Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta FRANÇA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta FRANÇA. Mostrar todas as mensagens

domingo, 17 de abril de 2022

MARINE LE PEN ACUSADA DE FRAUDE POR RELATÓRIO EUROPEU


A candidata presidencial francesa da extrema-direita Marine Le Pen e pessoas próximas dela são acusadas de ter desviado cerca de 600 mil euros de dinheiro público europeu durante os respetivos mandatos como eurodeputados.

A acusação provém do Organismo Europeu de Luta Antifraude (OLAF), segundo um novo relatório divulgado no sábado pelo portal de informação francês Mediapart e enviado à justiça francesa.

Questionado pela agência de notícias francesa AFP, o Ministério Público de Paris confirmou ter recebido a 11 de março este relatório, que está agora a ser analisado.

"Estou espantado com o momento escolhido para a revelação" e a sua "instrumentalização", reagiu Rodolphe Bosselut, o advogado de Marine Le Pen, que se encontra em campanha para a segunda volta das eleições presidenciais em França, que se realizará a 24 de abril, e em que enfrentará o atual chefe de Estado, o centrista Emmanuel Macron.

Bosselut declarou-se também "consternado com a forma como o OLAF está a atuar, sem contraditório" e em relação a "factos antigos, com mais de dez anos" nalguns casos.

Marine Le Pen "não foi intimada por qualquer autoridade judicial francesa", acrescentou, lamentando ainda que nem ele nem a sua cliente tenham recebido o relatório final.

Segundo o advogado, a investigação do OLAF está em curso desde 2016 e Le Pen foi interrogada por correio em março de 2021.

O novo relatório do OLAF, do qual o Mediapart publicou excertos, diz respeito a ajudas que os grupos políticos podem utilizar no âmbito do seu mandato de deputados europeus e que Marine Le Pen e pessoas próximas dela terão utilizado para fins políticos nacionais, despesas pessoais e subsídios a empresas próximas do seu partido, então chamado Frente Nacional (FN, atualmente União Nacional), e do grupo parlamentar de extrema-direita Europa das Nações e das Liberdades (ENL).

O OLAF implica Marine Le Pen, outros três ex-eurodeputados franceses o seu pai, Jean-Marie Le Pen, o seu antigo companheiro, Louis Aliot, e Bruno Gollnisch, membro do secretariado nacional da FN e o ENL.

O organismo acusa-os de terem desviado cerca de 600 mil euros, cujo reembolso pretende que seja feito.

Segundo o relatório, a candidata da Frente Nacional terá pessoalmente desviado cerca de 137.000 euros de dinheiro público do Parlamento de Estrasburgo quando foi eurodeputada, entre 2004 e 2017.

Desde junho de 2017, Marine Le Pen é também perseguida judicialmente no âmbito do inquérito em curso em Paris sobre suspeitas de criar empregos fictícios no Parlamento Europeu para assistentes do partido.

Neste momento, está, portanto, indiciada por "desvio de fundos públicos" e "cumplicidade" no crime em causa neste inquérito.

quinta-feira, 3 de março de 2022

MACRON RECANDIDATA-SE PARA "DEFENDER OS VALORES QUE OS DESVARIOS DO MUNDO AMEAÇAM"


Emmanuel Macron, Presidente da República francês, declarou-se esta noite candidato às eleições presidenciais de abril, "para defender os valores que os desvarios do Mundo ameaçam".

"Sou candidato para inventar convosco, face aos desafios do século, uma resposta e europeia singular. Sou candidato para defender os nossos valores que os desvarios do Mundo ameaçam. Sou candidato para continuar a preparar o futuro dos nossos filhos e dos nossos netos. Para nos permitir hoje e amanhã decidirmos por nós próprios", escreveu Emmanuel Macron numa carta publicada esta noite nas edições online dos principais jornais locais franceses, e que sairá amanhã nas respetivas versões em papel.

O atual Presidente admite não ter sido bem-sucedido em todas as suas iniciativas e que faria algumas coisas de forma diferente, mas ressalva que "as transformações levadas a cabo durante este mandato" permitem à França "viver melhor", sublinhando o resultado alcançado com a descida do desemprego para os níveis mais baixos dos últimos 15 anos.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

FOTÓGRAFO RENÉ ROBERT CAIU NUMA RUA DE PARIS E MORREU AO FRIO APÓS NOVE HORAS SEM AJUDA


O fotógrafo René Robert, de 84 anos, morreu de hipotermia, depois de ter desmaiado e de ter ficado caído numa rua parisiense durante nove horas, sem receber ajuda. O incidente aconteceu na noite de 19 de janeiro.

O artista saiu de casa em direção à "Place de La République", no centro da capital francesa. No caminho sentiu-se mal, desmaiou, caiu e ficou assim durante nove horas. Quando os bombeiros chegaram ao local, o homem já tinha morrido de hipotermia, segundo o jornal "El País".

Segundo inúmeras reportagens nos meios de comunicação social franceses, ninguém parou para ajudar Robert quando este caiu desamparado no meio de uma rua movimentada da capital francesa. De acordo com o amigo do fotógrafo Michel Mompontet, Robert morreu graças "à indiferença" das pessoas.

