Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta FRANÇA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta FRANÇA. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 5 de abril de 2021

BALA PERDIDA MATA PORTUGUÊS DURANTE UMA RIXA DE GUANGUES EM FRANÇA


Carlos Soares, 34 anos, estava no sítio errado, na hora errada, esta quinta-feira no início da noite, em Pontoise (95) e foi surpreendido por uma bala perdida, numa luta com jovens do bairro de Marcouville.

Carlos Soares nasceu em Marcouville, mas morava na localidade vizinha de Osny. Tinha, no entanto, guardado amigos no bairro, com quem estava a partilhar um momento de convívio. Faleceu na ambulância que tentou socorrê-lo.

Tudo começou por uma mota roubada. Ao fim da tarde, um homem de 57 anos de idade, o filho e um amigo, ambos com 23 anos, decidiram dar uma volta pela ‘cité’ na esperança de encontrar a mota do rapaz, quando, de repente, aperceberam um rapaz a fazer gincanas com a mota. Levava a roda a frente no ar e circulava pela avenida de Lattre-de-Tassigny.

Reconhecendo a mota, em refletir, o condutor do camião deu uma guinada e lançou deliberadamente a camioneta contra a mota. Sem capacete, o rapaz de 21 anos ficou gravemente ferido e acabou por morrer no hospital Beaujon de Clichy algumas horas mais tarde.

Os rapazes do bairro acorreram de imediato e desafiaram os três homens que seguiam na camioneta. Um deles, o pai, sacou uma pistola de calibre 6.35, segundo o Procurador da República, e disparou pelo menos 5 tiros em várias direções, um deles atingindo Carlos Soares que estava mais longe.

O jovem português já não teve tempo de chegar ao hospital. Faleceu na ambulância que o veio buscar, com uma bala no peito.

“Carlos não tem nada a ver com os rapazes do bairro” diz a advogada da família Sandrine Paris-Heidegger. “É uma vítima colateral”, acrescenta.

Carlos Soares “trabalhava que se fartava”, dizem os amigos que o conheciam. Há dois anos casou com Pauline, que tem uma loja de pronto a vestir em Pontoise. Casaram pelo civil em França e pela igreja em Portugal, como costumam fazer muitos lusodescendentes. Tinham uma filha, Liva, com apenas 5 anos de idade, e instalaram-se em Osny, numa casa que Carlos renovou, sozinho ou com a ajuda dos dois irmãos, François e David.

O Maire de Pontoise Stéphanie Von Euw, visitou ontem à tarde a família. A mãe, Flora, está destroçada com a morte do filho.

Neste momento ainda não se conhece a data do funeral, mas os amigos e os colegas organizaram uma “recolha solidária de fundos” no site Leetchi para apoiar a família a passar esta fase delicada.

quarta-feira, 31 de março de 2021

VIDEO: COMUNICADO DE EMMANUEL MACRON

 


O Presidente francês Emmanuel Macron anunciou esta quarta-feira que as escolas vão fechar durante três semanas para tentar travar a terceira vaga de covid-19 e as medidas em vigor, nas regiões mais afetadas, vão ser alargadas a todo o país.

domingo, 7 de março de 2021

ACIDENTE DE HELICÓPTERO MATA DEPUTADO FRANCÊS QUE ERA PILOTO


O deputado francês Olivier Dassault, neto do fundador da Dassault Aviation, morreu este domingo, aos 69 anos, num acidente de helicóptero, no nordeste de França.

O acidente aconteceu perto de Touques, na região da Normandia, no nordeste de França, perto das 18 horas locais (17 horas em Portugal continental) e vitimou também o piloto do helicóptero, avança a Agência France-Presse (AFP). Não havia mais pessoas a bordo.

