Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta CATAR 2022. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta CATAR 2022. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 22 de novembro de 2022

ALEMANHA COLOCA FIFA EM TRIBUNAL PARA USAR A BRAÇADEIRA ARCO-ÍRIS


A Federação Alemã de Futebol (DFB) vai avançar com um processo contra a FIFA junto do Tribunal Arbitral do Desporto (CAS), em Lausanne, depois de a seleção ter sido impedida de usar a braçadeira arco-íris, no Campeonato do Mundo.

A decisão foi confirmada, esta terça-feira, pelo porta-voz do organismo, Steffen Simon, ao jornal germânico Bild, que não escondeu a deceção para com a medida: "A FIFA proibiu-nos de defender a diversidade e os direitos humanos".

"Esta medida foi combinada com enormes ameaças de sanções desportivas sem que estas tivessem sido especificadas. A DFB está a tentar verificar se esta ação por parte da FIFA foi legal", explicou o responsável da Federação.

O objetivo da DFB passa por conseguir que o CAS aplique uma medida cautelar que proteja Manuel Neuer o capitão e a restante equipa de serem alvo de qualquer tipo de sanção desportiva por usar este acessório alusivo ao movimento LGBTQ+, durante o Mundial.

Visto ser impossível conseguir uma decisão antes do encontro da jornada inaugural do Grupo E, diante do Japão, que se realiza na quarta-feira, a Alemanha pretende que a dita medida entre em vigor a partir do jogo da segunda ronda, contra Espanha, no domingo.

segunda-feira, 21 de novembro de 2022

VÍDEO: JORNALISTA ARGENTINA ASSALTADA EM DIRETO NO QATAR. POLÍCIA PEDIU QUE ESCOLHESSE A PUNIÇÃO PARA O LADRÃO


A jornalista argentina Dominique Metzger é a protagonista de um dos episódios mais inusitados do Campeonato do Mundo. A trabalhar para o Todo Notícias, Metzger foi assaltada quando fazia um direto. Mas o que a surpreendeu foi o facto de a polícia deixar nas suas mãos a pena a aplicar ao delinquente, que assegurou ir encontrar.

“Estava a dançar (durante a reportagem) com a multidão e estou convencida de que o roubo aconteceu nesse momento”, contou citada pelo jornal El Español, frisando não ter dado pelo furto e que só percebeu que não tinha a carteira quando quis comprar uma garrafa de água. A jornalista explicou ainda que a polícia a aconselhou a apresentar queixa numa esquadra, garantindo que “tudo está vigiado” e, como tal, acabariam por encontrar a carteira com documentos, dinheiro e cartões.

Foi então que ocorreu o episódio que a deixou estupefacta. “A determinada altura, os polícias dizem-me: ‘O quer que quer que a justiça faça a este respeito? Vamos encontrar a carteira. Temos câmaras em todo o lado, de alta tecnologia’”, contou, assumindo que achou que estava a entender mal a tradução.

No entanto, não era erro e as autoridades policiais qataris queriam mesmo saber o que esperava Dominique Metzger que a justiça fizesse com quem fosse detido pelo furto. “Insistiam em perguntar-me que pena queria para o ladrão, se queria que o condenassem a cinco anos de prisão, que fosse deportado…”, relatou, frisando que os polícias lhe diziam que “podia escolher” a pena a aplicar. “Fiquei arrepiada”, confessou, citada pelo mesmo jornal espanhol.

A jornalista procurou explicar, então, que estava ali apenas para que aparecessem as coisas roubadas. “Não queria pôr-me no lugar da Justiça”, finalizou.