"Os bombeiros, alertados por um sem-abrigo, chegaram ao local por volta das 6.30 horas da manhã", disse Mompontet à televisão francesa France Info. "(Robert) ficou ao frio durante mais de nove horas, sozinho, até morrer. A equipa médica do hospital de Cochin não foi capaz de o reanimar".

Para o amigo da vítima, a morte do artista é um exemplo trágico de uma sociedade indiferente. "Ao menos que se aprenda alguma coisa com esta morte. Quando uma pessoa está deitada no chão, mesmo que estejamos com pressa, vamos ajudá-la. Vamos parar", pediu, ainda, Mompontet.

Robert nasceu em 1936 em Fribourg, Suíça. Começou a carreira na fotografia nos campos da publicidade e da moda, mas ganhou fama com os seus retratos do mundo do flamenco.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

GOOGLE E FACEBOOK MULTADAS EM 210 MILHÕES DE EUROS POR CONDUTA ILÍCITA


As gigantes tecnológicas Google e Facebook foram sancionadas pelo órgão fiscalizador da privacidade de dados da França por não permitir aos utilizadores a recusa de "cookies", que facilitam o acesso das empresas ao histórico de atividades online de cada indivíduo.

"Rejeitar cookies deve ser tão fácil quanto aceitá-las". A mensagem foi deixada pela chefe de proteção de dados e sanções da "Commission Nationale de l'Informatique et des Libertés" (CNIL), Karin Kiefer, em relação à conduta do Facebook e da Google que foram multadas em 60 e 150 milhões de euros, respetivamente, por desrespeitar os regulamentos de privacidade dos dados da União Europeia.

Karin explica que para a CNIL "o consentimento prévio dos utilizadores para o uso de cookies é um pilar fundamental". A empresa deixou um aviso claro: quer a Google como o Facebook têm três meses para facilitar a rejeição de "cookies" aos utilizadores franceses, porque caso contrário as empresas irão enfrentar multas extraordinárias de 100 mil euros por cada dia de atraso.

A Google já se pronunciou sobre o assunto e garantiu aos seus clientes transparência e responsabilidade no que respeita à proteção de dados. "As pessoas confiam em nós para garantir o seu direito à privacidade. Estamos a comprometermo-nos com mudanças futuras e um trabalho ativo com a CNIL à luz desta decisão".

Em comunicado, o Facebook também garantiu um maior controlo dos utilizadores em relação aos seus próprios dados e às preferências das "cookies". "As pessoas podem rever e gerir as suas decisões a qualquer momento e nós continuamos a desenvolver e a melhorar esses controlos", concluiu.

Em 2020 a CNIL já havia reforçado esta política, defendendo a alteração de qualquer acordo inicial dos utilizadores em relação aos cookies, seja através de um link numa página web ou de um ícone que deve estar visível na página de qualquer site.

As "cookies" são pequenas caixas de texto que criam um perfil da atividade comercial de uma pessoa na web.

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

VÍDEO: MACRON ATINGIDO COM UM OVO DURANTE VISITA A LYON


O presidente Emmanuel Macron foi agredido com um ovo durante uma visita à Feira Internacional de Catering que decorre em Lyon. O responsável pelo arremesso foi imediatamente sinalizado e algemado.

De acordo com a imprensa francesa, o agressor é um jovem de 19 anos que foi detido por violência contra uma pessoa de autoridade pública.

domingo, 12 de setembro de 2021

PRESIDENTE DA CÂMARA DE PARIS ANUNCIA CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA FRANCESA


A presidente da Câmara de Paris, a socialista Anne Hidalgo, anunciou, este domingo, a candidatura às presidenciais francesas de 2022.

Hidalgo fez o anúncio rodeada de militantes partidários num evento na cidade portuária de Rouen (noroeste) no qual destacou as suas modestas origens numa família de origem espanhola que emigrou e o facto de a França lhe ter dado a oportunidade de crescer pessoal e profissionalmente, ao ponto de aspirar à mais alta posição de responsabilidade no país.

"Estou aqui para vos falar de França. Eu, uma mulher francesa nascida em Espanha, cheguei ao nosso país aos dois anos de idade e cresci em Lyon, num bairro da classe trabalhadora.

Recordou o seu pai, "um trabalhador dos estaleiros navais de Cádis", a sua mãe, uma costureira, e o seu avô, "condenado à morte por um tribunal militar franquista" que transmitiu ao seu filho "o amor pela França, o país das liberdades, da República e de Victor Hugo".

A mulher franco-espanhola de 62 anos disse que agora está "preocupada com esta França que lhe deu a sua oportunidade" porque acredita que "o modelo republicano está a desintegrar-se e com este as proteções que foram sendo construídas ao longo da História" de França.

Na sua opinião, as liberdades estão a ser reduzidas. Em vez de igualdade há um aumento da injustiça e em vez de fraternidade o país "está dividido em grupos hostis, em comunidades separadas, em fações que mostram a sua amargura, a sua raiva, por vezes com tanta violência".

É por isto que estou "pronta" para "fazer das nossas esperanças a realidade das nossas vidas". Decidi ser candidata à Presidência da República Francesa", afirmou.

Sem entrar em muitos detalhes sobre o que será o seu programa, Hidalgo referiu os principais pontos, incluindo a transição ecológica com energias renováveis, o aumento dos salários dos funcionários públicos e a abertura de negociações setoriais para aumentar os salários dos trabalhadores, que disse que estariam "mais envolvidos nos conselhos de administração".

