Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta DESPORTO-BENFICA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta DESPORTO-BENFICA. Mostrar todas as mensagens

domingo, 27 de dezembro de 2020

"CASO LUISÃO" DIVIDE BENFICA E VIEIRA PODE TER DE INTERVIR


A forma intempestiva como Luisão reagiu à derrota diante do FC Porto, por 0-2, na final da Supertaça Cândido de Oliveira, pode vir a provocar alterações na estrutura do futebol do Benfica num futuro próximo.

Assim que soou o apito final no Estádio Municipal de Aveiro, o diretor técnico (que se sentou no banco em substituição do diretor geral, Tiago Pinto, que foi diagnosticado com Covid-19) 'puxou as orelhas' a diversos intervenientes, entre eles Rui Costa.

De acordo com o jornal A Bola, o administrador da SAD encarnada não gostou da atitude do brasileiro. Um sentimento que se alastrou, não só ao treinador, Jorge Jesus, como até a alguns dos jogadores do plantel.

Ao passo que alguns entendem que esta reação mais enérgica, vinda de um ex-atleta com larga experiência no mundo do futebol, poderia ser o que a equipa necessitava, outros defendem que terá sido exagerada face ao contexto.

Nesse sentido, acrescenta a mesma publicação, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, pode mesmo ter de vir a ser chamado a intervir para serenar os ânimos e voltar a unir todas as partes envolvidas.

domingo, 15 de novembro de 2020

"SÓ SENTI PRESSÕES PARA O BENFICA NÃO TENHO CONHECIMENTO DE OUTRAS"

 


Augusto Baganha, ex-presidente do IPDJ, reitera a O JOGO que o Governo terá intercedido a favor das águias.

Augusto Baganha, ex-presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), concedeu uma curta entrevista a O JOGO, admitindo que terá sofrido "pressões" por parte do Governo para que o Benfica não fosse penalizado em algumas circunstâncias. O DIAP de Lisboa terá aberto um inquérito na sequência de uma denúncia que chegou à Procuradoria-Geral da República, no qual Baganha foi testemunha pelas notas que terá tirado durante reuniões com o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. "Há algum tempo referi isso e volto a confirmar essas pressões - sem querer dar casos concretos, pois a questão é do foro da Justiça. Não quero pronunciar-me, mas posso adiantar que houve pressões mais públicas e outras mais privadas", revela, deixando a garantia de que a tentativa de interceder no desporto só aconteceu para os encarnados: "Pressões só para o Benfica, nunca para outros clubes. Não tenho conhecimento de outras."

A interdição do Estádio da Luz, em julho de 2017, durante alguns dias, mas que o Benfica evitou com a correção do regulamento de segurança, é um dos momentos que terá motivado tais situações, processo explicado pelo antigo líder do IPDJ. "O Benfica tem o seu regulamento acordado, mas na altura, de certo modo, exerceu um contencioso com o regulamento, que não estava de acordo com a lei. Dissemos que não e chegámos a interditar o campo. Tanto era ilegal que o Benfica foi obrigado a corrigir", recorda, sem confirmar que essa interdição tenha motivado palavras de Tiago Brandão Rodrigues a favor das águias. "O Benfica está acima da lei. Nós não podemos tratar todos os clubes de igual modo. O Benfica tem mais adeptos do que a população de alguns países", terá dito, segundo publicou o "Correio da Manhã", descrevendo uma reunião no verão de 2017 entre o ministro, o secretário de Estado do Desporto e Juventude, João Paulo Rebelo, e o IPDJ. Baganha não quer entrar em considerações que estão entregues à Justiça.

Fonte próxima do ministério da Educação diz a O JOGO que as frases publicadas não têm fundo de verdade, rejeitando qualquer tipo de interferência a favor do Benfica. "Atendendo a que nada nem ninguém está acima da lei e que os clubes têm de cumprir com as determinações legais que lhes forem atribuídas, as referidas afirmações são desprovidas de sentido, pelo que a denúncia também não tem qualquer sentido ou fundamento. O ministro e o secretário de Estado colaborarão sempre com as autoridades e instâncias superiores, não havendo conhecimento de qualquer processo em curso. Aliás, é bem patente o que a tutela demonstrou com a sua ação, no sentido do sólido cumprimento da lei, nomeadamente a chamada lei da violência no desporto, que foi alterada, garantindo melhor eficácia, maior celeridade processual e maior responsabilização dos agentes no seu cumprimento", foi expresso em nota disponibilizada pela assessoria do ministro, reforçando-se que a criação da Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto "demonstra total isenção na aplicação da lei".