Pela primeira vez na história dos Mundiais, os 8 estádios onde se desenrola a competição estão num raio de 70 km, segundo a EFE. Uma proximidade que permitiu ao governo qatari criar um plano de segurança que inclui 15 mil câmaras de videovigilância e inteligência artificial.

domingo, 20 de novembro de 2022

FIFA PROÍBE INGLATERRA DE USAR BRAÇADEIRA DE APOIO À CAUSA LGBTQ+ NO CATAR


O jornal "The Telegraph" avançou, este domingo, que a FIFA proibiu a seleção inglesa de usar a braçadeira "One Love", de apoio à causa LGBTQ+, no Mundial de 2022, que arrancou este domingo no Catar.

Segundo a mesma publicação, o organismo que rege o futebol mundial informou a Federação que os regulamentos não permitem que Harry Kane, capitão da Inglaterra, use a braçadeira com tons arco-íris durante o Mundial. A federação inglesa, que, a par da alemã, já tinha anunciado que estaria preparada para pagar uma multa devido à utlização da referida braçadeira no Catar, onde a homossexualidade é punida por lei, terá mesmo reagido com frustração perante a decisão de FIFA.

A Inglaterra está incluída no grupo B do Mundial de 2022, juntamente com os Estados Unidos, Irão e País de Gales e esteia-se esta segunda-feira na competição.

PRESIDENTE DA FIFA ANUNCIA INVESTIMENTO DE 969 MILHÕES PARA "DESENVOLVIMENTO" DO FUTEBOL


O presidente da FIFA, Gianni Infantino, anunciou estou domingo em Doha, antes de começar o Mundial2022 de futebol, "um investimento adicional de mil milhões de dólares (969 milhões de euros) para o desenvolvimento do futebol" a nível global.

O dirigente sublinhou que, "apesar da pandemia e de outros momentos de crise em todo o mundo, a receita da FIFA no final do ano será de 7,5 mil milhões de dólares (7,3 mil milhões de euros) , mais de mil milhões (de dólares) acima do orçamento".

Essa verba extra vai permitir à entidade que rege o futebol mundial obter um resultado líquido de mil milhões de dólares, antecipou Infantino, que quer aplicar o lucro no desenvolvimento da modalidade.

“Basicamente, teremos um resultado líquido esperado de mil milhões de dólares, que podemos investir no futebol desde já, a partir de agora e no próximo ciclo, para fazer o futebol crescer ainda mais no mundo”.

O Mundial2022 arrancou este domingo em Doha, com o jogo entre o anfitrião Qatar e o Equador, para o Grupo A, e prolonga-se até 18 de dezembro.

NOVA POLÉMICA NO MUNDIAL. QATAR RECUSA PAGAR A ADEPTOS CONTRATADOS


Depois de ter voltado atrás e recusado permitir a venda de bebidas alcoólicas nas imediações dos estádios, a organização do Campeonato do Mundo protagonizou mais uma 'inversão de marcha', desta feita, relativamente ao tão badalado programa 'Fan Leader Network'.

O jornal britânico The Guardian diz, este sábado, ter tido acesso a uma mensagem com a qual as autoridades informam os adeptos contratados para viajar para o país e falar bem da competição que, afinal, não irão receber qualquer tipo de pagamento.

"Devido aos recentes desenvolvimentos na comunicação social, pretendemos proteger os nossos adeptos visitantes de informações erradamente veiculadas a propósito de 'adeptos receberem pagamentos pela viagem'", pode ler-se.

"Nesse sentido, o pagamento diário vai, infelizmente, deixar de ser emitido. O pagamento era considerado um pequeno contributo para os vossos próprios fundos pessoais, para vos assistir com reforços durante a vossa estadia", prossegue.

"Pedimo-vos, de antemão, que trouxessem fundos suficientes para cobrir os vossos próprios gastos básicos, e comprometemo-nos a cobrir os voos, o alojamento e os bilhetes para a partida de abertura", completa a missiva enviada aos adeptos.