"Com a minha história, com a minha experiência, fiel aos meus valores e livre como sempre fui, quero fazer o que puder para reparar para construir uma França mais justa", concluiu.

domingo, 22 de agosto de 2021

CENTENAS DE AFEGÃOS MANIFESTAM-SE EM PARIS PELA CRIAÇÃO DE CORREDOR HUMANITÁRIO


Centenas de afegãos manifestaram-se este domingo em Paris para reivindicar ações políticas que agilizem as evacuações do Afeganistão e a criação de um corredor humanitário, numa altura em que existe no país asiático a ameaça de perseguições pelo regime talibã.

Conforme noticia a agência Efe, os manifestantes, maioritariamente homens e jovens, concentraram-se na Praça da República com cartazes e bandeiras do Afeganistão, com as cores que foram substituídas pela bandeira dos talibãs.

"Salvem já as nossas famílias", "evacuação já!", "corredor humanitário já" e "dirigentes europeus, atuem agora" eram algumas das mensagens que se podiam ler nos cartazes.

Os organizadores deste protesto manifestaram num comunicado que querem reunir-se com o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Diran, para apresentar as suas reivindicações.

Uma delas é o acolhimento dos familiares dos migrantes afegãos que já vivem em França, "independentemente de qual seja o seu estatuto, para proteger as suas vidas".

O Governo francês tem já em marcha um dispositivo militar, com aviões que estão desde segunda-feira a realizar voos entre Cabul (capital do Afeganistão), uma base dos Emirados Árabes Unidos e Paris para retirar do Afeganistão os cidadãos franceses, afegãos que trabalharam para os seus serviços, soldados e outros membros da sociedade civil.

No sábado aterrou no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, o quinto voo proveniente do Afeganistão, que levou à capital francesa mais de 600 pessoas, na sua maioria de nacionalidade afegã.

Para hoje está prevista a chegada de outra aeronave.

França pediu aos Estados Unidos que permita e facilite a retirada dos cidadãos dos países aliados e de todos os afegãos cujas vidas corram perigo em Cabul, prolongando a operação no aeroporto, com maior coordenação.

Entretanto, o Pentágono anunciou hoje que ordenou o recurso, com caráter de emergência, de 18 aviões comerciais dos Estados Unidos da América (EUA) para o transporte de afegãos retirados de Cabul.

Em causa estão três aeronaves das companhias American Airlines, Atlas Air, Delta Air Lines e Omni Air, duas da Hawaiian Airlines e quatro da United Airlines .

Também durante o dia de hoje sete civis afegãos morreram esmagados na multidão perto do aeroporto internacional de Cabul, no meio do caos dos que tentam fugir da tomada de poder pelos talibãs, revelaram forças militares britânicas.

O aeroporto tem sido o ponto de encontro de milhares de pessoas que tentam fugir aos talibãs, que invadiram Cabul há uma semana depois de um avanço relâmpago na tomada do país.

Os Estados Unidos retiraram cerca de 17 mil pessoas do país desde que a operação de resgate começou, em 14 de agosto, incluindo 2500 cidadãos americanos, disse no sábado o subdiretor de logística do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, general Hank Taylor.

Nas últimas 24 horas, cerca de 3800 pessoas foram transportadas em 38 voos.

Os talibãs conquistaram Cabul no dia 15 de agosto, concluindo uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista (1996-2001), que acolhia no seu território o líder da Al-Qaida, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

A tomada da capital pôs fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

segunda-feira, 12 de julho de 2021

VÍDEO: EMMANUEL MACRON FALOU AO PAÍS

 




Mais uma vez, tivemos que esperar o discurso presidencial para saber que medidas haviam sido decididas. Enquanto o governo continua alertando para uma "quarta onda" da epidemia de Covid-19 neste verão , Emmanuel Macron falou na noite desta segunda-feira, às 20h, no Palácio do Eliseu.

O Chefe de Estado apresentou várias medidas destinadas a conter a progressão da variante Delta , que é muito transmissível. Vários deles, incluindo a vacinação dos cuidadores e a ampliação do passe de saúde, eram fortemente esperados. Aqui está tudo que você precisa lembrar.

Quarta onda

Emmanuel Macron diz por sua vez: a França enfrenta uma nova "onda ". “Enquanto falo com vocês, nosso país enfrenta uma forte retomada da epidemia”, garantiu. O número de casos diários aumentou durante duas semanas consecutivas, de menos de 2.000 para 3.500.Este aumento é especialmente visível entre adolescentes e adultos jovens, mas não conduz, de momento, a um aumento das hospitalizações.

A variante Delta, estimada em 50% mais contagiosa que a variante Alpha (chamada “britânica”, ela mesma 50% mais contagiosa que a cepa original), está na origem dessa retomada epidêmica. Um estado de emergência de saúde é declarado na Martinica e na Reunião, afetadas por uma forte retomada da epidemia, mesmo que a variante Delta seja minoria.

Cuidadores (mas não apenas) obrigados a ser vacinados

Conforme previsto, a vacinação passará a ser obrigatória para os cuidadores mas também para “todos os profissionais em contacto com pessoas vulneráveis”, anunciou o Chefe do Estado. Eles devem ter sido concluídos até 15 de setembro (as verificações ocorrerão a partir dessa data), e uma lei deve ser adotada até então. Em 11 de julho, apenas 61,3% dos profissionais em lares de idosos e 81% dos profissionais de saúde liberais receberam pelo menos a primeira dose da vacina, de acordo com a Public Health France.

