Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta LAMENTÁVEL ERRO. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta LAMENTÁVEL ERRO. Mostrar todas as mensagens

sábado, 30 de janeiro de 2021

FAMÍLIA DESCOBRE APÓS FUNERAL QUE IDOSO DADO COMO MORTO ESTÁ VIVO


Um homem de 92 anos, natural de Milheirós de Poiares, Feira, foi dado como morto pelo Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), mas passados 20 dias após o anúncio da morte e do funeral a família foi informada que o homem afinal está vivo.

Um homem dado como morto está vivo e internado há cerca de dois meses no Hospital de Oliveira de Azeméis, devido a problemas respiratórios. Durante a hospitalização ficou infetado com covid-19 e, no passado dia 10, a família foi informada que o idoso tinha falecido.

"Ligaram para a minha irmã a dizer que ele tinha falecido. Ainda tentei ver o corpo para o reconhecer, mas não deixaram" lembrou, ao JN, o filho, Aurelino Vieira.

Agora, 20 dias volvidos, o hospital admitiu o "lamentável erro" e informou a família de que o idoso, afinal, estava vivo. O corpo sepultado pertence a outra família que foi contactada pelo administrador do Centro Hospitalar, que explicou a ambas as famílias a situação ocorrida.

Caberá ao Ministério Público tratar do processo da retirada do corpo que foi enterrado em Milheirós. O funeral foi realizado no passado dia 12, pela família do homem que, afinal, está vivo. "Insisti para ver o corpo, porque alguma coisa me fazia suspeitar que podia não ser o meu pai, mas não deixaram e eu compreendi", referiu.

Na manhã deste sábado, passados 20 dias sobre a morte anunciada, a notícia chegou à família. "Vieram uns médicos do hospital falar comigo a dizer que houve um erro e que o meu pai estava vivo, para eu ir confirmar. Pediram desculpas pelo erro", lembrou o filho que, de imediato, se deslocou ao Hospital de Oliveira de Azeméis.

"O meu pai estava vivo e consciente. Estive a falar com ele e está lúcido", revelou.

Apesar de magoado, Aurelino Vieira mostra alguma compreensão com o sucedido. "Sei que nesta altura os médicos estão com muito trabalho, mas espero que este acontecimento sirva para haver mais cuidado no futuro", referiu.

PORTUGUESES TERIAM DE PAGAR MAIS 22% DE IMPOSTOS PARA MANTER PENSÕES INTACTAS

No longo prazo, para manter a sustentabilidade orçamental e os mesmos benefícios ao nível de pensões,  os portugueses teriam de pagar mais 2...