong-17 destina-se a reforçar o seu estatuto como potência nuclear.

50 NOVOS RADARES DE CONTROLO DE VELOCIDADE VÃO ENTRAR EM FUNCIONAMENTO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2023


A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) prevê que os 50 novos radares de controlo de velocidade entrem progressivamente em funcionamento ao longo do primeiro trimestre de 2023.

Numa resposta enviada à agência Lusa, a ANSR indica que já se iniciaram os trabalhos de construção civil para a colocação dos 50 radares que fazem parte do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO), gerido pela ANSR, “prevendo-se a entrada em funcionamento progressivamente ao longo do primeiro trimestre de 2023”.

Estes novos 50 radares, que se vão juntar ao primeiro SINCRO que existe no país desde 2016, foram já anunciados há algum tempo pelo Ministério da Administração Interna e Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

A ANSR justificou a demora da entrada em funcionamento deste sistema “com o atraso do fornecimento dos equipamentos decorrente da situação excecional nas cadeias de abastecimento resultantes da pandemia da doença covid-19, da crise global na energia e dos efeitos resultantes da guerra na Ucrânia”.

Destes 50 novos radares, 30 vão ser instalados em Locais de Controlo Velocidade Instantânea (LCVI) e 20 em Locais de Controlo Velocidade Média (LCVM), estando previsto que 80% sejam colocados fora das autoestradas.

A ANSR precisa que 20 destes radares vão permitir detetar a velocidade instantânea e 10 são capazes de calcular a velocidade média num determinado trajeto.

De acordo com a ANSR, o SINCRO procede atualmente à fiscalização da velocidade dos condutores através “da medida da velocidade instantânea do veículo, ou seja, da sua velocidade no instante em que passa no local de controlo de velocidade”.

Os novos radares vão permitir “a fiscalização da velocidade praticada pelos condutores através da medida da velocidade média do veículo entre dois pontos predefinidos na estrada”.

Segundo a ANSR, os contratos de fornecimento e instalação dos novos radares de controlo de velocidade vão custar cerca de 5,6 milhões de euros.

A rede SINCRO é composta atualmente por 62 locais de controlo de velocidade instantânea instalados em várias estradas da rede rodoviária nacional equipados com 58 radares.

Os radares de controlo de velocidade operados pela ANSR foram colocados em locais onde a velocidade excessiva se revelou uma das causas para a sinistralidade, tendo a ANSR assumido como “objetivo principal a dissuasão dos condutores ao incumprimento dos limites de velocidade, fundamental para combater a sinistralidade e para salvar vidas”.

A ANSR ressalva que todos os locais com radares “estão sempre sinalizados, e são do conhecimento de todos para que os veículos reduzam a velocidade e consequentemente o risco de acidente e a gravidade dos mesmos”.

“Os locais que são controlados por radares do SINCRO além de, em termos globais, terem um efeito dissuasor sobre o incumprimento dos limites de velocidade e sobre a sinistralidade, têm tido também a nível local, na zona de influência de cada radar, um efeito na diminuição da sinistralidade”, frisa a Segurança Rodoviária.

A ANSR salienta que, em seis anos de funcionamento, os dados relativos aos locais onde foram instalados estes radares “comprovam inequivocamente o papel e o efeito dos mesmos enquanto instrumentos fundamentais para combater a sinistralidade rodoviária” uma vez que “todos os indicadores baixaram”.

Segundo a ANSR, quando comparado a igual período anterior à data de funcionamento deste sistema, registaram-se menos 36% vítimas mortais, menos 74% de acidentes com vítimas, menos 43% de feridos graves e menos 36% de feridos ligeiros.

Desde que entrou em vigor este sistema de radares de controlo de velocidade, a ANSR registou um total de 1.562.780 infrações, tendo sido 2020 (420.609), 2021 (349.139) e 2019 (323.589) os anos com maior número de multas.

COMBATE À POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA MORTAL COM SENSORES E SATÉLITES


A poluição atmosférica é uma grande ameaça para a saúde humana. Novos sensores e técnicas de recolha de dados irão ajudar a melhorar a qualidade do ar.

Todos os dias, respiramos cerca de 20 mil vezes por dia. O oxigénio no ar nutre as células do nosso corpo, mas quando o ar que respiramos contém partículas e produtos químicos nocivos, esses contaminantes podem também entrar no nosso corpo.

A poluição atmosférica é uma das maiores ameaças à saúde humana e mata milhões de pessoas em todo o mundo todos os anos. De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2019, 99% da população mundial vivia em locais onde a qualidade do ar não cumpria as diretrizes da OMS.

Na União Europeia, no mesmo ano, 307 mil pessoas morreram prematuramente em resultado da exposição crónica a pequenas partículas de poluição, segundo o relatório da Agência Europeia do Ambiente sobre a qualidade do ar na Europa.

Medição mínima

Para reduzir a poluição atmosférica, as cidades e municípios precisam primeiro de a medir. Mas o equipamento tradicional é caro e volumoso.

"São grandes contentores, de três por quatro metros, com o seu próprio ar condicionado e eletricidade 24 horas por dia, 7 dias por semana", revela Leonardo Santiago, da empresa de Barcelona Bettair Cities, coordenador de um projeto financiado pelo programa Horizonte Europa que pretende impulsionar uma tecnologia de medição mais ágil. "E depois têm de ter pessoas especializadas para fazer a manutenção".

É urgente a criação de melhores métodos para medir e mapear a poluição atmosférica.

Custo-benefício

As regras europeias exigem que as cidades da UE com mais de 100 mil habitantes controlem a qualidade do ar. Isso liberta cidades menores desta obrigação de controlo, das despesas e dos incómodos das estações de controlo tradicionais, e levam cidades maiores a usarem o mínimo de equipamento exigido, de acordo com Santiago.