O projeto de lei será encaminhado ao Conselho de Estado na terça-feira. Nenhuma dúvida, nesta fase, de ir mais longe. Mas Emmanuel Macron avisa: também teremos que “nos colocar a questão da vacinação obrigatória para todos os franceses” a médio prazo, e se a cobertura vacinal não aumentar o suficiente.

Além disso, uma campanha de recall, ou seja, para administrar uma terceira injeção, será lançada a partir do início de setembro para os vacinados em janeiro e fevereiro.

Restaurantes, cinemas o passe de saúde estendido

Até então reservado para grandes eventos com mais de 1000 pessoas e discotecas (a partir de 50 clientes), o passe sanitário vê o seu âmbito alargado. A partir de 21 de julho, o limite aumentará para 50 pessoas em todos os locais já envolvidos. Será então imposto ir ao teatro e ao cinema (a partir de 21 de julho), e ir a um restaurante, tomar o trem, o avião ou o ônibus de longa distância a partir do início de agosto. Muito importante saber para as famílias, o passe saúde também se aplica a crianças com mais de 12 anos.

Esta é uma grande mudança de posição para Emmanuel Macron. “O passe de saúde não pode ser obrigatório para acessar locais da vida cotidiana como restaurantes, teatros e cinemas, ou para ir a amigos” , disse ele em entrevista à imprensa regional (incluindo Le Parisien), 29 de abril .

Como um lembrete, para ter este gergelim, você deve ter sido totalmente vacinado por pelo menos duas semanas, ou ter um PCR negativo ou teste de antígeno de menos de 48 horas, ou ter prova de que seu teste foi positivo. Entre 6 meses ( na verdade desde o final de março ) e duas semanas antes.

Com esse novo arsenal, o governo pretende estimular o maior número de pessoas possível a se vacinar. Um terço dos adultos ainda não recebeu nenhuma dose da vacina na França contra 13% no Reino Unido, por exemplo.

Testes de PCR menos reembolsados ​​no outono

Ainda para motivar a vacinação, Emmanuel Macron anunciou que os testes de PCR sem receita médica não serão mais reembolsados ​​pela Previdência Social no próximo outono. O objetivo é “incentivar a vacinação em vez da multiplicação de testes”, disse. Este já é o caso, desde 7 de julho, para todos os não residentes na França.

Nenhum novo país na zona laranja ou vermelha

Posso ficar de férias? Muitos estão a fazer esta pergunta, especialmente porque o Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Clément Beaune, sugeriu que era melhor evitar Espanha e Portugal aquando da reserva .

Emmanuel Macron anunciou um reforço dos controles de fronteira, com "isolamento forçado para pessoas não vacinadas", mas sem especificar se isso afetaria todos os países estrangeiros. Ele não indicou uma mudança de cor para alguns deles.

Por enquanto, vir de um país da zona laranja implica, se alguém for vacinado, ter uma razão convincente para vir à França, então respeitar o auto-isolamento de uma semana. Vindo de um país na zona vermelha implica um auto-isolamento de 7 dias para os vacinados e uma quarentena de 10 dias, estrita e controlada pela polícia, para os não vacinados.

“É essencial manter um alto nível de adesão às medidas de prevenção e rastreamento, rastreamento de contatos e respeito ao isolamento em caso de infecção ou contato com um caso confirmado”, insiste Public Health France em sua última atualização epidemiológica semanal, publicada quinta-feira, 8 de julho.

Reforma da previdência e garantia da juventude

A reforma da previdência será debatida “assim que estiverem reunidas as condições sanitárias”, anunciou Emmanuel Macron. Já o do Seguro Desemprego, estará “integralmente implantado a partir de 1º de outubro”. Com uma "recuperação vigorosa da economia", o chefe de estado também prevê um crescimento de 6% em 2021.

Para os jovens, o Chefe de Estado promete “continuar a investir”, nomeadamente através do programa “1 jovem 1 solução” que será “continuado”. Ele também quer “construir um novo pacto entre gerações”, ao mesmo tempo que se compromete a não aumentar os impostos. Poucas pessoas duvidam de que ele pretende se candidatar à reeleição em um ano, mesmo que ele não tenha dito nada a respeito.

terça-feira, 22 de junho de 2021

JOVEM ATROPELADA MORTALMENTE POR TROTINETE


A polícia francesa está à procura de duas mulheres que atropelaram, na segunda-feira, em Paris, uma jovem italiana de 31 anos com uma trotinete elétrica.

Miriam estava a passear na margem do rio Sena, na capital francesa, quando uma trotinete a atingiu. A vítima acabou por bater com a cabeça no chão e sofrer uma paragem cardíaca.

Alguns mergulhadores da polícia fluvial, que estavam na zona, conseguiram reanimar a jovem e levá-la consciente para o hospital, no entanto, na quarta-feira, Miriam não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.

