Translate

Mostrar mensagens com a etiqueta PORTO. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta PORTO. Mostrar todas as mensagens

sábado, 26 de junho de 2021

AMEAÇOU FAZER EXPLODIR HOSPITAL ONDE A FILHA IA FAZER OPERAÇÃO DE MUDANÇA DE SEXO


Descontente com uma cirurgia de mudança de sexo marcada para a filha, um homem ameaçou fazer explodir o Hospital da Ordem de S. Francisco, no Porto.

O indivíduo, já identificado pela PSP, entrou ao princípio da tarde desta sexta-feira no Hospital da Ordem de S. Francisco, próximo do Palácio da Bolsa, no Porto, e, aos gritos, ameaçou fazer explodir uma bomba caso a administração daquele hospital privado não suspendesse uma cirurgia de mudança de sexo da filha, intervenção que deveria ter ocorrido ao final da tarde.

Os funcionários do hospital tentaram acalmar o homem que, "lavado em lágrimas mas extremamente enervado", não aceitou ser chamado à razão. "Quando percebeu que alguém tinha chamado a Polícia, fugiu", contou fonte do hospital.

À chegada das autoridades ao hospital, o homem já tinha fugido num automóvel, estando agora a ser procurado pela PSP.

quarta-feira, 26 de maio de 2021

TENTOU ASSASSINAR HOMEM QUE JÁ BALEOU HÁ TRÊS ANOS


Foi condenado por tentar matar um indivíduo a tiro em 2019 e há poucos dias voltou-se a cruzar com a vítima na Praça dos Poveiros, no Porto, onde o reencontro acabou aos tiros. O agressor, de 22 anos, que estava com a pena suspensa, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) do Porto. O Tribunal colocou-o em prisão domiciliária.

O caso aconteceu a meio da tarde do passado dia 18 de maio. O agressor, que tinha sido condenado a quatro anos e meio, com suspensão de pena, estava sentado numa esplanada.

A vítima, de 25 anos, que estava acompanhada da namorada e de uma amiga, avistou-o. Decidiu ir tirar satisfações. É que na altura do primeiro processo tinha passado mês e meio internado e terá ficado revoltado por o seu agressor ter beneficiado de uma suspensão de pena.

O reencontro terminou em pancadaria. Mas o agressor acabaria por sacar uma pistola. A vítima e as duas mulheres fugiram em direção a um parque de estacionamento situado nas imediações da Praça dos Poveiros. Entretanto, o indivíduo terá disparado vários tiros em direção às vítimas, sem nunca as atingir.

"Só não os atingindo por motivos alheios à sua vontade", adianta a PJ.

Mas o homem armado não demoveu e perseguiu as vítimas no interior no parque de estacionamento. Mas a chegada de várias pessoas levou o homem a desistir.

Entretanto, fugiu mas a investigação da PJ conseguiu localizá-lo e prendê-lo. Responde por tentativa de homicídio e posse de arma ilegal.

domingo, 2 de maio de 2021

ESPLANADAS CHEIAS E JOVENS A DIVERTIREM-SE. ASSIM FOI A PRIMEIRA NOITE SEM ESTADO DE EMERGÊNCIA


Bares e restaurantes do Porto cumpriram regras controladas por equipa da PSP. Mas houve quem não respeitasse o distanciamento social, o uso de máscara ou o horário restritivo.

No espaço de minutos, uma Praça dos Poveiros de esplanadas cheias ficou vazia de gente, de empregados de restaurantes e da outrora tradicional animação da movida portuense. O bater dos ponteiros do relógio a marcar as 22.30 horas da primeira noite de sábado pós estado de emergência obrigou ao apressado encerramento dos espaços de restauração e o povo respeitou, com urbanidade, as limitações em vigor. "A indicação é para desmobilizar e toda a gente cumpriu", referiu, ao JN, o chefe do PSP Casimiro Martins.

A comandar uma equipa de 11 policiais destacada para vigiar na Baixa da Invicta, Casimiro Martins confirmou que as medidas menos restritivas relativamente ao confinamento levaram "muita gente" às ​​ruas do Porto e "muitos grupos às esplanadas". Mas tudo, garantiu, dentro da lei. "Os restaurantes estão a encerrar à hora imposta e só na sexta-feira é que foi emitido um automático, num espaço situado na rua Cândido dos Reis. Estava aberto quando já não podia", explicou.

"O balanço destes dois dias é positivo. A casa encheu várias vezes"

Segundo o chefe da PSP, a noite de sexta-feira foi ainda mais agitada do que a de sábado. Leonardo Bevilacqua, da Casa Guedes, disse o mesmo. "O balanço destes dois dias é positivo. A casa encheu várias vezes, quer esta, a dos Poveiros, quer a que temos na Praça Carlos Alberto". E sem que se tenham registado problemas de maior. "Os clientes cumprem as regras de segurança e a única preocupação que temos é avisar para a hora do fecho. Temos de pressionar um pouco para que saiam do restaurante, mas não hesitamos, porque não queremos voltar a fechar portas", revelou.