CALENDÁRIO DE JOGOS, HORÁRIOS E CANAIS DE TELEVISÃO ONDE PODE SEGUIR A FASE DE GRUPOS DO MUNDIAL DO CATAR







sábado, 19 de novembro de 2022

CERVEJA PROIBIDA NOS ESTÁDIOS DO MUNDIAL? BUDWEISER REVELA QUE VAI DAR TODO O STOCK AO PAÍS CAMPEÃO


A poucos dias do início do Mundial do Qatar, a FIFA anunciou que nenhuma cerveja alcoólica seria vendida aos adeptos nos estádios. O pedido foi feito pela família real do Qatar, o que levou de imediato à especulação de qual o impacto desta decisão junto de um dos principais patrocinadores da competição, a marca de cerveja Budweiser, que poderá vir a exigir uma indemnização milionária.

Este sábado, a marca norte-americana reagiu com algum sentido de humor, através de um tweet onde pode ser lido: “New Day, New Tweet. Winning Country gets the Buds. Who will get them?” / "Novo Dia, Novo Tweet. País vencedor recebe as Buds. Quem as vai receber?"

https://twitter.com/Budweiser/status/1593893410062143488?s=20&t=UgJBWjMysuzxa8eQ7w8ACw

No Qatar, o consumo de álcool é bastante restrito e a bebida pode ser consumida apenas em alguns hotéis da capital.
Durante o mundial, estes regulamentos foram relaxados, mas o álcool continua a não ser vendido em supermercados e os preços das bebidas podem alcançar valores muito elevados um litro de cerveja chega a custar mais de 13 euros.

Contudo, a escassos dois dias chegou a confirmação que muitos adeptos temiam.

"Na sequência de discussões entre as autoridades do país anfitrião e a FIFA, foi tomada a decisão de concentrar a venda de bebidas alcoólicas no festival de fãs da FIFA, noutras zonas de fãs e locais licenciados, retirando pontos de venda de cerveja dos perímetros dos estádios do Mundial Qatar 2022", lê-se numa declaração citada pela BBC.

"As autoridades do país anfitrião e a FIFA continuarão a assegurar que os estádios e áreas circundantes proporcionem uma experiência agradável, respeitosa e agradável para todos os adeptos", é ainda referido.

quinta-feira, 17 de novembro de 2022

QUEREM SOMBRA NO CATAR? HAVERÁ UMA ZONA ESPECIAL, MAS ADEPTOS TERÃO DE PAGAR MAIS DE MIL EUROS. E CERVEJA?SÓ A PARTIR DAS 18H30


A tradicional Fan Zone será também um festival no Mundial de 2022. Uma atualização com preços para poucas carteiras. A maior vantagem está no facto de ser um dos poucos locais onde se pode consumir álcool, um tema onde as diferenças culturais se continuam a fazer sentir

Quando se fala da Fan Zone de um evento desportivo, geralmente associa-se ao local a que qualquer adepto pode ter acesso, com ou sem bilhete para os jogos, para assistir às partidas ou participar nas atividades que a organização tenha preparado. É o local na cidade anfitriã que faz com que toda a gente participe no evento, mesmo sem ir aos estádios. Mas em Doha, capital do Catar, tudo vai funcionar de forma muito diferente.

A FIFA está a vender pacotes que dão acesso ao que denominaram como “fan festival”, uma zona onde será possível escapar ao sol, numa altura em que as temperaturas máximas rondam os 30 graus. A questão é que, desta vez, nem todos poderão facilmente entrar nesta zona, visto que é paga e pode chegar aos 1.096 euros por dia. Ou seja, quem não conseguir suportar este valor, terá que lidar com as temperaturas do Catar.

Esta é a primeira vez que a iniciativa é incluída num Mundial, escreve o “Daily Telegraph”. Os adeptos que optem por pagar vão encontrar também uma área privada para comer, beber e ter acesso a uma vista panorâmica do festival. Todos os outros poderão não conseguir fugir ao sol nas horas de maior calor.

O pacote mais caro à venda neste momento é o “legacy lounge plus”, que custa 1.096 euros. Além de tudo o que foi mencionado, terá também um bilhete para assistir a um dos jogos no estádio. Há ofertas mais baratas, a começar nos 430 euros por pessoa, que são simplesmente pacotes de hospitalidade para assistir aos jogos no festival. Quem optar por estes, poderá ter acesso aos bares.