"O número de estações que uma cidade normalmente tem, não é suficiente para criar um mapa real", disse. "Normalmente utilizam modelos matemáticos para estimar o que está a acontecer, mas não veem a realidade". Chamado MappingAir, o projeto integrado no programa Horizonte Europa criou uma plataforma que se baseia em dados de uma rede de sensores menos dispendiosos desenvolvidos pela Bettair Cities. Os sensores tipo capacete, criados por esta empresa, são colocados debaixo das lâmpadas dos candeeiros de rua inteligentes, para analisar o ar à procura de poluentes.

As estações de monitorização tradicionais custam mais de 200 mil euros, enquanto os sensores mais pequenos têm um preço de cerca de quatro mil euros e não requerem manutenção frequente e especializada. Para além de criar a plataforma de monitorização, o projeto, que terminou no mês passado após três anos de desenvolvimento, permitiu à Bettair Cities transformar o seu protótipo do seu sensor, num produto pronto a ser utilizado.

Sensores ágeis

O aparelho é atualmente utilizado em ruas e semáforos de várias cidades europeias e sul-americanas, com o maior teste a ser levado a cabo em Roma. Alguns destes sensores fazem parte de testes para mostrar a sua eficácia, enquanto outros são instalações comerciais. Mais metrópoles têm demonstrado interesse, disse Santiago.

Dentro da sua proteção plástica, o sensor contém células eletroquímicas que detetam a presença de poluentes. No entanto, estas células também reagem à humidade e à temperatura, o que pode distorcer as suas leituras.

"O que fizemos foi utilizar a inteligência artificial para analisar como todas estas variáveis afetam o sensor", disse Santiago. Os algoritmos de IA retiram com eficácia o ruído causado aos dados por outras variáveis, incluindo a humidade e a temperatura.

"Quando os dados dos sensores são introduzidos na "caixa negra da inteligência artificial" da empresa, o resultado é informação sobre poluição que cerca de 94% das vezes coincide com a que é produzida pelas estações tradicionais do tamanho de contentores", acrescenta.

As células só têm de ser substituídas de dois em dois anos, muito menos do que a manutenção regular das estações tradicionais. Uma vantagem adicional dos sensores é que também contêm monitores de poluição sonora.

Bem alto no céu

Os investigadores também estão a recorrer aos céus para combater a poluição atmosférica urbana.

Um projeto de investigação separado, que recorre a satélites em conjunto com estações de monitorização, gerou mapas da qualidade do ar para várias cidades de todo o mundo.

"Quando combinamos dados de observação da Terra com dados socioeconómicos, incluindo dados de saúde, aproximamo-nos muito mais dos problemas reais, ou das verdadeiras razões desses problemas", disse Evangelos Gerasopoulos, líder do projeto piloto de Vigilância Sanitária da Qualidade do Ar. "Estamos então também um passo mais perto da tomada de decisão". O seu trabalho faz parte da e-shape, um projeto integrado no programa Horizonte Europa que aproveita a imensidão de dados da infraestrutura europeia de observação da Terra em benefício das pessoas, em áreas que vão desde a agricultura e energia à saúde e à água.

"A e-shape foi construída com e para os utilizadores", disse Thierry Ranchin, diretor do Centro de Observação, Impactos e Energia da MINES ParisTech em França, e coordenador científico da e-shape. A plataforma piloto de qualidade do ar Teaser dá aos utilizadores, municípios, empresas e indivíduos, por exemplo, uma amostra do que é possível através da combinação de dados de observação da Terra, dados sanitários e socioeconómicos reconhecidos de 2018 a 2020.

Para dezenas de cidades de todo o mundo, a plataforma baseada na nuvem oferece um índice de risco agregado, utilizado para avaliar o impacto da qualidade do ar na saúde.

Por exemplo, durante os meses de Inverno, as principais estradas de Atenas são uma fonte de poluição atmosférica, mas são também áreas densamente povoadas. O mapa mostra não só a extensão da poluição mas também a exposição das pessoas em risco.

"Oferecemos um balcão único", disse Gerasopoulos, que trabalha no Observatório Nacional de Atenas, na Grécia.

Dados à medida

Em algumas cidades, o projeto juntou utilizadores locais para adaptar os dados às suas necessidades. Eleni Athanasopoulou, também a trabalhar no Observatório Nacional de Atenas, forneceu os seguintes exemplos dessas experiências de conceção conjunta:

Em Atenas, a equipa piloto da Vigilância Sanitária da Qualidade do Ar trabalhou com as autoridades da cidade e outros intervenientes para mapear, ao nível da rua, a exposição das pessoas aos produtos químicos mais comuns libertados pelos veículos. Em resposta às conclusões do projeto piloto, o Ministério da Saúde grego, confrontado com dados que ilustram a extensão do risco de poluição atmosférica, reforçou a sua monitorização ambiental.

Em Helsínquia, o projeto-piloto trabalhou com o governo finlandês e o sector privado para determinar como as indústrias em torno da cidade afetavam a qualidade do ar para os residentes. Em Munique, o foco foi a distribuição espacial da poluição atmosférica, permitindo aos utilizadores uma maior atenção a zonas específicas. E em Bari, Itália, os dados sobre a poluição atmosférica foram combinados com a densidade populacional e ligados a objetivos de desenvolvimento sustentável.

"Estes exemplos mostram as múltiplas maneiras como a informação da observação da Terra pode ser aplicada, e o poder da combinação de dados", disse Gerasopoulos.

"Diferentes comunidades, como a comunidade da saúde, podem não fazer ideia onde encontrar o tipo de dados que recolhemos da observação da Terra e nós não sabemos como obter os dados que essas comunidades produzem", afirmou. "O projeto demonstra a capacidade, perspetivas e potencial de os agregar".