"Foi a minha primeira saída noturna desde setembro do ano passado e soube bem"

Valter Cocca, um italiano radicado em Portugal, foi um dos muitos que só abandonou a mesa à hora limite. "Foi a minha primeira saída noturna desde setembro do ano passado e soube bem", confessou no meio de um grupo de seis amigos, que ficou para jantar após uma tarde de passeio na cidade. "Sentimos segurança, sobretudo dentro do restaurante. Já na rua vimos alguns problemas, pessoas sem máscara", alunos.

Música e dança para animar mais de cem pessoas amontoadas

E, de facto, uma sensação de sensação de Valter Cocca não estava desfasada da realidade. Se a rua Santa Catarina estava praticamente deserta e o local que acolheu, no fim-de-semana passado, uma festa com mais de 80 pessoas, não apresentava sinais de ilegalidades, o mesmo já não acontecia noutros espaços históricos da cidade. Na Praça D. Filipa de Lencastre, por exemplo, mais de 20 jovens permaneciam à porta dos bares fechados. Quase todos sem a proteção facial e de copo na mão, trocavam palavras a uma curta distância e alguns não evitavam dos abraços.

Um pouco mais à frente, na rua da Fábrica, o barulho deixava adivinhar mais grupos a descer uma das artérias de acesso às Galerias de Paris, porventura o principal ponto de encontro na noite do Porto. Mesmo com os normas encerrados, não faltavam garrafas nas mãos de gente nova e pouca dada a distanciamentos sociais.

Nada, no entanto, semelhante ao que encontrava na Praça de Parada Leitão, ao lado da Reitoria da Universidade do Porto. Aqui, e tal como o denunciado noutras fases do confinamento, mais de uma centena de rapazes e raparigas divertiam-se ao som de música brasileira saída de uma aparelhagem improvisada. Amontoados em poucos metros quadrados, sem máscara e com pouco medo do vírus que parou o mundo, todos gozavam momentos de liberdade que há muito não estão autorizados. E ainda não era meia-noite.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

STCP REDUZ OFERTA AOS FINS DE SEMANA


Aos sábados e domingos, e a partir das 17 horas, a STCP vai diminuir a oferta da maioria das suas 58 linhas, antecipando o "Horário Noturno". O ajuste da operação vai manter-se enquanto vigorarem as restrições de circulação. A alteração entra em vigor este sábado.

À semelhança do que já foi feito à operação da STCP durante a semana, a operadora arranca este sábado com o "Horário de Contingência", reduzindo a operação da maioria das suas 58 linhas aos fins de semana partir das 17 horas.

Devido à alteração da operação, oito das linhas (Linhas 207, 208, 209, 304, 403, 503, 900 e ZC) que, desde dezembro, se encontravam suprimidas após as 13 horas aos sábados, domingos e feriados, vão estender o horário e vão realizar os seus percursos habituais até perto das 17 horas. As Linhas 206, 302, 303, 601, 603, 604, 700, 703, 705, 706, 803, 804, 805, 806 mantêm o serviço atual, tal como as que fazem parte da Rede de Madrugada.

A empresa informa que aos sábados, o número médio atual de passageiros na STCP é de 30 mil, quando a média diária de outubro rondava os 90 mil. Fevereiro teve, aos domingos, uma média na ordem dos 20 mil clientes transportados pela STCP, quando, em outubro, viajavam nos autocarros da empresa quase 60 mil pessoas/dia.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

AUTÓPSIA REVELA QUE AUXILIAR DO IPO VACINADA MORREU DE ENFARTE


O resultado da autópsia da funcionária do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, que morreu dois dias após ter sido vacinada contra a covid-19, revela que a causa da morte foi um enfarte agudo do miocárdio.

A família da auxiliar recebeu a análise esta semana, mais de um mês após a morte da trabalhadora, que foi vacinada a 30 de dezembro e morreu a 1 de janeiro, de forma súbita. À data, o IPO tinha já esclarecido que a auxiliar não tinha registado qualquer reação adversa à vacina, nem no próprio dia nem nos dias subsequentes.

À data, os dados preliminares resultantes da autópsia médico-legal não evidenciaram qualquer relação entre a morte da funcionária e a administração da vacina.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

CADÁVER EM AVANÇADO ESTADO DE DECOMPOSIÇÃO ENCONTRADO NO PORTO




Foi encontrado na madrugada desta sexta-feira, um cadáver em avançado estado de decomposição em terreno devoluto na Avenida da Boavista, Porto.

O alerta foi dado para a PSP, que encontrou o cadáver no terreno devoluto, localizado perto do Porto Palácio Hotel.

O caso já esta na alçada da Polícia Judiciária, por agora não se conhece a idade e o sexo do corpo







PILOTO ESPANHOL DE 14 ANOS MORRE APÓS SER ATROPELADO EM CORRIDA

Hugo Millán, de 14 anos, morreu este domingo após ter sido atropelado por um adversário na sequência de uma queda sofrida durante uma corrid...