A facilidade no que ao consumo de álcool diz respeito é um dos motivos que poderá levar à venda destes bilhetes. Apesar de o Catar ter concordado em mudar um pouco as regras, o consumo de álcool não é totalmente livre como em outros países, mas sim reservado a zonas específicas.

Notícias recentes mostram que a organização pretende que esse consumo seja o menos visível possível. Com isso em mente, forçou a marca de cervejas Budweiser, que tem a exclusividade para vender a bebida durante o torneio, a mudar a localização dos seus pontos de venda na zona dos oito estádios da competição.

“A AB InBev foi informada a 12 de novembro e está a trabalhar com a FIFA para deslocar os pontos de concessão para locais conforme as instruções. Estamos a trabalhar com a FIFA para levar a melhor experiência possível aos adeptos”, anunciou a empresa proprietária da marca à “Sky News”.

A zona de adeptos também terá as suas regras relativas ao consumo de álcool. Segundo o “The Telegraph”, apesar de os jogos poderem começar às 13h ou 16h locais, os organizadores informaram que só será permitido aos adeptos comprar cerveja a partir das 18h30, dependendo da hora a que as mesquitas locais agendarem a chamada para a oração. O serviço continuará até à 1h e o objetivo é que tudo esteja limpo até às 2h.

“Este é o melhor lugar para estar quando não se está no estádio. Será uma experiência multidimensional, semelhante à de um festival. Não se trata apenas de futebol, trata-se de jogos, estilo de vida e comida fantástica. Decidimos fazer isto em grande em Doha”, disse Gerdine Lindhout, chefe de marketing e promoção da FIFA, ao mesmo jornal.

A questão do calor não pareceu preocupar a organização, apesar de nem todos terem a possibilidade de pagar por um dos bilhetes mais caros. “Está definitivamente quente, mas há áreas suficientes onde há sombra e temos bebidas refrescantes suficientes para não haver problema. As pessoas têm de usar a sua mente lógica e vestir-se para a ocasião. Usem os vossos calções, usem algo leve e desfrutem de algumas bebidas refrescantes”, continuou.

domingo, 13 de novembro de 2022

AS POLÉMICAS E EXTRAVAGÂNCIAS DO MUNDIAL MAIS CARO DA HISTÓRIA


O Mundial de futebol do Catar arranca dia 20 de novembro às 16 horas (hora de Portugal continental) com um jogo entre a seleção anfitriã e o Equador. A organização do evento neste emirado árabe levantou muitas questões. As suspeitas de corrupção, as altas temperaturas e a exploração laboral são só alguns dos problemas.

Estamos em contagem decrescente para o Mundial mais caro e, provavelmente, dos mais polémicos da História. Com o aproximar do arranque oficial da competição, adensa-se o clima de suspeita e revolta sobre os bastidores do evento que custou 225 mil milhões de euros. Desde que em dezembro de 2010 a FIFA atribuiu ao emirado árabe do Catar a organização do Campeonato do Mundo de 2022 que têm surgido questões em torno dessa decisão. As suspeitas de corrupção, os estádios, as altas temperaturas e os problemas de exploração laboral estão na ordem do dia.

 

A tão falada corrupção

O Catar é uma pequena península no Golfo Pérsico, um território um pouco maior que a região portuguesa do Baixo Alentejo. Contudo, ali existem abundantes receitas devido ao petróleo e ao gás natural, do qual tem a terceira maior reserva mundial. A influência do dinheiro deste emirado tem crescido em vários setores de atividade no Mundo, nomeadamente no futebol onde têm uma posição dominante no Paris Saint-Germain, são patrocinadores do Barcelona e conquistaram uma grande influência nos centros de decisão, sobretudo na FIFA. O ponto alto de afirmação do Catar na indústria futebolística foi quando a 2 de dezembro de 2010 foi escolhido como organizador do Mundial 2022, para espanto de muita gente.

