tradutor com bandeiras. Google Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta ECONOMIA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta ECONOMIA. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

APENAS OS TURISTAS PODEM CIRCULAR ENTRE CONSELHOS APESAR DAS RESTRIÇÕES

 


Segundo o esclarecimento enviado pelo gabinete da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, à Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), as restrições de circulação entre concelhos, no período compreendido entre as 00:00 de 30 de outubro e as 06:00 de 03 de novembro, não se aplicam a "turistas estrangeiros, bem como os cidadãos nacionais residentes nas regiões autónomas e fora de Portugal" para locais como empreendimentos turísticos e alojamento local.

Num comunicado anterior, a AHRESP tinha apontado que, no seu entendimento, a proibição em causa não se aplicava às reservas de alojamento previamente efetuadas.

Na leitura que faz do diploma, a AHRESP entende que as reservas previamente concretizadas, quer no domínio do Alojamento Turismo, quer no domínio dos eventos familiares e corporativos, "se encontram acomodadas" na parte da resolução que indica que esta restrição não se aplica "às deslocações de cidadãos não residentes para locais de permanência comprovada".

Porém, na altura, a associação ressalvou que ia pedir uma clarificação à tutela.

No início desta semana a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) apelou para que a proibição de deslocações entre concelhos exclua as reservas em estabelecimentos hoteleiros feitas antes do anúncio da medida.

Esta medida foi aprovada na reunião do Conselho de Ministros realizada dia 22 de outubro, notando a AHP que causou "imensa perturbação e cancelamentos" junto de alguns estabelecimentos hoteleiros, nas "reservas previstas de pequenos grupos, nacionais e estrangeiros".

Pouco mais de uma semana após o Conselho de Ministros ter anunciado o regresso do estado de calamidade, devido ao aumento de casos de contágio pelo novo coronavírus, foi aprovada, em 22 de outubro, a proibição de circulação entre concelhos do continente, durante o fim de semana correspondente ao Dia de Finados, estando previstas medidas semelhantes às da Páscoa.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

CENTENO ALERTA PARA RISCO DE NOVA CRISE FINANCEIRA

 


O Governador do Banco de Portugal foi ao FMI defender "mudanças na proteção dos empregos existentes e mais apoio a novas contratações nos setores dinâmicos".

A atual crise económica pode resvalar para uma nova crise financeira se não forem usados todos os instrumentos de política orçamental e monetária disponíveis, de forma direcionada, preferencialmente, alertou Mário Centeno, o governador do Banco de Portugal (BdP), numa intervenção feita no âmbito dos encontros anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Nesse mesmo discurso, na sexta-feira, dirigido a uma audiência internacional de decisores de topo, o ex-ministro das Finanças sublinhou ainda que os governos têm de usar muito bem os fundos que vão receber para sair da crise e tentar não acumular mais dívida. É que esta terá de descer num futuro próximo. A dívida tem de ser sustentável, insistiu.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, tem evitado referir-se diretamente à possibilidade de uma nova crise financeira, uma que deite abaixo os mercados e perturbe o custo da dívida. Lagarde tem tido esse cuidado, mas já por várias vezes se referiu aos riscos crescentes para a estabilidade financeira.

Centeno aproveitou o palco do FMI para deixar vários avisos à navegação, muitos deles, certamente, para consumo interno.

Primeiro, num tom mais genérico, mais europeu, o governador alertou para a "miopia" dos agentes do mercado, que podem estar a fazer investimentos como se as taxas de juro nunca fossem subir dos atuais mínimos históricos. É algo que pode concentrar dinheiro e criar bolhas que ameaçam a estabilidade financeira.

Por exemplo, já vários economistas e instituições alertaram para o facto de os bancos (os portugueses são um exemplo disso) estarem a acumular demasiada dívida pública nos seus balanços, o que ressuscita os medos da crise anterior. Quando a dívida começou a ter problemas, os bancos acabaram por ser arrastados. Isto não aconteceu só em Portugal. A anterior crise financeira e da dívida foi sistémica e global.

"Devemos assegurar-nos de que possíveis movimentos de procura por rendibilidade não ameaçam a estabilidade financeira, principalmente se os agentes têm expectativas míopes e esperam taxas de juro baixas por muito tempo", referiu Centeno.

Nesse aspeto, o governador assegurou que as autoridades (o BCE sobretudo) têm ao seu dispor "um conjunto de políticas macroprudenciais e microprudenciais" caso seja necessário calibrar os incentivos dos bancos e de quem pede emprestado. Essas repostas podem ser dirigidas, podem ser desenhadas à medida dos setores em causa e dos países, disse.

E se for preciso "outro tipo de respostas", "elas certamente serão analisadas".

Isto para concluir que, nesta fase da crise pandémica, "todos os instrumentos são necessários" pois "a crise atual não pode transformar-se numa crise financeira", acenou Mário Centeno.

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

"SENHOR MINISTRO, SE SÃO AS QUATRO ROTAS DO PORTO QUE DÃO PREJUIZO, PARE COM ELAS"

 



O ministro das Infraestruturas disse, no Parlamento, que a TAP tem prejuízo com as rotas do Porto.

