Translate

sábado, 10 de julho de 2021

COVID EM BARCO PORTUGUÊS DEIXA PESCADORES EM PERIGO AO LARGO DO CANADÁ


Vários tripulantes do Princesa Santa Joana, um navio de pesca longínqua com armador da Gafanha da Nazaré, Ílhavo, que se encontra ao largo da Canadá, testaram positivo à covid-19. Pelo menos um está com dificuldades respiratórias e há 12 com sintomas. Está a ser preparada uma evacuação.

Segundo apurou o JN, há mais de dez dias que uma dúzia de tripulantes começou a manifestar sintomas como tosse, dores no corpo, febre e diarreia, entre outros, sem que tenha sido desencadeada qualquer ação de socorro médico pelo armador, José Taveira. Mas só ontem o navio Santa Mafalda, do mesmo proprietário, se aproximou, levando testes que revelaram os casos positivos.

Dois dias antes, quando os sintomas já se tinham generalizado e havia fortes suspeitas de que se tratasse de um surto de covid, como se veio a confirmar, o armador desvalorizou o caso, referindo ao JN que se podia tratar de alguma constipação ou gripe, sem adiantar que medidas estavam a ser tomadas para providenciar assistência aos tripulantes. Este sábado, contactado de novo, recusou falar.

Suspeita-se que o foco tenha sido provocado por um tripulante indonésio que esteve anteriormente na embarcação e testou positivo antes de o barco largar rumo ao Canadá. Antes da partida, terá sido efetuada uma limpeza, mas apenas no camarote daquele tripulante.

Atualmente, cerca de uma dúzia de trabalhadores apresenta sintomas. As maiores preocupações recaem sobre um dos tripulantes que não regista melhorias desde que adoeceu e manifesta dificuldades respiratórias.

A maioria dos tripulantes são do concelho de Ílhavo e as famílias estão muito apreensivas.

Observador infetado

Um dos infetados a bordo do Princesa Santa Joana é um observador da Organização das Pescas do Atlântico Noroeste (NAFO), uma entidade intergovernamental com sede no Canadá que zela pelo cumprimento dos regulamentos que visam a exploração sustentável dos recursos da pesca naquela zona do globo e de que União Europeia faz parte. Em Portugal, quem indica os observadores, cuja presença é obrigatória a bordo das embarcações, é a empresa Seaexpert, que o JN contactou. Henrique Barros, da Seaexpert, disse ter recebido do seu observador a confirmação da existência do surto e a existência de problemas com a assistência médica, que está " muito preocupado com a situação".

O JN tem a indicação de que o navio estará a caminho de St. John"s, no Canadá, podendo os tripulantes em pior estado de saúde vir a ser evacuados de helicóptero para receberem tratamento médico.

A Marinha anunciou, este sábado, que o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo (MRCC) de Lisboa, em coordenação como CODU_MAR, "está a acompanhar a embarcação de pesca Princesa Santa Joana, de bandeira portuguesa, que se encontra a navegar ao largo de St. John"s, no Canadá, na qual elementos da tripulação manifestaram sintomas de covid19".

O Centro de Coordenação "mantém-se em comunicação direta com as autoridades canadianas e, neste momento, o JRCC Halifax, equivalente ao MRCC no Canadá, está em contacto com o Princesa Santa Joana, sendo que a embarcação de pesca está a aproximar-se de St. John"s a fim de desembarcar uma pessoa que apresenta um estado clínico que inspira maiores cuidados, para seja observada no hospital", refere aquele organismo.

O navio português, acrescenta ainda, "vai-se manter naquela área" e a situação "continuará a ser acompanhada, desde Portugal, em ligação direta com as autoridades canadianas".

Sem comentários:

FALTAS AO TRABALHO PARA RECEBER VACINA SÃO JUSTIFICADAS

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) esclarece que a ausência ao trabalho para a toma da vacina contra a covid-19 "é justif...