 

O que se passa com a construção de estádios e hotéis?

Várias organizações de defesa dos direitos humanos denunciaram ao longo dos anos violações sistemáticas nas condições dos migrantes que chegam ao Catar para a construção civil nos estádios. No Catar há o chamado sistema Kalafa, em que os trabalhadores ficam dependentes de um “patrocinador”, o que implica, por exemplo, não terem autonomia para mudar de emprego ou deixar o país. Segundo a organização, a construção dos estádios mobilizou cerca de 30 mil trabalhadores para obras como estádios, hotéis e estradas ou outras infraestruturas.

Ao longo dos últimos anos foram surgindo cada vez mais denúncias de violações de direitos de trabalhadores sujeitos a trabalhos forçados, a viver em condições precárias, a trabalhar em condições climatéricas extremas, sem limitação de horário, sem direito a descanso e muitos não têm recebido salários. Estas condições conduziram muitos à morte.


Quantos já morreram?

O jornal inglês “The Guardian” fez contas. Com base em dados recolhidos junto dos governos da Índia, Bangladesh, Nepal, Sri Lanka e Paquistão (os países com mais emigrantes no Catar), já terão ocorrido, pelo menos, 6500 mortes de trabalhadores nestes últimos dez anos devido à falta de condições de trabalho. Um estudo da Organização Mundial do Trabalho concluiu que, só em 2020, morreram 50 trabalhadores no Catar, registando ainda 500 feridos graves e 37 600 que sofreram ferimentos leves.

 

O que vai acontecer aos estádios depois do Mundial?

Num país com poucas tradições futebolísticas e uma seleção nacional que não dá cartas no plano competitivo, a questão que se coloca é o que irá acontecer aos sete novos estádios construídos de raiz? A organização esclareceu que os recintos foram construídos com recurso a estruturas modelares, sendo por isso desmontáveis. Um dos casos curiosos é no estádio Abu Abou em Doha, conhecido também por Estádio 974 por ter sido construído com recurso a 974 contentores de aço reciclado. Será o primeiro totalmente desmontável na história dos Campeonatos do Mundo de futebol.

 

Vozes internacionais contra a prova no Catar?

O antigo jogador Cantona lamentou que, não tendo o Catar a paixão pelo futebol, a competição seja neste país. Depois considerou “uma aberração ecológica” a questão dos ares condicionados. Recorde-se que os estádios são fechados e tendo o Catar um clima tão quente, a organização decidiu colocar em todos enormes aparelhos para fazer face às altas temperaturas.

O selecionador alemão, Hansi Flick, diz que este não é um Mundial para os adeptos, fazendo menção a amigos que vão deixar de assistir à competição em jeito de protesto contra a organização.

Por seu turno, o ex-futebolista Phillipp Lham garante que prefere acompanhar o futebol em casa, questionando os critérios usados na escolha do Catar para acolher a competição. “Os direitos humanos deveriam ser a principal preocupação e não são”, rematou.

VÍDEOS: MUNDIAL 2022: QATAR APRESENTA... ADEPTOS PORTUGUESES "CONTRATADOS" NAS RUAS DE DOHA


A uma semana do início do Campeonato do Mundo de Futebol, o Qatar continua a ser notícia pelos motivos mais inusitados. Esta sexta-feira de manhã, uma centena de adeptos juntou-se nas ruas da capital, Doha, para celebrar a competição. Mas as imagens deixaram dúvidas.

A própria organização do Mundial 2022 refere que “a festa mundialista já passa nas ruas de Doha”, com grupos de adeptos argentinos, espanhóis, brasileiros e franceses vestidos a rigor, acompanhados de bombos, bandeiras e cachecóis. Há até um grupo de portugueses apaixonados por Ronaldo e companhia que decidiram celebrar na estação de metro da cidade.