Este caso levantou novamente o debate sobre as "e-scooters" em Paris, devido ao perigo que estas representam para os peões. Em 2019, o governo francês já havia implementado algumas medidas aos utilizadores das trotinetes, como a obrigatoriedade de ter pelo menos 12 anos de idade.

terça-feira, 8 de junho de 2021

VIDEO: EMMANUEL MACRON AGREDIDO DURANTE VISITA AO SUL DE FRANÇA


A agressão aconteceu antes do almoço, após uma visita à escola de hotelaria de Tain-l'Hermitage, no departamento de Drôme. O presidente francês aproximou-se de um grupo de populares, para os cumprimentar, e foi interpelado por um homem que gritou "A bas la Macronie", "Abaixo a Macronia" uma clara referência contra o chefe de Estado. Macron foi esbofeteado e afastado da multidão pelos seguranças.

O vídeo do momento foi captado e divulgado nas redes sociais. O Eliseu já confirmou a agressão e a detenção de duas pessoas.

quarta-feira, 19 de maio de 2021

PRIMEIRO VOO INTERCONTINENTAL COM ÓLEO PARA FRITAR NO COMBUSTÍVEL PARTIU DE PARIS


Um Airbus A350 da Air France levantou esta terça-feira à tarde de Paris para Montreal (Canadá), no primeiro voo intercontinental a utilizar um combustível com uma mistura de 16% de óleo para fritar.

Este biocombustível, produzido na refinaria que o grupo petrolífero Total tem em La Mède, perto de Marselha (sudeste de França), pode evitar neste voo a emissão de 20 toneladas de dióxido de carbono (CO2), afirmaram numa declaração as quatro empresas parceiras na experiência.

A Airbus, a Air France, a Total e os Aeroportos de Paris (ADP) sublinharam que esta iniciativa conjunta concretiza a ambição de descarbonizar o transporte aéreo e desenvolver a produção em França de combustíveis sustentáveis para a aviação, um "pré-requisito" para a utilização nos aeroportos do país.

Segundo os cálculos da Air France, a utilização desta mistura de óleo de fritura representa um custo adicional por passageiro de cerca de quatro euros para a rota entre a capital francesa e a cidade canadiana.

Para evitar uma perda de competitividade, o objetivo é generalizar a utilização destes biocombustíveis para todas as companhias aéreas.

A regulamentação francesa estipula que a partir de 2022, 1% dos biocombustíveis devem ser utilizados em todos os voos com partida do país, uma percentagem que terá de aumentar para 2% em 2025 e 5% em 2030.

Paralelamente à operação desta terça-feira, a Airbus está a realizar uma série de testes para certificar aviões que podem utilizar 100% de biocombustíveis "nas próximas décadas".

O grupo franco-holandês Air France-KLM gaba-se de ser um dos pioneiros na utilização destes combustíveis, com um primeiro voo de um avião KLM em 2009.

O seu diretor-geral, Benjamin Smith, salientou que os combustíveis sustentáveis, juntamente com a renovação da frota, são os principais mecanismos a médio prazo para o objetivo de reduzir, para metade, as emissões de CO2 por passageiro até 2030.

Por seu lado, o diretor-geral da Airbus, Guillaume Faury, apelou a todos os atores do setor para trabalharem em conjunto para aumentar o peso relativo destes biocombustíveis, que já poderiam ser utilizados com uma mistura de 50% nos aviões, "sem qualquer modificação ou impacto operacional", o que reduziria o impacto ambiental.

segunda-feira, 10 de maio de 2021

EM FRANÇA JÁ NÃO PRECISA DE IR AO CONSULADO BUSCAR O CARTÃO DE CIDADÃO


A partir desta segunda-feira, 10 de maio, os cartões de cidadão efetuados ou renovados presencialmente nos consulados portugueses em França poderão ser enviados por correio para casa dos utentes.

Esta solução permite evitar que os cidadãos nacionais se tenham que deslocar aos consulados portugueses em França uma segunda vez, após terem solicitado ou renovado o Cartão do Cidadão presencialmente”, explica o Consulado de Portugal em Paris em nota publicada nas redes sociais.

Trata-se de um serviço dedicado que resulta do protocolo estabelecido com a Chronopost e que funcionará com um custo uniforme em toda a França e “garantirá uma entrega célere e segura dos cartões de cidadão qualquer que seja a zona de residência”, informa a mesma fonte.

Esta medida permite, por um lado, dispensar os cidadãos nacionais de se deslocarem duas vezes ao Consulado cada vez que têm que solicitar um novo cartão de cidadão, e por outro, “libertar os funcionários consulares da tarefa de entrega de cartões e dedicarem-se a outras funções nos consulados, novamente a benefício dos utentes”, considera o Consulado.

O serviço de entrega de cartões de cidadão por correio começa a generalizar-se, estando já em vigor em vários países.

sexta-feira, 30 de abril de 2021

TRABALHADORES DE FÁBRICA DA RENAULT "RAPTARAM" GERENTES COMO FORMA DE PROTESTO


Os trabalhadores de uma fábrica que produz peças para carros da Renault "raptaram" sete gerentes, como forma de protesto contra a venda da fábrica. O episódio aconteceu esta terça-feira na fábrica da Fonderie de Bretagne, que fica junto a Lorient, no noroeste de França.

Os trabalhadores retiveram os gerentes, contra a vontade destes, na fábrica durante 12 horas. Mantiveram-nos presos desde a manhã, só os libertando pelas 22h30.