A investigação neste artigo foi financiada pela UE. Este artigo foi originalmente publicado na Horizon, a Revista de Investigação e Inovação da UE. 

HACKER VENDE NÚMEROS DE WHATSAPP DE QUASE 500 MILHÕES DE UTILIZADORES


Um hacker pôs à venda na Internet números de telemóvel atualizados de quase 500 milhões de utilizadores do WhatsApp.

De acordo com o portal especializado "Cybernews", que teve acesso a uma amostra de dados e confirmou a grave ameaça de segurança, um vendedor postou um anúncio num conhecido fórum da comunidade de hackers, no dia 16 de novembro, alegando estar a vender um banco de dados de 2022 com 487 milhões de números de telemóvel do WhatsApp, que tem mais de dois mil milhões de utilizadores em todo o mundo.

O conjunto de dados diz respeito a pessoas de 84 países, com a maior fatia a calhar ao Egito, com 45 milhões de cidadãos atingidos. De resto, a falha afetou também Itália (35 milhões de utilizadores), Estados Unidos (32 milhões), Arábia Saudita (29 milhões), França e Turquia (com 20 milhões cada). O conjunto inclui ainda 11 milhões de contactos do Reino Unido, 10 da Rússia e oito do Brasil. Pelos dados relativos a cidadãos norte-americanos, o vendedor quer sete mil dólares (6721 euros), baixando para 2500 dólares (2400) o valor pedido pelos contactos britânicos.

Respondendo a um pedido dos investigadores da "Cybernews", o pirata informático partilhou uma amostra de dados, na qual foram verificados 1097 números de utilizadores do Reino Unido e 817 dos EUA. O site de notícias investigou todos os contactos incluídos na amostragem e conseguiu confirmar que são, de facto, utilizadores ativos do WhatsApp.

O vendedor não especificou como obteve os dados, sugerindo apenas que "usou a sua estratégia" para os recolher. As informações em causa são usadas principalmente por piratas informáticos em ataques de smishing (envio de mensagens de texto ou de WhatsApp fraudulentas) e vishing (chamadas telefónicas fraudulentas).

Contactada pela "Cybernews", a Meta, empresa que controla o WhatsApp, não recebeu resposta.

sábado, 26 de novembro de 2022

VÍDEO: BAILARINA ADORMECE EM PALCO DURANTE RECITAL. "ACORDA, CECÍLIA", GRITA MÃE


Um vídeo que mostra o momento em que uma criança se deixa dormir durante um recital de ballet, em Barueri, no estado brasileiro de São Paulo, está a tornar-se viral nas redes sociais.

O momento aconteceu no passado domingo, dia 20, e foi gravado pelos pais, que, no início, estavam na dúvida se a criança tinha mesmo adormecido ou não. "Acorda, Cecília! Deixa para dormir em casa", ouve-se a mãe, Cristiane Oliveira, a gritar num certo momento.

Ao som da música 'Pra te fazer dormir', a bailarina, de 4 anos, ficou mesmo imóvel enquanto as colegas continuavam a dançar no palco, sem a incomodar.

A criança acaba por acordar e, confusa com o que se passou, corre para perto do resto das colegas, com o público a festejar do despertar de Cecília.

MORREU FERNANDO GOMES, BIBOTA DE OURO


Fernando Gomes, melhor marcador da história do FC Porto e “bibota” de ouro, morreu esta -feira, aos 65 anos. O clube está de luto perante a perda de um dos seus maiores ídolos.

A transformação do FC Porto num clube ganhador após o 25 de abril teve como momentos mais significativos duas conquistas com caráter quase fundacional: a da liga portuguesa de 1977/78, que colocou um ponto final num longuíssimo jejum de 19 anos sem o principal título nacional; e a da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1986/87, que inaugurou um palmarés internacional que não tem paralelo entre os clubes portugueses. Houve um único jogador protagonista nestes dois acontecimentos separados por nove anos: Gomes, o melhor marcador da história do FC Porto.

Nascido no Porto a 22 de novembro de 1956, Fernando Mendes Soares Gomes tinha 14 anos de idade quando, durante as férias de verão, foi de Rio Tinto ao Campo da Constituição a pé para participar nas captações do FC Porto. Não precisou de muitos minutos para impressionar António Feliciano histórico treinador e formador de campeões azuis e brancos e garantir uma vaga no plantel de juvenis a partir dos 15 anos. Apenas três anos mais tarde, aos 17, na primeira jornada do campeonato de 1974/75, estreou-se pela equipa principal e marcou os dois golos da vitória por 2-1 sobre a CUF.

Ainda que o arranque tenha sido fulgurante, ninguém podia imaginar que aquele adolescente estava destinado a marcar uma era no FC Porto, que com ele na frente de ataque viria a ganhar ao longo das duas décadas seguintes muito mais do que o que havia alcançado em toda a história até então. Claro que as conquistas não foram só de Gomes foram coletivas, mas é impossível iludir o impacto individual de um jogador que bateu todos os recordes: quando vestiu a camisola do clube pela última vez, a 22 de janeiro de 1989, já havia muito que tinha superado os registos de golos de atletas míticos como Pinga, Araújo, Correia Dias, Hernâni e Teixeira.

Gomes marcou 355 golos em 452 jogos oficiais pelo FC Porto. E muitos deles foram decisivos: em 1977, assinou o único da final da Taça de Portugal disputada com o Braga primeiro troféu conquistado pelo clube desde 1968; em 1985, fez o golo da vitória na Luz, perante cerca de 30 mil portistas, num jogo que foi um passo importante rumo à conquista do título; em 1987, na segunda mão das meias-finais da Taça dos Campeões Europeus, foi o autor de um dos golos frente ao Dínamo de Kiev que valeram a qualificação para a final de Viena; e em dezembro do mesmo ano, em Tóquio, foram dele e de Madjer os golos que fizeram do FC Porto campeão do mundo contra o Peñarol. Além disso, picou o ponto nos jogos que confirmaram os títulos nacionais de 1978, 1979, 1985, 1986 e 1988.