Um segundo olhar mais atento permite distinguir que se tratam antes de “fãs qatari” das diferentes seleções que vão entrar em campo. Ou seja, os quatro grupos de adeptos não são argentinos, espanhóis, brasileiros ou franceses, mas sim nacionais do Qatar.

Nas redes sociais, começam a circular imagens e comentários jocosos, ironizando com a necessidade de “pagamento” de adeptos para que haja pessoas interessadas na competição.

Nos últimos meses, têm sido cada vez mais recorrentes as críticas e apelos ao boicote do Mundial 2022, promovendo denúncias de ataques aos direitos humanos, defesa de trabalhadores e da vida LGBTQI+.

Esta semana, Joseph Blatter, ex-presidente da FIFA, admitiu em entrevista ao grupo de media suíço “Tamedia” que a escolha do Qatar para organizar o Mundial 2022 foi um erro: “Assumo a minha responsabilidade como presidente da FIFA naquela altura. O futebol e o Mundial são demasiado grandes para isso”.





quinta-feira, 10 de novembro de 2022

OS 26 ELEITOS DE FERNANDO SANTOS PARA O MUNDIAL 2022 NO CATAR


O selecionador nacional, Fernando Santos, divulgou, esta quinta-feira à tarde, a lista de 26 convocados para o Campeonato do Mundo do Catar, que se realiza de 20 de novembro a 18 de dezembro.

Pela primeira vez na história dos mundiais, cada seleção pode levar 26 atletas para a fase final, sendo que os treinadores não terão de abdicar de nenhum para as partidas: além dos 11 titulares estarão 15 futebolistas no banco de suplentes.

Entre as escolhas, destaque para as estreias absolutas do central António Silva e do avançado Gonçalo Ramos, ambos do Benfica, enquanto José Sá, guarda-redes do Wolverhampton, também não soma qualquer internacionalização, mas já foi chamado algumas vezes aos trabalhos da seleção.

Por outro lado, alguns pesos pesados da história da seleção não têm lugar na comitiva para o Catar, com realce para os campeões europeus de 2016 João Moutinho e Renato Sanches, e para o autor do golo que deu a vitória na Liga das Nações 2019, Gonçalo Guedes.

Convocados de Portugal

Guarda-redes: Diogo Costa (23 anos, F. C. Porto); Rui Patrício (34 anos, AS Roma); José Sá (29 anos, Wolverhampton).

Defesas: João Cancelo (28 anos, Manchester City); Diogo Dalot (23 anos, Manchester United); Rúben Dias (25 anos, Manchester City); Pepe (39 anos, F. C. Porto); Danilo (31 anos, Paris Saint-Germain); António Silva (18 anos, Benfica); Nuno Mendes (20 anos, Paris Saint-Germain); Raphael Guerreiro (28 anos, Borussia Dortmund).

Médios: João Palhinha (27 anos, Fulham); Rúben Neves (25 anos, Wolverhampton); William Carvalho (30 anos, Bétis); Vitinha (22 anos, Paris Saint-Germain); Matheus Nunes (24 anos, Wolverhampton); João Mário (29 anos, Benfica); Otávio (27 anos, F. C. Porto); Bruno Fernandes (28 anos, Manchester United); Germain);

Avançados: Bernardo Silva (28 anos, Manchester City); Cristiano Ronaldo (37 anos, Manchester United); Rafael Leão (23 anos, Milan); João Félix (22 anos, Atlético Madrid); André Silva (26 anos, RB Leipzig); Ricardo Horta (28 anos, Braga); Gonçalo Ramos (21 anos, Benfica).

LÍDER DA COREIA DO NORTE PROMETE FORÇA ESTRATÉGICA NUCLEAR "MAIS PODEROSA DO MUNDO"

A Coreia do Norte, munida de armas nucleares, tem "a força estratégica mais poderosa do mundo", disse o líder Kim Jong-un numa cer...