Citado pelo jornal The Guardian, um representante do sindicato dos trabalhadores, Mael Le Goff, afirmou que decidiram libertar os gerentes porque "eles continuavam a não querer dialogar e era inútil tentar falar com alguém que não quer falar".

A Renault já veio condenar fortemente o "rapto" dos gerentes e garantiu que está a procurar um comprador para a fábrica que mantenha a atividade da mesma e salvaguarde os postos de emprego. Atualmente, a unidade industrial emprega cerca de 350 pessoas.

Apesar de terem libertado os gerentes, os trabalhadores garantem que vão continuar a luta, até a Renault reconsiderar os planos de venda da fábrica, que se mantém encerrada.

Este não é o primeiro caso de "rapto de gerentes" a acontecer em França. Em 2014, os trabalhadores de uma fábrica de pneus no norte de França mantiveram os dois diretores presos na fábrica durante 300 horas, em forma de protesto contra o encerramento da mesma. E, em 2015, trabalhadores da companhia aérea Air France perseguiram vários líderes na sede da empresa, atacando-os em frente a câmaras de televisão, após a empresa ter anunciado o corte de 2900 postos de trabalho.

sexta-feira, 23 de abril de 2021

ABATIDO DEPOIS DE INVADIR ESQUADRA E MATAR UMA AGENTE EM FRANÇA


Um homem foi abatido pela Polícia depois de, nesta sexta-feira à tarde, ter matado à facada uma agente de uma esquadra na cidade francesa de Rambouillet.

Aconteceu por volta das 14.20 (hora francesa, menos uma em Portugal continental). O agressor, um tunisino de 36 anos, entrou na esquadra de Rambouillet, a cerca de 60 km a sudoeste de Paris, e esfaqueou mortalmente uma agente que fazia trabalho administrativo na receção. Acabou morto a tiro por outros polícias que logo sacaram das armas de serviço, informou a Procuradoria de Versalhes à agência de not​​​​​​ícias ​France Presse.

A vítima, esfaqueada na garganta, sofreu uma paragem cardíaca em consequência do ataque e morreu pouco depois, apesar da intervenção dos socorristas. De acordo com o jornal online francês "20 minutes", o agressor, desconhecido das autoridades francesas e que estava em território francês de forma ilegal, terá seguido a mulher, de cerca de 40 anos, desde o exterior, atacando-a dentro da esquadra.

As autoridades estão a investigar o caso, cujas motivações não são ainda conhecidas, sabendo-se apenas que está em curso uma avaliação pela Polícia de Combate ao Terrorismo.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, e o ministro do Interior, Gerald Darmanin, estão a ir para o local.

quarta-feira, 14 de abril de 2021

PORTUGUESA MORTA COM 15 FACADAS PELO MARIDO QUE SE SUICIDOU A SEGUIR


Glória Lourenço, de 46 anos, foi brutalmente assassinada em casa, em Côte D’Or, sexta-feira à noite. O marido já tinha sido condenado por violência doméstica pela ex-mulher. Glória deixa um filho de oito anos.

O alarme para tragédia foi dado pela ex-mulher de Sebastien Clouet, que era atual marido de Glória Lourenço, residente em Beire-le Châtel, Côte D’Or, pelas 21h30 de sexta-feira passada.

“Fiz uma asneira” disse Sebastien Clouet à ex-companheira anunciando que se iria “matar”. A ex-mulher telefonou imediatamente para a polícia contando que o francês poderia ter acabado de assassinar a sua atual esposa.

Os agentes deslocaram-se a casa de Glória Lourenço e confirmaram as piores suspeitas. A lusodescendente “estava morta”, tendo sido violentamente assassinada com 15 facadas “no tórax e no pescoço” desferidas por duas facas diferentes “do tipo facas de cozinha descobertas cheias de sangue no local da tragédia”, concluiu a autópsia realizada domingo. O relato do crime foi feito por Éric Mathais, procurador geral de Dijon num comunicado enviado à comunicação social e citado pela France Bleu.

A portuguesa deixa um filho de 8 anos, fruto de uma anterior relação. Na altura do crime o menino não estava em casa. 

Após a descoberta do “corpo sem vida” da lusodescendente as equipas da polícia iniciaram uma busca “muito ativa” para encontrar Sebastien Clouet, de 46 anos, e gestor da empresa de caminhos de ferro franceses.

O automóvel do francês foi encontrado parado na autoestrada A6 perto de Pouilly-en-Auxois e o seu corpo foi descoberto pouco depois por baixo de um viaduto da mesma estrada “do qual obviamente se acabara de atirar”, refere o procurador de Dijon.

Uma investigação por “flagrante delito sob a acusação de homicídio agravado” foi aberta pelo Ministério Público de Dijon para “determinar as circunstâncias exatas do crime” e está a ser realizada pelas brigadas de Dijon, Is-sur-Tille e Beaune.  

Condenado por vários crimes

O marido de Glória Lourenço era bem conhecido da polícia por vários motivos, frisou o procurador.

Embora Glória Lourenço nunca tenha apresentado queixa por violência doméstica contra o marido, a ex-mulher de Sebastien Clouet apresentou.  A 3 de julho de 2017 este francês foi “condenado pela justiça a pagar uma multa por atos de violência doméstica contra a sua ex-mulher”, referiu Éric Mathais.

