tradutor com bandeiras. Google Translate

terça-feira, 13 de outubro de 2020

PELA SEGUNDA VEZ ESTE ANO A GALP ENERGIA SUSPENDE A PRODUÇÃO DE COMBUSTIVEL EM MATOSINHOS

 


A dificuldade em escoar “stock” devido aos impactos da pandemia levaram a Galp a suspender a produção de combustíveis em Matosinhos pela segunda vez este ano.

A Galp Energia suspendeu no passado dia 10 de outubro a atividade de produção de combustíveis na refinaria de Matosinhos, em resposta ao impacto da crise da covid-19 e, consecutivamente, na atividade económica e na procura de combustíveis.

A petrolífera garante que a suspensão temporária não coloca em causa o abastecimento do mercado nacional e não terá "impacto nos colaboradores da Galp afetos a essa atividade""As demais atividades de produção de Óleos Base e de Aromáticos da Refinaria de Matosinhos continuarão com o seu funcionamento normal", disse ao Negócios fonte oficial da empresa.


A paragem por tempo indeterminado é justificada pelas "condições no mercado nacional e internacional, em grande parte decorrentes dos impactos provocados pela pandemia de covid-19", que "forçaram a Galp a avançar com um ajustamento operacional planeado do seu sistema refinador", defende a empresa presidida por Carlos Gomes da Silva.

A Galp Energia garantiu ainda que o "abastecimento do mercado nacional manter-se-á assegurado, com um nível adequado de produtos para satisfazer as necessidades dos portugueses, das empresas e das unidades industriais, suportado pelos stocks existentes em Matosinhos e pela produção que se mantém na Refinaria de Sines".

Quanto às previsões de retoma da produção, a empresa refere não avança com datas, respondendo apenas que "monitoriza diariamente as condições de mercado e adequa os planos operacionais em função da sua evolução, garantindo a sustentabilidade das suas atividades e o abastecimento dos seus clientes".

 

Esta é a segunda vez este ano que a Galp Energia suspende a produção na refinaria de Matosinhos. Em abril, a petrolífera alargou ainda a paragem de produção à refinaria de Sines. A produção destas duas refinarias foi retomada quase três meses depois, em junho. 

Sem comentários:

ATRASE O RELÓGIO ESTE FIM DE SEMANA

                               Já notamos que os dias estão a ficar mais curtos e com menos horas de luz solar. A tempestade Bárbara que est...