Translate

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

NOVO CONFINAMENTO EM FRANÇA PODE SER ANUNCIADO HOJE POR MACRON

 


O Presidente francês fala hoje ao país, depois de reuniões do gabinete de crise e do primeiro-ministro.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, vai fazer hoje um discurso, transmitido pela televisão, para anunciar medidas de combate ao avanço da pandemia, anunciaram esta terça-feira os serviços da Presidência.

Entre estas medidas pode estar um novo confinamento da população.

A intervenção de Macron vai ocorrer depois de o gabinete de crise ministerial ter feito duas reuniões e de o seu primeiro-ministro, Jean Castex, ter reunido esta terça-feira com forças partidárias representadas no parlamento, associações de autarcas e parceiros sociais.

O chefe do governo considerou "indispensável" adotar novas medidas, menos de duas semanas depois de instaurar um recolher obrigatório a dois terços da população, que não conseguiu deter o avanço dos contágios.

"Temos que mobilizar os representantes nacionais e o conjunto do país", escreveu Castex na rede social Twitter, adiantando que na quinta-feira vai às duas câmaras parlamentares defender o plano para travar a propagação do vírus.

MEDIDAS POSSÍVEIS

Segundo vários meios de comunicação, o executivo pondera várias hipóteses, entre as quais ganha peso um novo confinamento da população, meio ano depois do que se viveu no país entre março e maio últimos.

A avançar agora, seria menos rigoroso, mantendo abertas escolas e outras atividades essenciais.

Outras possibilidades são as de um confinamento local, de alguns departamentos mais afetados, ou um simples endurecimento do recolher obrigatório, opção que parece estar a perder peso.

"Devemos esperar decisões difíceis", alertou ontem o ministro do Interior, Gérald Darmanin, evocando as novas restrições previstas em Itália, Espanha e República Checa.

VÍRUS "FORA DE CONTROLO"

A circulação do vírus "está fora de controlo", estimou o infeciologista Gilles Pialoux, na estação televisiva BFM-TV, apelando explicitamente a "reconfinar o país".

As organizações patronais já preveniram para o risco de a economia afundar.

"Se reconfinarmos totalmente, como em março, vamos para um afundamento da economia francesa e arriscamo-nos a não recuperar", avisou o presidente da organização patronal Medef, Geoffroy Roux de Bézieux.

Entretanto, o governo indicou que as residências de idosos vão contar, a partir dos próximos dias, testes rápidos de antigénios para procurar reduzir os prazos de diagnóstico e evitar os focos de contágio.

A ministra Brigitte Bourguignon justificou a novidade, por ser um mecanismo necessário par realizar diagnósticos rápidos e "evitar focos perigosos em uma segunda vaga, que está a ser muito forte".

FRANÇA REGISTA MAIOR NÚMERO DIÁRIO DE MORTES POR COVID-19 DESDE ABRIL

A França registou 258 mortes associadas à doença covid-19 esta segunda-feira, o maior número desde abril, divulgaram as autoridades sanitárias francesas, informando igualmente que mais de 13 mil pessoas foram hospitalizadas no mesmo período.

No mesmo dia, médicos franceses alertaram que o país "perdeu o controlo da epidemia" de covid-19.

Sem comentários:

LADRÕES FICAM PRESOS EM TÚNEL QUE ESCAVARAM PARA ASSALTAR BANCO EM ROMA

Um grupo de ladrões escavou um túnel de seis metros a partir de uma loja com a presumível intenção de assaltar um banco, em Roma, mas o plan...