Sebastien Clouet voltaria aos tribunais franceses a 13 março de 2019, desta vez acusado de “realizar escavações arqueológicas sem autorização”, pelo qual foi condenado a uma multa suspensa.

O marido de Glória Lourenço tinha sido também “intimado a comparecer no Tribunal Criminal de Dijon, a 9 de setembro de 2021 por vários roubos”. Contra este francês estava ainda a decorrer outro processo por “porte ilegal de armas de coleção”.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

BALA PERDIDA MATA PORTUGUÊS DURANTE UMA RIXA DE GUANGUES EM FRANÇA


Carlos Soares, 34 anos, estava no sítio errado, na hora errada, esta quinta-feira no início da noite, em Pontoise (95) e foi surpreendido por uma bala perdida, numa luta com jovens do bairro de Marcouville.

Carlos Soares nasceu em Marcouville, mas morava na localidade vizinha de Osny. Tinha, no entanto, guardado amigos no bairro, com quem estava a partilhar um momento de convívio. Faleceu na ambulância que tentou socorrê-lo.

Tudo começou por uma mota roubada. Ao fim da tarde, um homem de 57 anos de idade, o filho e um amigo, ambos com 23 anos, decidiram dar uma volta pela ‘cité’ na esperança de encontrar a mota do rapaz, quando, de repente, aperceberam um rapaz a fazer gincanas com a mota. Levava a roda a frente no ar e circulava pela avenida de Lattre-de-Tassigny.

Reconhecendo a mota, em refletir, o condutor do camião deu uma guinada e lançou deliberadamente a camioneta contra a mota. Sem capacete, o rapaz de 21 anos ficou gravemente ferido e acabou por morrer no hospital Beaujon de Clichy algumas horas mais tarde.

Os rapazes do bairro acorreram de imediato e desafiaram os três homens que seguiam na camioneta. Um deles, o pai, sacou uma pistola de calibre 6.35, segundo o Procurador da República, e disparou pelo menos 5 tiros em várias direções, um deles atingindo Carlos Soares que estava mais longe.

O jovem português já não teve tempo de chegar ao hospital. Faleceu na ambulância que o veio buscar, com uma bala no peito.

“Carlos não tem nada a ver com os rapazes do bairro” diz a advogada da família Sandrine Paris-Heidegger. “É uma vítima colateral”, acrescenta.

Carlos Soares “trabalhava que se fartava”, dizem os amigos que o conheciam. Há dois anos casou com Pauline, que tem uma loja de pronto a vestir em Pontoise. Casaram pelo civil em França e pela igreja em Portugal, como costumam fazer muitos lusodescendentes. Tinham uma filha, Liva, com apenas 5 anos de idade, e instalaram-se em Osny, numa casa que Carlos renovou, sozinho ou com a ajuda dos dois irmãos, François e David.

O Maire de Pontoise Stéphanie Von Euw, visitou ontem à tarde a família. A mãe, Flora, está destroçada com a morte do filho.

Neste momento ainda não se conhece a data do funeral, mas os amigos e os colegas organizaram uma “recolha solidária de fundos” no site Leetchi para apoiar a família a passar esta fase delicada.

quarta-feira, 31 de março de 2021

VIDEO: COMUNICADO DE EMMANUEL MACRON

 


O Presidente francês Emmanuel Macron anunciou esta quarta-feira que as escolas vão fechar durante três semanas para tentar travar a terceira vaga de covid-19 e as medidas em vigor, nas regiões mais afetadas, vão ser alargadas a todo o país.

domingo, 7 de março de 2021

ACIDENTE DE HELICÓPTERO MATA DEPUTADO FRANCÊS QUE ERA PILOTO


O deputado francês Olivier Dassault, neto do fundador da Dassault Aviation, morreu este domingo, aos 69 anos, num acidente de helicóptero, no nordeste de França.

O acidente aconteceu perto de Touques, na região da Normandia, no nordeste de França, perto das 18 horas locais (17 horas em Portugal continental) e vitimou também o piloto do helicóptero, avança a Agência France-Presse (AFP). Não havia mais pessoas a bordo.

Olivier Dassault era piloto e engenheiro, formado pela École de l'Air e serviu na Força Aérea francesa. Foi eleito deputado do Partido Republicano para a Assembleia Nacional pela primeira vez em 2002, tendo sido reeleito em 2007.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, já prestou a sua homenagem, numa publicação no Twitter, em que refere que "Olivier Dassault amava a França.

"Capitão de indústria, deputado, representante local, comandante de reserva da Força Aérea: durante a sua vida, ele não cessou de servir o nosso país, de valorizar os ativos. A sua morte brutal é uma grande perda. Pensamentos à sua família e aos seus mais próximos", prosseguiu.

sábado, 5 de dezembro de 2020

CONFRONTOS E VANDALISMO CONTRA PROJETO-LEI POLÉMICO EM PARIS


A manifestação realizada em Paris, este sábado, para protestar contra um controverso projeto-lei sobre "segurança global" avançado pelo Governo francês degenerou em vários incidentes violentos, havendo relatos de vários veículos incendiados, segundo avançou a agência France-Presse (AFP).

A agência noticiosa francesa relatou igualmente que várias fachadas de estabelecimentos, nomeadamente de um supermercado, de uma agência imobiliária e de um banco, também foram danificadas.