O ministério lamenta os "anos de mediatismo" à volta do caso, desde que mudou a equipa do IPDJ, entrando Vítor Pataco para a sua liderança, em setembro de 2018. Baganha desmente que tenha havido acordo para a sua saída: "Há um despacho a exonerar-me a mim e à Lídia Praça, que é incoerente e pouco fundamentado. Houve um concurso público e queria levar o mandato até ao fim. Não coloquei o lugar à disposição. Não houve acordo."



sábado, 14 de novembro de 2020

"O BENFICA ESTÁ ACIMA DA LEI" TERÁ DITO O MINISTRO DA EDUCAÇÃO

 


A agenda do antigo presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Augusto Baganha, terá anotações de declarações que terão sido feitas pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e pelo secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, que indiciam eventuais pressões para beneficiar o Benfica.

O SLB está acima da lei. Nós não podemos tratar todos os clubes de igual modo. O SLB tem mais adeptos do que a população de alguns países”. Esta será uma das anotações da agenda de Baganha, conforme transcreve o Correio da Manhã (CM), realçando que a declaração é imputada pelo ex-presidente do IPDJ ao ministro da Educação.

Tiago Brandão Rodrigues terá dito aquelas palavras em 2017, numa conversa com João Paulo Rebelo e Baganha num hotel em Caminha, no âmbito da Conferência de Ministros da Juventude e Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como destaca o CM.

As declarações terão sido testemunhadas por dois responsáveis do IPDJ, “um director de serviços e um chefe de divisão”, vinca o mesmo jornal.

A alegada conversa terá surgido numa altura em que o Benfica corria o risco de ser sancionado com jogos à porta fechada devido ao incumprimento de regras de segurança no Estádio da Luz.

“Mas você pensa que alguma vez o SLB vai deixar de jogar no seu Estádio, mesmo com aquela notificação”, terá afirmado o secretário de Estado do Desporto na mesma conversa, conforme o que Baganha apontou na sua agenda.

O Ministério Público está já na posse da agenda do ex-presidente do IPDJ, ainda segundo o CM.

Baganha confirma “pressões”

“Confirmo as pressões que foram sobre mim exercidas e que constam do processo que está a decorrer”, refere Baganha ao jornal.

O gabinete do ministro da Educação assegura que “as referidas afirmações são desprovidas de sentido, pelo que a denúncia também não tem qualquer sentido ou fundamento“, conforme fonte oficial ouvida pelo CM, vincando ainda que “nada nem ninguém está acima da lei” e que “os clubes têm de cumprir com as determinações legais que lhes forem atribuídas”.

Notando não ter “conhecimento de qualquer processo em curso”, o gabinete de Tiago Brandão Rodrigues afiança que o seu ministério e o secretário de Estado do Desporto “colaborarão sempre com as autoridades e instâncias superiores”.

Baganha saiu da presidência do IPDJ em 2018, um ano antes de terminar o seu mandato. Ele terá sido demitido pelo secretário de Estado do Desporto que alegou, contudo, que a saída foi decidida em concordância pelos dois.

Em Setembro de 2018, Baganha foi à Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, no Parlamento, para explicar a sua saída do IPDJ, falando de “pressões” e de “ambientes estranhos”.

“O secretário de Estado enviou por SMS o telemóvel do advogado do Benfica para a minha colega do Conselho Directivo para que fosse resolvido o processo de interdição do Estádio da Luz em Julho de 2017 e fê-lo de uma forma… com impulsividade“, notou, na altura, Baganha.

O Ministério Público está, neste momento, a investigar o actual presidente do IPDJ, Vítor Pataco, suspeitando que favoreceu o Benfica no processo aberto contra o clube devido ao apoio às suas claques, No Name Boys e Diabos Vermelhos, que não estão legalizadas.


terça-feira, 3 de novembro de 2020

INVADE RELVADO DO ESTADIO DA LUZ COM CARRO

 


Esta terça-feira um carro invadiu o relvado do estádio da Luz, segundo informa a rádio Renascença. Ao que tudo indica, o condutor circulou durante alguns minutos no relvado e foi de imediato detido pela PSP.

O incidente aconteceu por volta das 16h30 e o condutor em questão terá aproveitado o facto de um dos portões exteriores do estádio estar aberto para, primeiro, aceder ao estádio, e, depois, ao relvado.

No ato da detenção do condutor pela PSP, o agente que imobilizou a viatura terá sofrido ferimentos ligeiros e, em seguida, foi transportado para o Hospital Santa Maria, em Lisboa.

MINISTÉRIO DA SAÚDE PREVÊ ATÉ 3 MIL MORTES POR DIA EM MARÇO

Cúpula da pasta vê “tempestade perfeita”, com novas variantes, colapso hospitalar e falta de vacinas O  Ministério da Saúde  prevê que haja ...