Olivier Dassault era piloto e engenheiro, formado pela École de l'Air e serviu na Força Aérea francesa. Foi eleito deputado do Partido Republicano para a Assembleia Nacional pela primeira vez em 2002, tendo sido reeleito em 2007.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, já prestou a sua homenagem, numa publicação no Twitter, em que refere que "Olivier Dassault amava a França.

"Capitão de indústria, deputado, representante local, comandante de reserva da Força Aérea: durante a sua vida, ele não cessou de servir o nosso país, de valorizar os ativos. A sua morte brutal é uma grande perda. Pensamentos à sua família e aos seus mais próximos", prosseguiu.

sábado, 5 de dezembro de 2020

CONFRONTOS E VANDALISMO CONTRA PROJETO-LEI POLÉMICO EM PARIS


A manifestação realizada em Paris, este sábado, para protestar contra um controverso projeto-lei sobre "segurança global" avançado pelo Governo francês degenerou em vários incidentes violentos, havendo relatos de vários veículos incendiados, segundo avançou a agência France-Presse (AFP).

A agência noticiosa francesa relatou igualmente que várias fachadas de estabelecimentos, nomeadamente de um supermercado, de uma agência imobiliária e de um banco, também foram danificadas.

A manifestação deste sábado, que teve início na zona norte da capital francesa, foi acompanhada por um forte dispositivo de segurança, depois de no passado sábado outro protesto em Paris, convocado igualmente para contestar o polémico projeto-lei, ter degenerado em confrontos entre as forças policiais e ativistas mais radicais.

Durante o protesto deste sábado, projéteis foram lançados contra as forças policiais, que responderam com gás lacrimogéneo, de acordo com o testemunho dos jornalistas da AFP destacados no local.

Pelo menos 22 pessoas foram detidas, informou, entretanto, o Ministério do Interior francês.

"Todos odeiam a polícia", gritavam alguns dos participantes no protesto, relatou a AFP, indicando que barricadas também foram incendiadas.

Protestos contra este novo projeto-lei sobre "segurança global" ocorreram hoje em quase 90 cidades em França, apesar de o Governo francês ter anunciado, entretanto, a intenção de rever os aspetos mais controversos do novo diploma.

Estas manifestações juntaram-se a outras ações de protesto que tinham sido convocadas igualmente para este sábado pelos sindicatos para denunciar a crescente precariedade do emprego em França.

Por exemplo, segundo relatou a AFP ao início de hoje à tarde, vários milhares de pessoas, incluindo muitos elementos do movimento social dos "coletes amarelos", desfilavam em Paris contra a precariedade do mercado de trabalho e em defesa pelas liberdades.

Aprovado no passado dia 24 de novembro pelos deputados da Assembleia Nacional (câmara baixa do parlamento francês), o controverso projeto-lei sobre "segurança global" visa expandir alguns poderes e fornecer uma maior proteção às forças de ordem pública.

Entre outros aspetos, o texto adotado em novembro prevê um controlo da gravação e da divulgação indevida (com possível punição) de imagens relacionadas com as forças de ordem pública, algo que foi classificado por várias vertentes da sociedade francesa como um ataque à liberdade de imprensa e de expressão.

O Governo francês já admitiu, entretanto, rever este artigo específico do projeto-lei, mas os organizadores das manifestações de hoje consideram isso como insuficiente e exigem a retirada total do novo diploma que qualificam como liberticida.

A polémica em redor deste diploma surge num momento em que o país tem sido abalado por alguns casos de violência policial, como foi o caso da recente situação que envolveu um produtor de música negro espancado por polícias à entrada de um estúdio de música em Paris.

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

MACRON DEFENDE MAIOR REFORÇO EM CONTROLO DE FRONTEIRAS COM ESPANHA

 


Espanha é uma das principais portas de entrada em França de imigrantes ilegais, que chegam da costa do Norte da África.

O Presidente francês vai esta quinta-feira à fronteira franco-espanhola, em Perthus, numa viagem dedicada ao "reforço do controlo fronteiriço", no âmbito da luta contra a imigração ilegal e o terrorismo, anunciou o Eliseu.