A manifestação deste sábado, que teve início na zona norte da capital francesa, foi acompanhada por um forte dispositivo de segurança, depois de no passado sábado outro protesto em Paris, convocado igualmente para contestar o polémico projeto-lei, ter degenerado em confrontos entre as forças policiais e ativistas mais radicais.

Durante o protesto deste sábado, projéteis foram lançados contra as forças policiais, que responderam com gás lacrimogéneo, de acordo com o testemunho dos jornalistas da AFP destacados no local.

Pelo menos 22 pessoas foram detidas, informou, entretanto, o Ministério do Interior francês.

"Todos odeiam a polícia", gritavam alguns dos participantes no protesto, relatou a AFP, indicando que barricadas também foram incendiadas.

Protestos contra este novo projeto-lei sobre "segurança global" ocorreram hoje em quase 90 cidades em França, apesar de o Governo francês ter anunciado, entretanto, a intenção de rever os aspetos mais controversos do novo diploma.

Estas manifestações juntaram-se a outras ações de protesto que tinham sido convocadas igualmente para este sábado pelos sindicatos para denunciar a crescente precariedade do emprego em França.

Por exemplo, segundo relatou a AFP ao início de hoje à tarde, vários milhares de pessoas, incluindo muitos elementos do movimento social dos "coletes amarelos", desfilavam em Paris contra a precariedade do mercado de trabalho e em defesa pelas liberdades.

Aprovado no passado dia 24 de novembro pelos deputados da Assembleia Nacional (câmara baixa do parlamento francês), o controverso projeto-lei sobre "segurança global" visa expandir alguns poderes e fornecer uma maior proteção às forças de ordem pública.

Entre outros aspetos, o texto adotado em novembro prevê um controlo da gravação e da divulgação indevida (com possível punição) de imagens relacionadas com as forças de ordem pública, algo que foi classificado por várias vertentes da sociedade francesa como um ataque à liberdade de imprensa e de expressão.

O Governo francês já admitiu, entretanto, rever este artigo específico do projeto-lei, mas os organizadores das manifestações de hoje consideram isso como insuficiente e exigem a retirada total do novo diploma que qualificam como liberticida.

A polémica em redor deste diploma surge num momento em que o país tem sido abalado por alguns casos de violência policial, como foi o caso da recente situação que envolveu um produtor de música negro espancado por polícias à entrada de um estúdio de música em Paris.

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

MACRON DEFENDE MAIOR REFORÇO EM CONTROLO DE FRONTEIRAS COM ESPANHA

 


Espanha é uma das principais portas de entrada em França de imigrantes ilegais, que chegam da costa do Norte da África.

O Presidente francês vai esta quinta-feira à fronteira franco-espanhola, em Perthus, numa viagem dedicada ao "reforço do controlo fronteiriço", no âmbito da luta contra a imigração ilegal e o terrorismo, anunciou o Eliseu.

Acompanhado do ministro do Interior, Gérald Darmanin, e do secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Clément Beaune, Emmanuel Macron visitará um posto de fronteira para veículos que entram em território francês e também o Centro de Cooperação Policial e Aduaneira (CCPD) du Perthus.

Espanha é uma das principais portas de entrada em França de imigrantes ilegais, que chegam da costa do Norte da África.

O chefe de Estado apelou, na terça-feira, a uma resposta europeia comum contra o terrorismo, um dia depois do atentado islamita em Viena, que provocou quatro mortos, e depois dos recentes atentados em França, incluindo o assassínio do professor Samuel Paty por mostrar caricaturas de Maomé.

Vários dos ataques recentes na Europa mostram lacunas na cooperação europeia, particularmente na vertente da informação.

O atentado de Nice foi cometido por um jovem tunisino recém-desembarcado clandestinamente em Lampedusa (Itália) e o de Viena por um simpatizante do grupo jiadista Daesh (autoproclamado Estado Islâmico).

Os serviços de informação da Eslováquia sinalizaram a Viena o autor do atentado, mas o alerta não teve consequências.

Para Paris, todos os países europeus são agora potenciais alvos de ataques terroristas.

"A ameaça terrorista é forte e atinge toda a Europa Ocidental", alertou o ministro do Interior da França, Gerald Darmanin.

Os 27 têm-se esforçado por reforçar a cooperação nesta área, tentando controlar "quem detém armas, quem financia o terrorismo", removendo conteúdos terroristas da Internet, fiscalizando "informação sobre passageiros de voos, sobre ficheiros Schengen ou mesmo trocando informações judiciais com a Europol", disse o coordenador nacional francês de informação e luta contra o terrorismo, Laurent Nunez, em declarações à agência de notícias francesa AFP.

A Alemanha, que atualmente preside ao Conselho Europeu, incluiu a luta contra o terrorismo na lista de questões de uma reunião de ministros do Interior dos 27, a realizar em 13 de novembro, dando particular atenção à remoção de conteúdos terroristas online e trocas de informações sobre os utilizadores desses dados.

Emmanuel Macron e o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, também agendaram uma videoconferência para o início da próxima semana dedicada à luta comum europeia contra o terrorismo.

"REI DOS CATALISADORES" VOLTA A SER LIBERTADO

O Rei dos catalisadores, que protagonizou duas fugas as autoridades e é suspeito de mais de 70 furtos em veículos desde o início do ano, vol...