Translate

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

FINANCIAMENTO DO ESTADO À TAP "COMPORTA ELEVADO RISCO DE PERDA DE CAPITAL PARA OS CONTRIBUINTES"


As conclusões são de um documento que analisa a evolução orçamental da companhia aérea no ano passado, realizado pela UTAO.

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) considera que o financiamento de 1.200 milhões de euros do Estado à TAP “comporta um elevado risco de perda de capital para os contribuintes”. Não só por causa da pandemia, mas também devido às dificuldades económicas estruturais do grupo.

O documento que analisa a evolução orçamental do ano passado realça que a TAP “já apresentava prejuízos antes da pandemia” e que as restrições à mobilidade, para combater a covid-19, apenas precipitaram o pedido de apoio ao Estado português.

Os técnicos da UTAO consideram que a injeção de 1.200 milhões de euros não é um encargo temporário e que não servirão apenas para mitigar os efeitos da pandemia. A necessidade de apoio financeiro do Estado vai repetir-se durante um período ainda indeterminado de anos.

No ano passado, a ajuda à TAP valeu quase tanto como as quatro maiores medidas de apoio covid-19 ao emprego e a manutenção da atividade económica. Em 2021, as necessidades de financiamento à TAP podem chegar aos 900 milhões de euros e será o Estado a apoiar, seja por empréstimo direto ou através de garantia. O apoio só acontecerá depois da Comissão Europeia aprovar o plano de restruturação da companhia aérea.

Sem comentários:

QUATRO BANCOS PORTUGUESES SOMAM LUCROS SUPERIORES A MIL MILHÕES DE EUROS

Instituições reforçaram provisões em 1300 milhões para enfrentar eventuais perdas futuras. Num ano marcado pela pandemia, quatro dos maiores...