Acompanhado do ministro do Interior, Gérald Darmanin, e do secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Clément Beaune, Emmanuel Macron visitará um posto de fronteira para veículos que entram em território francês e também o Centro de Cooperação Policial e Aduaneira (CCPD) du Perthus.

Espanha é uma das principais portas de entrada em França de imigrantes ilegais, que chegam da costa do Norte da África.

O chefe de Estado apelou, na terça-feira, a uma resposta europeia comum contra o terrorismo, um dia depois do atentado islamita em Viena, que provocou quatro mortos, e depois dos recentes atentados em França, incluindo o assassínio do professor Samuel Paty por mostrar caricaturas de Maomé.

Vários dos ataques recentes na Europa mostram lacunas na cooperação europeia, particularmente na vertente da informação.

O atentado de Nice foi cometido por um jovem tunisino recém-desembarcado clandestinamente em Lampedusa (Itália) e o de Viena por um simpatizante do grupo jiadista Daesh (autoproclamado Estado Islâmico).

Os serviços de informação da Eslováquia sinalizaram a Viena o autor do atentado, mas o alerta não teve consequências.

Para Paris, todos os países europeus são agora potenciais alvos de ataques terroristas.

"A ameaça terrorista é forte e atinge toda a Europa Ocidental", alertou o ministro do Interior da França, Gerald Darmanin.

Os 27 têm-se esforçado por reforçar a cooperação nesta área, tentando controlar "quem detém armas, quem financia o terrorismo", removendo conteúdos terroristas da Internet, fiscalizando "informação sobre passageiros de voos, sobre ficheiros Schengen ou mesmo trocando informações judiciais com a Europol", disse o coordenador nacional francês de informação e luta contra o terrorismo, Laurent Nunez, em declarações à agência de notícias francesa AFP.

A Alemanha, que atualmente preside ao Conselho Europeu, incluiu a luta contra o terrorismo na lista de questões de uma reunião de ministros do Interior dos 27, a realizar em 13 de novembro, dando particular atenção à remoção de conteúdos terroristas online e trocas de informações sobre os utilizadores desses dados.

Emmanuel Macron e o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, também agendaram uma videoconferência para o início da próxima semana dedicada à luta comum europeia contra o terrorismo.

domingo, 11 de outubro de 2020

ESQUADRA DA POLICIA EM FRANÇA ATACADA COM BARRAS DE FERRO E MORTEIROS

 


Uma esquadra de polícia em Champigny-sur-Marne, nos arredores de Paris, foi alvo de um ataque por parte de dezenas de pessoas, na noite deste sábado para domingo, de acordo com a imprensa francesa.

O ataque terá sido levado a cabo por cerca de quarenta indivíduos, armados com morteiros e barras de ferro, segundo apurou a BFMTV, que acrescenta que nenhum agente de autoridade ficou ferido em resultado do ataque.

O incidente ficou gravada em vídeo, filmado por um morador local, que acabou por partilhar as imagens no Twitter. O vídeo comprova o uso dos explosivos.

A publicação apurou que o incidente ocorreu por volta das 23h55 (hora local), quando dois agentes se encontravam a fumar no exterior do departamento policial. Dezenas de pessoas aproximaram-se e começaram a bater na porta de entrada com barras de ferro, tendo os agentes conseguido refugiar-se a tempo.

No decorrer do ataque foram disparados vários morteiros. Foram encontrados no local oito destes explosivos. Vários veículos policiais ficaram danificados e foram registados pelo menos dois focos de incêndio, em caixotes do lixo. Os dois agentes de autoridade que estavam presentes ficaram "em estado de choque", de acordo com denúncia do sindicato. 