A impressionante eficácia ofensiva de Gomes valeu-lhe inúmeros prémios individuais. Foi seis vezes o melhor marcador da liga portuguesa em 1977, 1978, 1979, 1983, 1984 e 1985, e em duas sagrou-se mesmo o maior goleador de todos os campeonatos europeus. Recebeu, por isso, a bota de ouro em 1983 e 1985, justificando a alcunha que lhe ficará eternamente associada: Bibota. Entretanto, no plano coletivo, juntou cinco campeonatos nacionais, três taças e três supertaças, além de uma Taça dos Campeões Europeus, uma Taça Intercontinental e uma Supertaça Europeia.

Gomes deixou o FC Porto pela primeira vez em 1980, para representar o Sporting Gijón e marcar 16 golos em Espanha, durante duas temporadas condicionadas por problemas físicos. Em abril de 1982, o regresso do camisola nove a casa foi uma das bandeiras da primeira candidatura presidencial de Jorge Nuno Pinto da Costa. A sua concretização muito afetada pelo estado depauperado das finanças do clube não foi fácil, mas aconteceu. E Gomes continuou a marcar golos e a ganhar títulos de azul e branco durante mais sete anos. Pelo meio, sucedeu a Rodolfo como capitão. Fechou a carreira com duas temporadas e 38 golos ao serviço do Sporting. Pela seleção de Portugal, participou em 47 jogos, marcou 11 golos e esteve entre os convocados para o Europeu de 1984 e o Mundial de 1986.

A ligação de Fernando Gomes ao FC Porto não se esgota na condição de atleta. Sócio do clube desde os seis anos, serviu-o como dirigente nas últimas décadas, com responsabilidades em áreas como o scouting e o futebol de formação. A qualidade com que desempenhou estas funções valeu-lhe, em 2021, o Dragão de Ouro de dirigente do ano em 1986, na primeira edição destes prémios, tinha sido galardoado como futebolista do ano. Quando lhe foi entregue a última distinção, a 29 de novembro do ano passado, o eterno Bibota comentou que, depois de ter recebido tanto do clube, não contava que o FC Porto ainda tivesse alguma coisa para lhe dar. Tinha e terá sempre, porque não há como pagar o que Gomes deu à causa.

Neste momento, onde quer que haja um portista em Portugal e no mundo, há dor e luto. Fernando Gomes morreu aos 65 anos de idade, depois de três anos a lutar com um cancro.


EUA INTERDITAM OFICIALMENTE EQUIPAMENTOS DE TELECOMUNICAÇÃO CHINESES


O regulador de telecomunicações dos Estados Unidos determinou esta sexta-feira a proibição de equipamentos e serviços de telecomunicações fornecidos por quase meia dúzia de empresas chinesas, incluindo as fabricantes Huawei e ZTE.

Este decreto visa empresas consideradas uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos e diz respeito à venda de qualquer novo produto em solo norte-americano, pois deixa de permitir a obtenção de autorização de comercialização.

As empresas afetadas são a Huawei e ZTE, já sujeitas a regras equivalentes no passado, bem como da Dahua e da Hikvision, que fornecem equipamentos de videovigilância, e da Hytera, especializada em equipamentos de rádio.

Os produtos já autorizados pela Comissão Federal de Comunicações (FCC, em inglês), vão continuar a ser autorizados por enquanto.

"Estas novas regras representam uma parte importante das ações implementadas para proteger o povo norte-americano de ameaças à segurança nacional envolvendo equipamentos de telecomunicações", realçou a responsável da da FCC, Jessica Rosenworcel, citada em comunicado.

O regulador pondera também reexaminar as autorizações já concedidas, bem como os procedimentos de revisão das interdições anunciadas.

Tal como o seu antecessor, Donald Turmp, a administração liderada por Joe Biden adotou uma linha firme contra os fabricantes chineses de equipamentos de telecomunicações, suspeitos de espionagem em benefício de Pequim.

Em maio de 2020, o Governo Trump tinha exigido que os subcontratados da Huawei solicitassem autorização para usar componentes norte-americanos, bloqueando efetivamente o fornecimento ao fabricante de equipamentos de produtos fabricados por empresas sediadas nos Estados Unidos.

A decisão penalizou a atividade do grupo, sobretudo nos smartphones onde a Huawei quase desapareceu do mercado.

A FCC colocou na altura, em março de 2021, a Huawei, ZTE, Hytera Communications, Hangzhou Hikvision Digital Technology e Dahua Technology numa 'lista negra' de empresas que representam "um risco inaceitável" para a segurança nacional dos Estados Unidos.

Também em 2021, em junho, a agência demonstrou ser favorável a um plano para banir autorizações concedidas a empresas chinesas de equipamentos de telecomunicações.

"Apesar de identificar problemas de segurança com equipamentos de telecomunicações Huawei e ZTE já em 2019, esta agência continuou nos últimos anos a conceder aprovação a estes equipamentos", realçou Rosenworcel na altura.

"Em outras palavras, deixamos em aberto oportunidades para seu o uso nos Estados Unidos por meio do nosso processo de autorização de equipamentos. Agora propomos fechar essa porta", acrescentou.

