Translate

sábado, 17 de abril de 2021

COVID-19 NO BRASIL: AUTORIZADA IMPORTAÇÃO DIRETA DOS MEDICAMENTOS PARA INTUBAÇÃO


Congresso deu início a uma comissão parlamentar de inquérito para investigar atos e omissões do Governo de Bolsonaro durante a pandemia.

No Brasil, utentes e profissionais de saúde já vivem o drama da falta de medicamentos usados na intubação de casos graves covid-19. Os hospitais estão no limite da ocupação em quase todos os estados.

Os profissionais de saúde que já tinham de escolher quem vai ocupar as poucas camas disponíveis, vivem agora uma nova angustia: os stocks de medicamentos usados para intubar utentes graves – como sedativos, bloqueadores neuromusculares e anestésicos – estão muito baixos.

Na falta dos fármacos, os utentes têm de ser contidos de forma mecânica, ou seja, amarrados aos leitos. Um pesadelo para quem precisa de tratamento, mas também para as equipas que têm testemunhado situações dramáticas.

Perante a situação de crise, a Agência brasileira de Vigilância Sanitária autorizou a importação direta dos medicamentos para entubação. O Ministério da Saúde já tinha centralizado a compra e a distribuição dos produtos, agora repassou para os governantes a responsabilidade de repor os stocks. Mais um embate entre o Governo Federal e os estados.

Um estudo, publicado esta semana pela prestigiada revista Science, responsabiliza o que chama de má gestão do Governo brasileiro pelos elevados números de mortes por covid-19 registados no país. A organização de Médicos Sem Fronteiras definiu a situação no Brasil como “catástrofe humanitária”.

O Congresso deu inicio a uma comissão parlamentar de inquérito que vai investigar atos e omissões do Governo de Bolsonaro durante a pandemia.

Sem comentários:

TRÊS DOSES DA VACINA DA PFIZER SÃO EFICAZES CONTRA VARIANTE OMICRON

A vacina contra a covid-19 desenvolvida pelas empresas Pfizer e BioNTech "ainda é eficaz" contra a variante ómicron do vírus com &...