google.com, pub-4886806822608283, DIRECT, f08c47fec0942fa0

tradutor com bandeiras. Google Translate

sábado, 9 de janeiro de 2021

AVIÃO COM 62 PESSOAS A BORDO CAI AO MAR NA INDONÉSIA


Um avião da companhia aérea Sriwijaya, com 62 pessoas a bordo, caiu ao Mar de Java, na Indonésia, minutos depois de ter descolado do aeroporto de Jacarta, este sábado. As autoridades encontraram destroços.

A informação, confirmada pelas autoridades do país, foi avançada pelo site de rastreamento Flightradar24, que disponibiliza a visualização de voos do mundo todo, em tempo real, através de mapas interativos. De acordo com o site, o avião perdeu mais de 3000 metros de altitude em menos de um minuto.

O administrador da Sriwijaya Air, West Kalimantan, afirmou, no aeroporto Supadio, em Pontianak, que o avião transportava 62 pessoas, 56 passageiros e seis tripulantes. O voo SJ-182, operado por um Boeing 737-500, tinha como destino Pontianak, na Indonésia. A aeronave voou pela primeira vez há 26 anos, em maio de 1994.

Segundo o ministro da Indonésia dos Transportes, Adita ​​​​​​​IraWati, o Boeing 737-500 descolou de Jacarta às 14.36 horas locais (7.36 horas em Portugal continental), e às 14.40 horas locais (7.40 horas em Portugal), quatro minutos após a descolagem, perdeu o contacto com o Controlo de Tráfego Aéreo.

O avião terá perdido contacto quando sobrevoava a ilha de Lancang, disse o responsável do aeroporto de Soekarno-Hatta, Haerul Anwar. No local, as autoridades indonésias informaram ter encontrado "objetos" que parecem ser "destroços de avião".

Numa conferência de imprensa por volta das 19.25 horas locais (12.25 horas em Portugal continental), o adjunto de operações da Agência Nacional de Busca e Resgate, o general Bambang Suryo Aji, disse que a sua equipa enviou equipamentos de resgate para o local onde o avião terá caído. "Depois de receber informações, partiremos para o local onde o avião terá caído. A localização do avião após a perda de contacto foi entre as ilhas Laki e Lancang", disse o responsável.

Noutra conferência de imprensa, à mesma hora mas noutro lugar, o ministro dos Transportes disse que o presidente Joko Widodo ordenou que todas as autoridades relevantes garantissem as buscas a partir a localização onde o avião perdeu contacto.

Segundo a BBC, testemunhas disseram que viram e ouviram pelo menos uma explosão. Um pescador chamado Solihin disse à BBC News Indonésia que testemunhou um acidente e que o seu capitão decidiu voltar à terra. "O avião caiu como um raio no mar e explodiu na água. Estava bem perto de nós, os destroços de uma espécie de compensado quase atingiram o meu navio", contou.

Entretanto, algumas das famílias dos passageiros do avião já estão no aeroporto Supadio, à espera de saber o que aconteceu.

"Houve um contacto perdido da aeronave Sriwijaya na rota Jacarta-Pontianak com o indicativo SJ-182. O último contacto foi feito às 14.40 horas ", afirmou o ministro dos Transportes, Adita Irawati, em comunicado.

"O desaparecimento do avião está em investigação e a ser coordenado pela Agência Nacional de Busca e Resgate e pelo Comité Nacional de Segurança nos Transportes", revelou o ministro.

Também em comunicado, a companhia aérea refere que o avião fazia um voo estimado de 90 minutos, de Jacarta a Pontianak, capital da província de West Kalimantan, na ilha Indonésia de Bornéu.

A administração da companhia aérea Sriwijaya Air afirmou que ainda está em contacto com várias partes a fim de obter informações mais detalhadas sobre o voo SJ-182. "A administração ainda está a comunicar e a investigar este assunto e emitirá imediatamente um comunicado oficial após obter os factos", esclareceu a Sriwijaya Air.

O avião não é um 737 Max, o modelo da Boeing envolvido em dois grandes acidentes nos últimos anos. O primeiro deles, em outubro de 2018, envolveu um voo da Lion Air da Indonésia que caiu no mar cerca de 12 minutos após a descolagem de Jacarta, matando 189 pessoas.

A Indonésia, o maior arquipélago do Mundo, com mais de 260 milhões de habitantes, tem sido atormentada por acidentes de transporte terrestre, marítimo e aéreo, devido à sobrelotação, às infraestruturas envelhecidas e a padrões de segurança mal aplicados.

Sem comentários:

UNIÃO EUROPEIA PEDE À RÚSSIA QUE LIBERTE "IMEDIATAMENTE" NAVALNY

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, considerou este domingo "inaceitável" a detenção do opositor russo Alexei Navaln...