Esta proibição levantou preocupações entre as pequenas operadoras de telecomunicações, que são as únicas a usar equipamentos Huawei e ZTE na sua rede. Em setembro de 2020, a FCC estimou que a substituição destes equipamentos custaria mais de 1.800 milhões de dólares (cerca de 1.700 milhões de euros).

sexta-feira, 25 de novembro de 2022

433 CASOS DE MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA DETETADOS EM PORTUGAL


Foram detetados em Portugal, nos últimos quatro anos, 433 casos de mutilação genital feminina (MGF), maioritariamente feitos na Guiné-Bissau (272) e Guiné Conacri (126), com um aumento gradual dos registos de mutilações praticadas no Senegal. Apenas um deles ocorreu em território nacional, em 2021, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Um relatório da Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil da DGS, publicado esta sexta-feira, revelou que, entre janeiro de 2018 e dezembro de 2021, foram detetados 433 casos de mutilação genital feminina em Portugal. Em média, a realização da mutilação ocorreu aos 8,4 anos de idade e muitas mulheres apresentam sequelas.

Recuando a 2014, a DGS diz que foram detetados 668 casos de mutilação genital feminina em Portugal, sendo que a tendência tem sido de crescimento: 63 casos detetados em 2018, 126 em 2019, 99 em 2020 e 138 em 2021. Em cerca de 75% dos casos a mutilação ocorreu até aos 9 anos de idade, tendência que se mantém relativamente aos anos anteriores.

A maioria dos casos (43,4%) registou-se durante a vigilância da gravidez, sendo que as unidades da Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo detetaram quase a totalidade dos casos reportados.

Segundo a DGS, do total de casos registados 426 casos foram considerados válidos e houve esclarecimento em 83,8% (357).

Consequências da excisão

Quanto às consequências resultantes desta excisão, durante este período, 196 mulheres tiveram complicações, entre as quais 120 relativas à resposta sexual, 120 a complicações do foro psicológico, 113 com consequências obstétricas e 87 com sequelas uro-ginecológicas.

"Com a recolha desta informação pretende-se dar a conhecer à mulher os seus próprios direitos, numa perspetiva educativa e preventiva, considerando que a mulher informada poderá prevenir na comunidade as implicações nefastas desta prática", explicou, em comunicado, a DGS.

A DGS compromete-se a "aprofundar o conhecimento sobre o fenómeno da MGF em Portugal, melhorando a qualidade dos registos", até 2030, com vista à promoção de "estratégias eficazes de combate e erradicação da MGF". Define ainda como objetivos "aprofundar o conhecimento sobre os contextos socioculturais que permitem a prática" e a replicação da mutilação genital feminina.

Em Portugal, a monitorização destes casos é feita através da plataforma Registo de Saúde Eletrónico - Portal do Profissional (RSE-AP) que incluí um item sobre "enquadramento legal" para saber se a mulher foi informada sobre a legalidade da prática de mutilação genital feminina em Portugal.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEFF) pelo menos 200 milhões de adolescentes e mulheres foram submetidas a mutilação genital feminina, em 30 países diferentes.

ATAQUE A TIRO PROVOCA TRÊS MORTOS E 11 FERIDOS EM DUAS ESCOLAS DO BRASIL


Um ataque a tiro em duas escolas provocou, nesta sexta-feira, pelo menos três mortos e deixou outras 11 pessoas feridas em Aracruz, cidade no estado brasileiro do Espírito Santo, referiram os média locais.

Os disparos foram perpetrados por um atirador ainda não identificado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Primo Bitti e na escola particular Centro Educacional Praia de Coqueiral, segundo o Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande.

"Com sentimento de pesar e muita tristeza, estou acompanhando de perto a apuração da invasão nas escolas Primo Bitti e Darwin, em Aracruz. Todas as nossas forças de segurança estão empenhadas. Determinei o deslocamento dos secretários de Segurança e Educação para acompanhar os trabalhos", escreveu o governador na rede social Twitter.

Citando um agente da polícia que está no local, o portal de notícias G1 informou que o atirador entrou primeiro na escola Primo Bitti com uma arma e fez vários disparos. O atirador terá invadido a sala dos professores e matado duas pessoas.

O suspeito estava com roupas camufladas, usava um colete e uma arma automática no atentado, segundo polícias citados pelos 'media' locais, que iniciaram as investigações. O autor dos disparos está foragido e armado.

Na sequência, o atirador seguiu num carro para a escola particular Centro Educacional Praia de Coqueiral, localizada na mesma região em que fez o primeiro ataque.

Nesta segunda escola, o atirador matou um aluno e deixou cinco pessoas feridas, segundo os 'media' brasileiros.

quinta-feira, 24 de novembro de 2022

PUTIN ORDENA ENVIO DE MAIS ARMAMENTO "DE QUALIDADE"AO EXÉRCITO RUSSO


O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou esta quinta-feira o fornecimento de mais armamento "de qualidade" às tropas que combatem na Ucrânia, quando se cumprem nove meses do início da campanha militar desencadeada por Moscovo.

"É importante não apenas aumentar o volume e a variedade dos fornecimentos, mas também melhorar a sua qualidade", disse Putin durante uma reunião do Conselho Coordenador destinado a garantir as necessidades das Forças Armadas.

Putin pediu a melhoria do funcionamento do mecanismo de comunicação entre os militares, os produtores e os fabricantes, com o objetivo de introduzir correções nos pedidos quando seja necessário.

"Não há necessidade de introduzir medidas extraordinárias. Mas temos de pôr em marcha um trabalho preciso, de qualidade, bem coordenado. Isso é sempre útil, mas neste caso é simplesmente necessário garantir oportunamente tudo o que seja necessário para as nossas Forças Armadas durante a operação militar especial", indicou, utilizando a designação dada pelo Kremlin à invasão da Ucrânia.

Neste sentido, considerou que os soldados no terreno devem receber o armamento e equipamento em datas e quantidades previamente determinadas.