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, não gostou das declarações do ministro das Infraestruturas, na quinta-feira na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no Parlamento.

Pedro Nuno Santos disse que as rotas da TAP para o Porto dão prejuízo à empresa. Rui Moreira respondeu no Facebook:

"Pelos vistos, são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo à TAP. As rotas de Lisboa darão lucro. A nova rota Lisboa/Bilbau deve ser um 'must' em termos de rentabilidade e importantíssima para uma estratégia nacional. Promover visitas ao Gugenheim basco é 'top'. Mas, senhor ministro, são boas notícias. Se são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo, pare com elas. Mas, por favor, incorpore a TAP na Carris ou na muito rentável Soflusa. Não nos importamos, havemos de encontrar uma solução. Para Lisboa é ótimo: fica com a TAP que, sem o prejuízo do Porto, deixa de ser um perdócio".

domingo, 11 de outubro de 2020

APROVADO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2021 EM CONSELHO DE MINISTROS

 



O Governo aprovou este domingo a proposta de lei do Orçamento do Estado para o próximo ano. "O Conselho de Ministros aprovou hoje, por via eletrónica, a Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2021 e a Proposta de Lei das Grandes Opções, as quais haviam sido aprovadas na generalidade no Conselho de Ministros de 8 de outubro", pode ler-se no comunicado do Executivo.

O documento já tinha sido aprovado, na generalidade, no Conselho de Ministros da última quinta-feira, com algumas questões ainda por fechar.

Depois de entregue pelo Governo na segunda-feira no Parlamento, a proposta do OE2021 é depois votada na generalidade em 28 de outubro, estando a votação final global do documento marcada para 26 de novembro.

sábado, 10 de outubro de 2020

A SARDINHA PROIBIDA

 



A pesca da sardinha tinha reaberto este ano no dia 1 de junho depois de ter sido encerrada no dia 12 de outubro do ano passado.

A captura e descarga de sardinha está proibida a partir deste sábado, segundo a decisão do Governo publicada esta semana em Diário da República.

Na quinta-feira, o despacho da secretária de Estado das Pescas , Teresa Coelho, indicou que fica "interdita a captura, manutenção a bordo e descarga de sardinha, a partir das 0:00 horas do dia 10 de outubro de 2020, com qualquer arte de pesca".

Segundo o diploma, a captura de sardinha atingiu o limite fixado para este ano pelo Governo, tendo em conta o acordado com Espanha no Plano Plurianual para a Gestão e Recuperação da Sardinha 2018-2023, visando esta decisão reforçar as medidas de conservação e proteção da espécie.

A pesca da sardinha tinha reaberto este ano em 01 de junho, com limites de captura diários e semanais, depois de ter sido encerrada em 12 de outubro do ano passado.

Em maio, o Governo definiu que a pesca da sardinha seria proibida a partir de 31 de julho, mas no final de julho, num despacho do anterior secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, decidiu prolongar a possibilidade de capturas após 01 de agosto, aumentando o limite de descargas obtidas com a arte de cerco para 6.405 toneladas e proibindo a partir de 14 de setembro a pesca de sardinha às quartas-feiras.

Segundo esse despacho, quando o limite de descargas de sardinha de 6.405 toneladas fosse atingido, seria publicado novo despacho, a proibir a captura, manutenção a bordo e descarga de sardinha, o que aconteceu esta semana.


quinta-feira, 8 de outubro de 2020

CADA FAMÍLIA PAGA CERCA DE 9 EUROS POR MÊS DE TAXA QUE JÁ NÃO DEVERIA EXISTIR



Os portugueses estão a pagar 30 milhões de euros anuais, numa ma taxa que devia ter terminado há três anos. A taxa tem a ver com a ocupação dos solos.

No Orçamento do Estado de 2017 ficou estipulado que o custo ficava a cargo das empresas de infraestruturas e não se podia refletir na fatura dos consumidores.

A situação mantém-se e no caso da Covilhã a taxa de ocupação do subsolo representa 40 por cento da fatura do gás.

O Jornal de Notícias fez as contas e revela que cada família paga em média cerca de 9 euros por mês por uma taxa que já não devia estar em vigor.

segunda-feira, 27 de julho de 2020

FINALMENTE, SERÁ PAGO O COMPLEMENTO DO "LAY-OFF" ESTA 5ª FEIRA



"O Instituto da Segurança Social já fez o processamento do complemento de estabilização e já deu ordem para a transferência que será feita para que seja pago diretamente aos trabalhadores e a informação que eu tenho, de acordo com as ordens de transferência, é de que estará à disposição dos trabalhadores no dia 30, tal como estava previsto", disse a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes.

Cerca de 470 mil pessoas deverão receber este complemento, seja quem teve em "lay-off" simplificado ou em "lay-off" normal (do código do trabalho).















FRASES RACISTAS EM MUROS DE UNIVERSIDADE EM LISBOA

  Os muros da Universidade Católica Portuguesa (UCP) e de uma instituição de ensino secundária em  Lisboa  foram pichados com insultos racis...