As autoridades estão a investigar aquilo que definem como "um ataque bem organizado".

segunda-feira, 27 de julho de 2020

AUTOR DO INCÊNDIO NA CATEDRAL DE NANTES CONFESSA O CRIME



Depois de uma semana de ter acontecido o incêndio na catedral de Nantes, o voluntário ruandês da diocese confessou a autoria e está sob custódia por "destruição e danos causados pelo fogo".

O advogado do ruandês Quentin Chabert disse : "O meu cliente cooperou", e "Lamente amargamente os factos e confessar foi para ele uma libertação. O meu cliente está agora roído pelo remorso e sobrecarregado pela escala dos acontecimentos".

Quentin "admitiu, durante o interrogatório inicial perante o juiz de instrução, que tinha acendido os três fogos na catedral: no grande órgão, no pequeno órgão e num painel eléctrico".

Quentin de 39 anos, estava responsável por fechar a catedral na véspera do incêndio foi acusado por "destruição e danos por fogo e colocado em prisão preventiva pelo juiz de instrução".

O homem enfrenta agora "uma pena de prisão de 10 anos e uma multa de 150.000 euros", disse o procurador de Nantes, Pierre Sennés.

"Entre o grande órgão, que se encontra na fachada do primeiro andar, e os outros focos de incêndio, tem quase toda a distância da catedral. No entanto, estão a uma distância considerável um do outro".

O reitor da catedral disse"O ruandês veio refugiar-se em França há alguns anos, eu tinha plena confiança nele".

O primeiro ministro Jean Castex, prometeu que o Estado "participará plenamente", na reconstrução da catedral.













sábado, 18 de julho de 2020

ÓRGÃO DA CATEDRAL DE NANTES ( FRANÇA) ARDEU HOJE



Primeiro foi a catedral de Notre-Dame, Paris, em Abril de 2019, agora foi mais uma catedral em Nantes.

O responsável dos bombeiros, Laurent Ferlay, disse: "Os estragos estão concentrados no órgão que esta completamente destruído. A plataforma sobre a qual se situa está muito instável e ameaça ruir".

"Foi aberta uma investigação por incêndio voluntário", disse Pierre Sennes, promotor da República em Nantes. 

"Os danos estão concentrados no grande órgão, que parece totalmente destruído", disse Laurent, o incêndio estava "sob controlo".

Cerca de cem bombeiros combateram as chamas na catedral.

A mesma catedral já tinha sofrido um incêndio em 1972, em que as chamas devastaram um teto, do século XV.





terça-feira, 14 de julho de 2020

NO DIA DA BASTILHA FRANÇA DIZ "MERCI" AOS HERÓIS DO VIRUS



Esta terça-feira foi o dia da Bastilha em França, este ano em vez de soldados fardados nas ruas, foram Médicos de jaleco branco que marcaram o dia.

No maior feriado nacional em França, foram homenageados enfermeiros, motoristas de ambulâncias, caixas de supermercado e outros.

Macron destacou os sucessos da França no combate à pior crise desde a segunda guerra mundial.

Foram convidados este ano, enfermeiros, médicos, trabalhadores de supermercado e casas de repouso, agentes funerários, técnicos de laboratório, fabricantes de mascaras e muitos outros, que mantiveram a França a funcionar durante a pandemia.

Em uma marcha , os sindicatos denunciavam: "Estamos com escassez de pessoal" disse Sylvie Pecard, enfermeira e manifestante "É porque não recrutamos enfermeiros. Eu vim para aqui há 20 anos e não havia posições vazias, agora todos os serviços estão com falta de pessoal, e está cada vez pior".

Reconhecendo os "erros" que sua presidência provocou no gerenciamento da pandemia, Macron falou em uma entrevista a uma televisão francesa,"Nosso pais está com medo. Há uma crise de confiança".








JOVEM DE 21 ANOS É ATACADA A FACADAS PELO PRÓPRIO PAI

Um homem, de 42 anos, é suspeito de matar a facadas a própria filha nesta segunda-feira(12) em Rodeio, no Vale do Itajaí, em  Santa Catarina...