Os serviços de informações norte-americano e britânico indicam desde há alguns meses que o Exército russo enfrenta escassez de efetivos, armamento e munições na Ucrânia.

O secretário da Defesa norte-americano, Lloyd Austin, considerou na quarta-feira que a Rússia enfrenta uma "penúria significativa" de munições para a sua artilharia, em grande medida devido aos problemas logísticos que enfrenta e que poderão limitar no futuro as suas operações no terreno.

Austin também garantiu que as tropas russas possuem cada vez manos mísseis de precisão e que a sua indústria de Defesa enfrenta graves dificuldades para fabricar com rapidez novo armamento teleguiado.

Diversos peritos europeus citados por diversos 'media' têm considerado que a retirada russa do terço norte da região de Kherson foi motivada, mais que o avanço do inimigo ou problemas de abastecimento, pela escassez de munições, que apenas chegariam para mais um mês de combates.

No caso dos mísseis de cruzeiro Iskander, que provocaram elevados danos na infraestrutura militar e civil ucraniana, a Rússia apenas disporia de mais 120 unidades.

Perante a impossibilidade de garantir avanços significativos no campo de batalha, o Exército russo optou por desencadear bombardeamentos massivos contra a infraestrutura energética ucraniana e quando se aproxima o inverno, com Kiev a pedir ao ocidente o urgente envio de baterias antiaéreas.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.595 civis mortos e 10.189 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

quarta-feira, 23 de novembro de 2022

CASAL DE NAMORADOS MORREU SOTERRADO NUM DESLIZAMENTO DE TERRAS EM ESPOSENDE


Um casal de 22 anos morreu numa habitação atingida por um deslizamento de terras em Esposende. Dois adultos e duas crianças foram retirados ilesos. PJ investiga causas.

Uma habitação unifamiliar, situada na rua Barros Lima, em Palmeira de Faro, foi atingida por um deslizamento de terras e pedras de grandes dimensões, esta quarta-feira de madrugada. O alerta foi dado às 3.55 horas.

Na habitação estavam seis pessoas: um casal com cerca de 40 e 50 anos, duas crianças com dois anos e 12 anos e uma rapariga e um rapaz, ambos com 22 anos, indicou Rui Costa, 2.º comandante da Proteção Civil de Braga, aos jornalistas no local.

As vítimas mortais são os jovens de 22 anos, namorados, que estavam no primeiro andar. Ela residia na moradia em causa, com a mãe, o companheiro da mãe e os dois irmãos menores. Ele pernoitou na casa da namorada.

A derrocada de terras e blocos de granito aconteceu na parte de trás da habitação de três pisos cave, rés-do-chão e primeiro andar e atingiu diretamente o quarto onde dormia o casal de namorados e o quarto onde estava a criança de 12 anos.

"Operação demorada", PJ investiga

Os corpos das vítimas foram retirados dos escombros, depois de vários trabalhos para assegurar as condições de segurança do local, onde estiveram os Bombeiros de Esposende com 15 operacionais e cinco veículos, numa "operação demorada" que decorreu durante várias horas, de acordo com a corporação. Foram também mobilizados psicólogos do INEM e da autarquia para prestarem apoio aos sobreviventes e familiares das vítimas, além do INEM e GNR.

A Polícia Judiciária (PJ) vai investigar as circunstâncias do deslizamento de terra. Já foi feita uma primeira deslocação de inspetores ao local, para recolha de informação e registo fotográfico. "Posteriormente, quando a situação no terreno estiver consolidada e tivermos luz verde da Proteção Civil, voltaremos lá para continuar a investigação", disse fonte da PJ à agência Lusa.

Município não conhece reclamação quanto a perigo de derrocada

O município de Esposende diz desconhecer a existência de qualquer reclamação apresentada pelo proprietário da habitação onde decorreu a derrocada, quanto a eventuais situações que pudessem pôr em perigo a mesma.

Em comunicado, a Câmara de Esposende refere que se trata de uma casa licenciada inserida numa operação de loteamento datada de 1994, constituída por 14 lotes, e que o lote em causa "dispõe de autorização de utilização, sendo que a área da derrocada se encontra parcialmente dentro da delimitação do mesmo lote".

A Autarquia de Esposende lamenta a morte do casal e manifesta total solidariedade com os familiares das vítimas notando ainda ter disponibilizado meios de proteção civil, apoio psicológico e serviços sociais. A mesma fonte refere que os moradores da casa afetada assim como das habitações contíguas foram realojados em casa de familiares.



terça-feira, 22 de novembro de 2022

MANCHESTER UNITED À VENDA APÓS A RESCISÃO DE CRISTIANO RONALDO

 


Dia repleto de novidades em Old Trafford. Horas depois de o Manchester United comunicar a rescisão do contrato de Cristiano Ronaldo, eis que surgem informações que dão conta da vontade da família Glazer em vender, de uma vez por todas, o clube.

De acordo com a estação televisiva britânica Sky News, os empresários norte-americanos já terão mesmo procurado conselhos no que a este processo diz respeito junto de entidades bancárias, pelo que poderá mesmo começar a desenrolar-se dentro em breve.

Em cima da mesa, acrescenta a publicação, está "uma venda completa ou parcial, ou uma parceria estratégica com terceiros", estando "iminente" a divulgação de um comunicado oficial dando conta dessa mesma intenção aos adeptos.

A confirmar-se, este será o fim do 'reinado' dos Glazers, que dura já há 17 anos, e que ficou marcado por constantes protestos por parte da massa associativa. Os mais recentes prenderam-se com o papel do clube na criação da Superliga Europeia.

