Translate

domingo, 29 de agosto de 2021

MULHER DO EMBAIXADOR GREGO ASSASSINADO EM 2016 CONDENADA A 31 ANOS DE PRISÃO


Uma mulher brasileira foi condenada a 31 anos de prisão por planear o assassinato do marido, o ex-embaixador grego no Brasil.

Em 2016, os restos carbonizados de Kyriakos Amiridis foram encontrados no porta-malas de um carro queimado no Rio de Janeiro. A mulher, Françoise de Souza Oliveira, e o amante, o polícia militar Sérgio Gomes, eram suspeitos do homícidio.

O amante confessou, mais tarde, ter matado o embaixador a mando da mulher. Outro homem, Eduardo Moreira Tedeschi di Melo parente de Sérgio Gomes foi absolvido do crime de homicídio, mas já cumpriu um ano de prisão por ajudar a esconder o corpo de Amiridis.

Amiridis, de 59 anos, serviu como cônsul no Rio de Janeiro entre 2001 e 2004 e voltou ao Brasil como embaixador no ano em que foi morto. Casou-se com Françoise em 2004 e o casal tem uma filha em comum.

Antes da sua morte, Amiridis viajou da capital, Brasília, para a cidade de Nova Iguaçu, a norte do Rio, para passar as férias de Natal com a mulher e os sogros.

Inicialmente, Françoise de Souza Oliveira relatou o desaparecimento do marido, dizendo à polícia que tinha saído do apartamento sem explicação e conduzido um carro alugado. O carro queimado foi encontrado no dia seguinte sob um viaduto, com o corpo do embaixador carbonizado dentro.

Os investigadores encontraram manchas de sangue num sofá do apartamento onde o casal estava hospedado, onde se acredita que terá sido morto.

Sem comentários:

PARLAMENTO CHUMBA ORÇAMENTO DO ESTADO

Cabe agora a Marcelo Rebelo de Sousa decidir sobre a dissolução do Parlamento e a marcação de eleições. A Assembleia da República chumbou es...