Translate

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

SE A SUA MENSAGEM NEGAR O HOLOCAUSTO O FACEBOOK VAI REMOVER

 


"Há muito que retirámos as mensagens de defesa de crimes motivados pelo ódio e assassínios em massa, incluindo o Holocausto. Mas, com o aumento do antissemitismo, estamos a expandir a nossa regra para proibir também qualquer conteúdo que negue ou distorça o Holocausto", disse Mark Zuckerberg, líder da empresa que gere o Facebook, no seu perfil da rede social.

Os utilizadores que pesquisam sobre o Holocausto serão redirecionados "para fontes confiáveis de informação", explicou Zuckerberg.

"Lutei com esse dilema, entre apoiar a liberdade de expressão e os danos causados pelo minimizar ou negar o horror do Holocausto", acrescenta o fundador da plataforma digital, dizendo que o seu pensamento mudou quando viu os dados que mostram um aumento da violência antissemita.

Um comunicado do Facebook divulgado hoje cita um estudo que descobriu que quase um quarto dos americanos entre os 18 e os 39 anos acredita que o Holocausto é um mito, um exagero ou não tem opinião formada.

O comunicado lembra que a rede já eliminou recentemente os estereótipos antissemitas sobre o poder judaico, que costumam figurar nas teorias da conspiração.

No verão de 2018, Mark Zuckerberg, que também é judeu, explicou que não queria remover as mensagens negacionistas que circulam no Facebook.


Sem comentários:

COSTA ACEITA PEDIDO DE DEMISSÃO DE CABRITA: "RESPEITOU O TEMPO DA JUSTIÇA"

António Costa aceitou a demissão de Eduardo Cabrita e aponta para os próximos dias a indicação de um substituto. O primeiro-ministro aceitou...