ALEMANHA COLOCA FIFA EM TRIBUNAL PARA USAR A BRAÇADEIRA ARCO-ÍRIS


A Federação Alemã de Futebol (DFB) vai avançar com um processo contra a FIFA junto do Tribunal Arbitral do Desporto (CAS), em Lausanne, depois de a seleção ter sido impedida de usar a braçadeira arco-íris, no Campeonato do Mundo.

A decisão foi confirmada, esta terça-feira, pelo porta-voz do organismo, Steffen Simon, ao jornal germânico Bild, que não escondeu a deceção para com a medida: "A FIFA proibiu-nos de defender a diversidade e os direitos humanos".

"Esta medida foi combinada com enormes ameaças de sanções desportivas sem que estas tivessem sido especificadas. A DFB está a tentar verificar se esta ação por parte da FIFA foi legal", explicou o responsável da Federação.

O objetivo da DFB passa por conseguir que o CAS aplique uma medida cautelar que proteja Manuel Neuer o capitão e a restante equipa de serem alvo de qualquer tipo de sanção desportiva por usar este acessório alusivo ao movimento LGBTQ+, durante o Mundial.

Visto ser impossível conseguir uma decisão antes do encontro da jornada inaugural do Grupo E, diante do Japão, que se realiza na quarta-feira, a Alemanha pretende que a dita medida entre em vigor a partir do jogo da segunda ronda, contra Espanha, no domingo.

segunda-feira, 21 de novembro de 2022

VÍDEO: JORNALISTA ARGENTINA ASSALTADA EM DIRETO NO QATAR. POLÍCIA PEDIU QUE ESCOLHESSE A PUNIÇÃO PARA O LADRÃO


A jornalista argentina Dominique Metzger é a protagonista de um dos episódios mais inusitados do Campeonato do Mundo. A trabalhar para o Todo Notícias, Metzger foi assaltada quando fazia um direto. Mas o que a surpreendeu foi o facto de a polícia deixar nas suas mãos a pena a aplicar ao delinquente, que assegurou ir encontrar.

“Estava a dançar (durante a reportagem) com a multidão e estou convencida de que o roubo aconteceu nesse momento”, contou citada pelo jornal El Español, frisando não ter dado pelo furto e que só percebeu que não tinha a carteira quando quis comprar uma garrafa de água. A jornalista explicou ainda que a polícia a aconselhou a apresentar queixa numa esquadra, garantindo que “tudo está vigiado” e, como tal, acabariam por encontrar a carteira com documentos, dinheiro e cartões.

Foi então que ocorreu o episódio que a deixou estupefacta. “A determinada altura, os polícias dizem-me: ‘O quer que quer que a justiça faça a este respeito? Vamos encontrar a carteira. Temos câmaras em todo o lado, de alta tecnologia’”, contou, assumindo que achou que estava a entender mal a tradução.

No entanto, não era erro e as autoridades policiais qataris queriam mesmo saber o que esperava Dominique Metzger que a justiça fizesse com quem fosse detido pelo furto. “Insistiam em perguntar-me que pena queria para o ladrão, se queria que o condenassem a cinco anos de prisão, que fosse deportado…”, relatou, frisando que os polícias lhe diziam que “podia escolher” a pena a aplicar. “Fiquei arrepiada”, confessou, citada pelo mesmo jornal espanhol.

A jornalista procurou explicar, então, que estava ali apenas para que aparecessem as coisas roubadas. “Não queria pôr-me no lugar da Justiça”, finalizou.

Pela primeira vez na história dos Mundiais, os 8 estádios onde se desenrola a competição estão num raio de 70 km, segundo a EFE. Uma proximidade que permitiu ao governo qatari criar um plano de segurança que inclui 15 mil câmaras de videovigilância e inteligência artificial.

ALEMANHA VAI FORNECER À POLÓNIA SISTEMA DE DEFESA ANTI-AÉREA PATRIOT


O Governo alemão disponibilizou-se esta segunda-feira para fornecer à Polónia um sistema de defesa antiaérea Patriot, depois da queda de um míssil em território polaco, que matou duas pessoas na semana passada.

"Oferecemo-nos para ajudar a Polónia a manter seguro o seu espaço aéreo com os nossos Eurofighter (aviões) e sistemas de defesa aérea Patriot, disse a ministra alemã da Defesa, Christine Lambrecht, numa entrevista ao diário Rheinische Post.

Duas pessoas foram mortas na semana passada por um míssil que atingiu a aldeia polaca de Przewodow, perto da fronteira ucraniana, numa explosão que Varsóvia e a NATO disseram que foi provavelmente causada por um míssil defensivo ucraniano.

A Alemanha já se tinha oferecido à Polónia para a apoiar com patrulhas aéreas.

"Congratulo-me com a proposta alemã", respondeu o ministro da Defesa polaco, Mariusz Blaszczak, no Twitter, sobre o sistema de mísseis terra-ar Patriot, de fabrico norte-americano.

"Na minha conversa telefónica com as autoridades alemãs hoje vou propor que o sistema seja estacionado perto da fronteira com a Ucrânia", acrescentou.

Unidades antiaéreas Patriot alemãs já estão destacadas na Eslováquia. Berlim pretende mantê-las lá "até ao final de 2023 e potencialmente até mais", avançou também hoje a ministra da Defesa alemã.

domingo, 20 de novembro de 2022

FIFA PROÍBE INGLATERRA DE USAR BRAÇADEIRA DE APOIO À CAUSA LGBTQ+ NO CATAR


O jornal "The Telegraph" avançou, este domingo, que a FIFA proibiu a seleção inglesa de usar a braçadeira "One Love", de apoio à causa LGBTQ+, no Mundial de 2022, que arrancou este domingo no Catar.

Segundo a mesma publicação, o organismo que rege o futebol mundial informou a Federação que os regulamentos não permitem que Harry Kane, capitão da Inglaterra, use a braçadeira com tons arco-íris durante o Mundial. A federação inglesa, que, a par da alemã, já tinha anunciado que estaria preparada para pagar uma multa devido à utlização da referida braçadeira no Catar, onde a homossexualidade é punida por lei, terá mesmo reagido com frustração perante a decisão de FIFA.

A Inglaterra está incluída no grupo B do Mundial de 2022, juntamente com os Estados Unidos, Irão e País de Gales e esteia-se esta segunda-feira na competição.

PRESIDENTE DA FIFA ANUNCIA INVESTIMENTO DE 969 MILHÕES PARA "DESENVOLVIMENTO" DO FUTEBOL


O presidente da FIFA, Gianni Infantino, anunciou estou domingo em Doha, antes de começar o Mundial2022 de futebol, "um investimento adicional de mil milhões de dólares (969 milhões de euros) para o desenvolvimento do futebol" a nível global.

O dirigente sublinhou que, "apesar da pandemia e de outros momentos de crise em todo o mundo, a receita da FIFA no final do ano será de 7,5 mil milhões de dólares (7,3 mil milhões de euros) , mais de mil milhões (de dólares) acima do orçamento".

Essa verba extra vai permitir à entidade que rege o futebol mundial obter um resultado líquido de mil milhões de dólares, antecipou Infantino, que quer aplicar o lucro no desenvolvimento da modalidade.

“Basicamente, teremos um resultado líquido esperado de mil milhões de dólares, que podemos investir no futebol desde já, a partir de agora e no próximo ciclo, para fazer o futebol crescer ainda mais no mundo”.

O Mundial2022 arrancou este domingo em Doha, com o jogo entre o anfitrião Qatar e o Equador, para o Grupo A, e prolonga-se até 18 de dezembro.

PARLAMENTO EUROPEU DECLARA RÚSSIA UM ESTADO PATROCINADOR DO TERRORISMO


O Parlamento Europeu (PE) vai aprovar na quarta-feira, em Estrasburgo (França), uma resolução que reconhece a Rússia como um Estado patrocinador do terrorismo para que Moscovo venha a responder por crimes alegadamente cometidos na Ucrânia.

A resolução, que foi debatida na sessão plenária de outubro, tem aprovação garantida pelos dois maiores grupos do PE, o Partido Popular Europeu (PPE) e a Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D).

Uma delegação dos Verdes/Aliança Livre Europeia, que incluía a vice-presidente Terry Reintke (Alemanha), discutiu a iniciativa do PE em Kiev com o chefe-adjunto de gabinete presidencial, Ihor Zhovkva, anunciou a presidência ucraniana em comunicado no sábado.

"Este comportamento da Rússia é uma justificação direta para a necessidade de o Parlamento Europeu adotar uma resolução designando a Rússia como um Estado patrocinador do terrorismo", disse Zhovka, referindo-se aos ataques russos na Ucrânia, citado no comunicado.

Zhovka registou os esforços dos Verdes/Aliança Livre Europeia em "assegurar um forte apoio à Ucrânia" por parte do PE, incluindo iniciativas para investigar e julgar alegados crimes de guerra russos, e para criar um mecanismo de compensação pela Rússia dos danos causados ao país vizinho.

A resolução, que será votada no dia em que se completam nove meses da invasão russa, não tem caráter vinculativo, tal como as resoluções a condenar o regime do Presidente Vladimir Putin aprovadas pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

"Ao declarar a Rússia como um Estado patrocinador do terrorismo, os eurodeputados querem preparar terreno para que Putin e o seu Governo sejam responsabilizados por estes crimes perante um tribunal internacional", disse o PE na antecipação da sessão plenária de novembro, que começa na segunda-feira.

A União Europeia (UE) não tem um quadro legal que lhe permita declarar um Estado como patrocinador do terrorismo como lembrou a comissária europeia para os Assuntos Internos, a sueca Ylva Johansson, no debate em outubro, ao contrário dos Estados Unidos.

O Departamento de Estado norte-americano tem atualmente a Síria (desde 1979), o Irão (1984), a Coreia do Norte (2017) e Cuba (2021) na lista de Estados patrocinadores do terrorismo.

Em setembro, a administração do Presidente Joe Biden anunciou que não iria incluir a Rússia na lista, apesar de resoluções nesse sentido aprovadas pelas duas câmaras do Congresso, por receio de "consequências não intencionais para a Ucrânia e para o mundo".

Ainda sobre a guerra na Ucrânia, a agenda da sessão de novembro do PE inclui a aprovação de um empréstimo de 18.000 milhões de euros a Kiev e um debate sobre os esforços internacionais para evitar uma crise alimentar.

Os eurodeputados também vão debater a não aceitação na UE de passaportes emitidos pela Rússia em áreas ilegalmente ocupadas da Geórgia e da Ucrânia.

Na agenda, está igualmente a aprovação do orçamento da UE para 2023, que "visa maior eficácia em lidar com as consequências da guerra na Ucrânia e o processo de recuperação da pandemia" de covid-19.

A criação de um roteiro para as competências digitais, a gestão dos fluxos migratórios para a Europa, o reforço da presença de mulheres nos conselhos de gestão das empresas, os direitos humanos no Catar e a proteção de infraestruturas essenciais da UE são outros dos temas do plenário.

Os eurodeputados vão ainda assinalar, na terça-feira, os 70 anos do PE, numa cerimónia que abrirá com uma declaração da presidente do parlamento, a maltesa Roberta Metsola.

LÍDER DA COREIA DO NORTE PROMETE FORÇA ESTRATÉGICA NUCLEAR "MAIS PODEROSA DO MUNDO"

A Coreia do Norte, munida de armas nucleares, tem "a força estratégica mais poderosa do mundo", disse o líder Kim Jong-un numa cer...